Dança Negra ganha destaque durante 2019 no Museu do Doce em Pelotas

A Companhia de Dança Afro Daniel Amaro está com dois projetos junto ao Museu do Doce. O primeiro a ser realizado é a Mostra Coreográfica Pedagógica de Dança Negra, que acontece no dia 14 de fevereiro, quarta-feira, com entrada franca.

O segundo é o Projeto de Dança de Matriz Africana,  que se desenvolverá em março, abril e maio (primeiro trimestre), em junho, julho e agosto (segundo trimestre) e o terceiro e último em setembro, outubro e novembro, todas as quartas-feiras as 18:30, no Museu do Doce no Centro Histórico de Pelotas.

Mostra Coreográfica Pedagógica de Dança Negra
Ainda com duas semanas para o término dos Cursos de Verão, que está sendo executado todas as modalidades no Museu do Doce, os alunos participantes faram uma mostra que começará com a apresentação do vídeo dança do resultado final da Residência artística do artista pesquisador, dançarino e coreografo Jadiel Ferreira (Alagoano), Mestre em Dança pela Universidade Federal da Bahia (PPGDANÇA/UFBA), graduado em Licenciatura em dança pela Universidade Federal de Alagoas.

Na sequencia acontecem as apresentações coreográficas do Laboratório C Performance de Dança Contemporânea, do professor Marco Antônio (Marcão), pelotense radicado em Portugal por 15 anos, que está em Pelotas fazendo seu laboratório na pesquisa da dança e seus caminhos contemporâneos. Marcão foi bailarino em companhias renomadas no Brasil e no exterior.

Foto: Arquivo Cia de Dança Daniel Amaro

Após terá apresentação do curso de danças de Matriz Africanas, essas que passam pela dança afro-brasileira e dança afro de Benin, mostrando seus semelhanças e diferenças no contexto artístico e pedagógico.

Para finalizar a mostra, serão apresentadas coreografias de Mestre Sala e Porta-Bandeira e Sampa no Pé, com a referência da dança samba com sua origem na cultura negra brasileira. Todas essas modalidades coreografadas pelo coreografo, bailarino e diretor artístico Daniel Amaro.

Mostra Coreográfica Pedagógica de Dança Negra
Quando? 14 de fevereiro de 2019 – quarta-feira
Hora? 20h
Onde? Pátio do Museu do Doce de Pelotas
Responsável: Cia. de Dança Afro Daniel Amaro
Entrada Franca

Projeto de Dança de Matriz Africana no Museu do Doce
O Projeto de Dança de Matriz Africana no Museu do Doce é idealizado pelo bailarino, coreógrafo e diretor artístico Daniel Amaro, projeto esse que embasado na implementação da lei 10.639/2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, no sentido de facilitar o acesso da comunidade Pelotense a vagas gratuitas à 60 pessoas, divididas em três trimestres no ano de 2019.

Foto: Manoela Meyer

O objetivo é resgatar a cultura negra como formadora da sociedade brasileira na área social, econômica, política e cultural, tomando-se como referência o contexto local da cidade de Pelotas, tendo em vista ter sido a mão-de-obra de negros escravizados oriundos da África a principal força de trabalho das charqueadas pelotenses.

O projeto se desenvolverá em março, abril e maio (primeiro trimestre), em junho, julho e agosto (segundo trimestre) e o terceiro e últimos em setembro, outubro e novembro, todas as quartas-feiras as 18h30min, no Museu do Doce no Centro Histórico de Pelotas.

Inscrições
São  20 vagas para o primeiro trimestre,  as inscrições devem ser feitas no período de 28 de janeiro até 28 de fevereiro de 2019, através do e-mail dancaafromuseudoce@gmail.com , e as informações necessária para a inscrição são: Nome completo, data de nascimento, comprovante de residencia em Pelotas e contato telefônico.

As aulas serão ministra pelo coreógrafo Daniel Amaro que tem o Registro Profissional nº 12442, e as aulas serão somente nas quartas-feiras das 18:30 às 20h, no Museu do Doce. Outras informações podem ser solicitadas através do celular (53) 98428-7126.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *