Pelotas receberá oficina de fotografia com Danilo Christidis

No último dia da exposição “Os Guarani Mbyá” em Pelotas, o autor Danilo Christidis realizará uma oficina de fotografia no mesmo local da mostra, no casarão do Museu do Doce.

A atividade irá abordar temas como composição fotográfica, narrativa visual e vínculo com o tema, pensando a fotografia como um gesto de relação.
Como parte da atividade, os participantes irão reordenar a exposição, recriando a sua narrativa.

Foto: Danilo Christidis

Além das fotografias do projeto como material didático, o fotógrafo utilizará trabalhos de outros autores para tratar do tema. O Objetivo da oficina é provocar um entendimento mais sensível sobre o projeto, oferecendo aos participantes uma aproximação com tema através do processo criativo do autor Danilo Christidis, abordando questões relevantes da fotografia para que os participantes possam também utilizar destes aspectos nas suas imagens.
A oficina é aberta a tod@s interessad@s em fotografia.

A fotografia como relação e vínculo
Onde o tema está na imagem?
Produzindo discurso visual
A ortografia do enquadramento
Narrativas e poéticas visuais
Prática fotográfica
Debate sobre experiência

Oficina de fotografia: Narrativas e poéticas visuais
por Danilo Christidis
Quando? Sábado, 8 de dezembro de 2018
Onde? Museu do doce – Praça Coronel Pedro Osório, 08 – Pelotas RS
Duração: 4h (das 14h às 18h)
Valor da Inscrição: R$ 100,00
Inscrições através do Evento no Facebook.

Foto: Danilo Christidis

Em 2008, Danilo Christidis começou a visitar Vherá Poty em sua aldeia a fim de ensiná-lo a fotografar.  Não demorou para que os papéis se invertessem. Poty se mostrou um fotógrafo talentoso e então passou a ensinar Danilo a como perceber sua cultura, costumes e formas de pensar o mundo.

O território guarani se estende no Brasil por toda região sul e sudeste e atravessa a fronteira da Argentina e Paraguai. Embora restritos a diminutas áreas de moradia, os territórios de vida e circulação deste coletivo indígena abrange as florestas subtropicais , onde aprenderam a conviver em íntima comunhão com as matas que os alimentam e os justificam.

O livro e a exposição são resultado de 7 anos de registros fotográficos a partir de uma relação de aprendizagens mútuas entre os fotógrafos (não-indígena) Danilo Christidis e (indígena) Vherá Poty. Sua primeira edição foi lançada em 2015, com uma exposição fotográfica no Museu da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. A Obra é a primeira publicação fotográfica com co-autoria indígena no Brasil.

Danilo Christidis
Fotógrafo documentarista, videomaker e educador visual. Realiza exposições individuais e coletivas de diferentes trabalhos no Brasil e no exterior. Recebeu dois prêmios da FUNARTE: a Bolsa de Estímulo à Criação Artística em Artes Visuais com o projeto “Estante Pública” e a Bolsa Funarte de Reflexão Crítica e Produção Cultural para Internet com o projeto “Exorcismos Urbanos”.
Participou da 9° Bienal das Artes Mercosul em 2013 e da 6° Bienal de Fotografia da Argentina em 2014 entre outros festivais. Foi membro do conselho curador do 8° Festival Internacional de fotografia de Porto Alegre. Durante sete anos, conviveu com diversas comunidades da etnia indígena Mbyá Gurarani, junto com o fotógrafo indígena Mbyá, Vherá Poty, na qual o ensinou a fotografar. Esta relação possibilitou a realização de um livro lançado em agosto 2015. A obra com título “Os Guarani Mbyá” é a primeira publicação fotográfica na história do Brasil, realizado em co-autoria indígena. Atualmente está envolvido com a produção de uma série de televisão documental sobre os caminhos históricos da América do Sul.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *