Sonora Brasil Sesc apresenta último circuito de 2015 no RS

Espetáculos sobre as Violas Nordestinas ocorrem entre 24 de outubro e 3 de novembro. 

A partir do dia 24 de outubro, o Rio Grande do Sul recebe o circuito de apresentações sobre as Violas Nordestinas por meio do Sonora Brasil Sesc, encerrando os espetáculos do projeto em 2015 no Estado, que tiveram como tema geral as Violas Brasileiras. Nove cidades gaúchas recebem o trio de violeiros Antônio Madureira (PE), Ivanildo Vilanova (PB) e Cássio Nobre (BA): Canoas, Montenegro, Camaquã, Pelotas, Alegrete, Ijuí, Santa Rosa, Passo Fundo e Carazinho. Todas as apresentações são gratuitas.

O público poderá conhecer uma verdadeira síntese da viola na cultura nordestina. A viola no Nordeste pode ser encontrada em sua forma mais tradicional, como a presente corriqueiramente na região Sudeste, mas também em variantes típicas da região, como a utilizada por repentistas, com um sistema acústico que melhora a projeção do som, e a machete, característica do Recôncavo Baiano.

Ivanildo VilaNova - Foto: Ju Brainer

São essas variações e características do instrumento que serão apresentadas no palco por músicos expoentes na área, como Antônio Madureira – violeiro, violonista e compositor – e Ivanildo Vilanova, cantador e violeiro que desenvolveu sua carreira como repentista em Campina Grande (PB). Também estará no palco o músico Cássio Nobre – compositor, violeiro e pesquisador do samba de roda do Recôncavo Baiano e em especial da viola machete.

Na sua 18ª edição, o Sonora Brasil Sesc terá promovido, até 03 de novembro deste ano, 36 espetáculos no interior do Estado. O primeiro circuito, Violas Singulares, ocorreu ainda no mês de agosto. Violas Caipiras foi apresentado em setembro. Violas em Concerto foi mote no início de outubro e o quarto e último circuito, Violas Nordestinas, é realizado em outubro e novembro. Já Cantos de Trabalho circula pelas regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste em 2015 e chega ao Estado em 2016.

O Sonora Brasil cumpre a missão de difundir o trabalho de artistas que se dedicam à construção de uma obra não comercial. A formação de plateia é o que se busca por meio do contato do público com a qualidade e a diversidade da música, estimulando o olhar crítico sobre a produção e os mecanismos de difusão da música no país. O projeto busca despertar um olhar crítico sobre a produção e sobre os mecanismos de difusão da música no país, incentivando novas práticas e novos hábitos de apreciação musical, promovendo apresentações de caráter essencialmente acústico, que valorizam a autenticidade sonora das obras e de seus intérpretes.

Tema do Biênio 2015/2016
Violas Brasileiras traça um panorama da viola de cinco ordens e de variantes que apresentam características peculiares e regionalizadas do instrumento, relacionadas a práticas musicais restritas a ambientes geográficos pouco abrangentes. A viola caipira/sertaneja será representada por Paulo Freire e Levi Ramiro (SP); a viola do nordeste, reconhecida por acompanhar repentistas, será apresentada por Ivanildo Vilanova, Antônio Madureira e Cássio Nobre (PE e BA); a viola de concerto, apresentada por Fernando Deghi e Marcus Ferrer (PR e RJ); e as violas singulares, com suas peculiaridades e suas claras referências regionalizadas, serão apresentadas por Sidnei Duarte, Maurício Ribeiro e Rodolfo Vidal (MT, TO e SP).

Sonoros Ofícios – Cantos de Trabalho apresenta o canto como expressão musical relacionada às atividades laborais, fato social presente na cultura brasileira tanto no ambiente rural quanto no urbano, com registros que confirmam a sua existência já no século XVIII. Três grupos representam formas tradicionais relacionadas a trabalhos rurais: Destaladeiras de Fumo de Arapiraca (AL); Cantadeiras do Sisal e Aboiadores de Valente (BA) e Quebradeiras de Coco Babaçu (MA). O Grupo Ilumiara (MG), formado por músicos pesquisadores, apresenta repertório recolhido em pesquisas sobre diversas vertentes do tema.

18ª edição Sonora Brasil Violas Brasileiras – Programação Rio Grande do Sul
CIRCUITO 4 – VIOLAS NORDESTINAS
ANTONIO MADUREIRA (PE), IVANILDO VILANOVA (PB) e CASSIO NOBRE (BA)

24/10/15 – Canoas
Local: Casa das Artes Villa Mimosa (Avenida Guilhereme Schell 6.270)
Horário: 20h

25/10/15 – Montenegro
Local: CTG Estância do Montenegro (Rua José Luiz, 1910)
Horário: 16h

26/10/15 – Camaquã
Local: Teatro Sesc (Rua Marcírio Dias Longaray, 01)
Horário: 20h

27/10/15 – Pelotas
Local: Bibliotheca Pública Pelotense (Praça Coronel Pedro Osório, 103)
Horário: 20h

29/10/15 – Alegrete
Local: Centro Cultural Adão Ortiz Houayek (Praça Oswaldo Aranha, s/nº)
Horário: 20h

30/10/15 – Santa Rosa
Local: Teatro Sesc (Rua Concórdia, 114)
Horário: 20h30

31/10/15 – Ijuí
Local: Teatro do Sesc (Rua Crisanto Leite 202)
Horário: 20h

01/11/15 – Carazinho
Local: Auditório do Colégio Aparecida (Rua Bernardo Paz, 114)
Horário: 20h

03/11/15 – Passo Fundo
Local: Teatro Sesc (Av. Brasil, 30)
Horário: 20h