Autores de Pelotas se unem em Coletivo

A ideia do grupo de escritores, fotógrafos e cartunistas é promover ações para divulgar suas obras, discutir literatura e incentivar a leitura e a escrita.

Às vésperas de lançar um novo livro, no início de janeiro de 2019, o cartunista André Macedo procurou a escritora Joice Lima, que tinha lançado seu terceiro romance quatro meses antes, para trocar ideias sobre distribuição e comercialização de publicações. Os dois descobriram várias insatisfações em comum e o papo avançou para a vontade de fazer algo que fortalecesse os autores locais e contribuísse para mudar essa situação. Chamaram outros colegas escritores para uma nova reunião e, no dia 19 de janeiro, com Deco Rodrigues e Aleksander Aguilar, brotava a semente do movimento. Deco sugeriu a realização de um evento exclusivo de autores pelotenses e Aleks acenou com a proposta de um Coletivo – ambas agradaram aos quatro. Menos de um mês depois, em 16 de fevereiro, era realizada a primeira reunião oficial do Coletivo Autores de Pelotas – na Bibliotheca Pública Pelotense (BPP), que já tinha confirmado apoio ao projeto. O primeiro capítulo dessa estória já contava com 30 personagens e diversas páginas de ideias.

Foto: Gil Marques

“O Coletivo chega para promover ações voltadas à valorização e divulgação da nossa produção. Embora Pelotas seja uma cidade de porte médio, os nossos livros costumam ficar restritos a círculos de amigos, conhecidos e leitores que já acompanham o nosso trabalho. Queremos expandir esse público, abrir o compasso para que o círculo abranja todo o município e outras cidades também. E queremos ir além…”, antecipa André Macedo, que teve 20 publicações, desde 1993. Ele conta que o Coletivo pretende incentivar a leitura e a escrita e instigar discussões acerca do fazer literário e sobre publicação, distribuição e comercialização de livros. “Temos muito que melhorar nesses processos, muito o que aprender e talvez um pouquinho a ensinar, e acreditamos que o Coletivo vai nos proporcionar isso”, aposta.

Com três romances e uma peça de teatro publicados, Joice acredita que o Coletivo vai preencher uma lacuna na área literária de Pelotas. “Em uma época em que a literatura está em crise em todo o País, com grandes editoras pedindo recuperação judicial para conseguir parcelar suas dívidas, livrarias exigindo 40% de lucro sobre as publicações e deixando nossos livros escondidos nas prateleiras, muitos de nós, acabávamos reféns do sistema. O curioso é que, apesar de sermos muitos, estávamos isolados e meio perdidos, tateando no escuro. Agora, com o Coletivo, estamos animados, em clima de lua-de-mel. Mas para que o casamento seja duradouro, precisamos de estratégias e planejamento. Já começamos a organizar nossas ações”, pondera a escritora.

O grupo criou uma página no Facebook e um perfil no Instagram (#EuLeioPelotas) para divulgar seus livros, as ações que irá promover e eventos em que participe.

Foto: Gil Marques

Antes da primeira reunião oficial, no dia 13 de fevereiro, o Coletivo fez uma doação de livros ao Escambo Literário do pátio interno do Mercado Central. “É uma iniciativa super bacana da doceria Imperatriz e Rotaract. Qualquer um pode levar um dos livros da estante que fica ali, desde que deixe outro, em troca. Assim quem gosta de ler, mas não tem condições de comprar, nunca vai ficar sem opções”, explica Deco, que lançou seu primeiro romance em 2013, e adianta: “A nossa estreia será com um evento exclusivo para autores pelotenses, nascidos ou radicados em Pelotas. Serão três dias de programação, em maio, em um evento diferenciado, com diversas atrações, leituras, roda de conversa e bate-papo com autores na BPP e venda de livros também no entorno do Mercado Central, no último dia. Autores locais que tenham interesse em participar, devem entrar em contato pela nossa página para acertar os detalhes”.

A que vem o Coletivo Autores de Pelotas?
*vem para integrar autores pelotenses dos mais variados tipos de publicações (romance, poesia, novela gráfica, fotografia, contos, crônicas, biografia, dramaturgia, história, jornalismo, técnicos, etc.), para que se ajudem, mutuamente
*vem para realizar eventos que contribuam para a valorização e divulgação da produção literária de Pelotas, tanto no município quanto em outras cidades – dar a conhecer a ampla variedade das publicações locais (romance, poesia, novela gráfica, fotografia, conto, crônica, biografia, dramaturgia, história, jornalismo, técnicos, etc.)
*vem para oferecer palestras e oficinas que estimulem o fazer literário (incentivar à leitura e à escrita)
*vem para promover debates e eventos, a fim de despertar o interesse por literatura

Foto: Joice Lima

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *