Encontro Ponto a Punto – Corredor Cultural em Pelotas

O Projeto Ponto a Punto, parceria entre a Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Ministério da Cultura e sociedade civil, terá nos dias 8, 9 e 10 de dezembro mais uma de suas atividades.

O Corredor Cultural terá shows, debates, palestras e roda de conversa. As ações serão realizadas no prédio do Grande Hotel, no centro histórico de Pelotas.

Proposta de internacionalização do Programa Cultura Viva – Pontos de Cultura na América Latina, o Ponto a Punto integra um processo de fortalecimento e atenção às políticas públicas culturais para zonas de fronteira e intercâmbios culturais.

ponto-a-punto-banner-ccsCom o Corredor Cultural, a proposta é um Encontro Internacional de Pontos de Cultura e Coletivos Culturais e trocas de experiências institucionais entre Brasil, Uruguai e Argentina, com cerca de 80 pessoas para debater perspectivas futuras das políticas culturais para a fronteira. O Projeto Corredor Cultural é uma prática que vem se desenvolvendo entre as cidades brasileiras de Rio Grande, Pelotas, Jaguarão, Porto Alegre e Melo, Rio Branco e Montevidéu há mais de uma década.

O Encontro Ponto a Punto vai trabalhar na perspectiva de integração cultural em especial entre Brasil e Uruguai e seus agentes culturais, universidades, entes governamentais e da sociedade civil. O encontro pretende articular agentes principalmente das cidades de Montevidéu, Melo, Rio Branco Jaguarão, Pelotas, Porto Alegre e Rio Grande, na perspectiva de fortalecer e dar corpo a um corredor cultural de atuação permanente.

Além disso, o Encontro permitirá uma discussão preparatória para o Congresso Latino-Americano de Cultura Viva Comunitária que ocorrerá em Quito, no Equador, em 2017, e também da Rede de Organizações do IberCulturaViva, programa de cultura comunitária no âmbito da OEI com participação de mais 12 países ibero-americanos.

O encontro também irá debater os desafios da Política Nacional Cultura Viva, e a Rede RS de Pontos de Cultura, envolvendo mais de 40 Pontos de Cultura do Rio Grande do Sul e convidados de outros estados brasileiros.

Para isso, irá articular ativistas e artistas do Uruguai, a Direção Nacional de Cultura do Ministério da Educação e Cultura do Uruguai, da Rede Nacional e Estadual dos Pontos de Cultura e de diversos Pontos de Cultura do RS, a Rede Cultura Viva Comunitária do Uruguai – em especial os Pontos de Fronteira -, bem como grupos culturais de Audiovisual, Movimento Hip-Hop, Periferia e grupos de Cultura Afro.

O Encontro também proporcionará uma rica e diversa Mostra Cultural que irá incentivar trocas culturais entre artistas brasileiros como KL Jay, Nei Lisboa, Quintal de Sinhá, o historiador Célio Turino e artistas uruguaios de Candombe e Música Popular Uruguaia através de oficinas, espetáculos de teatro e música e audiovisual.

O objetivo principal do Encontro, além de promover o intercâmbio e integração latino-americana é também de dar consequência prática ao Acordo Bi-Nacional firmado entre o Ministério da Cultura do Brasil e do Uruguai em 2010. E, assim, fortalecer cada vez mais os laços culturais dos povos e sociedades através de iniciativas dinâmicas e plurais de intercâmbio, residências artísticas e articulação política.

Integração
No primeiro momento, o Ponto a Punto realizou o intercâmbio – residências artísticas – envolvendo músicos de cinco países: Colômbia, Argentina, Uruguai, Peru e Chile, integrando com a programação da 1ª Bienal das Artes da UFPel, que ocorreu em novembro de 2015. Na ocasião, os músicos residentes também beberam da rica fonte da cena cultural sul-riograndense, tocaram, cantaram e se mesclaram entre os movimentos, as expressões e as atividades, em um diálogo colaborativo entre professores, produtores e intelectuais desse setor.

Programação:

Dia 8 de dezembro, quinta-feira – jueves:

Mesa de Abertura Ponto a Punto: 14h
Local: Grande Hotel – Praça Coronel Pedro Osório

– Reitor da Universidade Federal de Pelotas, Mauro Del Pino
– Diretor de Arte e Cultura da Universidade Federal do Rio Grande, Law Tissot
– Cultura Viva Comunitária e Usinas Culturales (Uruguai), Florencia Yacobucci e Grabiel Grau
– Representante da Rede RS de Pontos de Cultura, Leandro Anton
– Representante Pontos de Cultura Região Sul, Herberto Peil Mereb
– Secretário de Cultura de Pelotas, Giorgio Ronna
– Secretária de Cultura de Jaguarão, Maria Fernanda Passos

Trinta Anos de Rap no Brasil: 15h

Palestra: KL JAY (Racionais MC’s)
Mediadores:
– Valdir Robe Junior (Pelotas)
– Jair Brow (Pelotas)
– Fabiana Menini (PoA)

Mostra Cultural: 19h
– DJ Vagner
– Zudizilla – Pelotas
– DNZL & Negra Jaque (Auto de Resistência) – Porto Alegre
– IN Rua Batalha dos 300

Dia 9 de dezembro, sexta-feira – viernes:

10h – Debate
Cultura Viva Comunitária na América Latina: 10h
Local: Grande Hotel – Praça Coronel Pedro Osório
– Conferência de Célio Turino

Desafios da Política Nacional Cultura Viva: 14h
– Célio Turino – historiador, ex-Secretário de Cidadania Cultural do MinC
– Rede RS Pontos de de Cultura
– Pedro Vasconcellos – Gestor Cultural, Agência Mobilis

Desafios da Política Cultura Viva RS – Rio Grande do Sul: 16h
Roda de Conversa conduzida pela Comissão Estadual RS Pontos de Cultura com Pontos de Cultura da Rede RS

Mostra Cultural: 20h
– “Combate: corpos mortos, vivos e por vir” – Grupo Experimental da Faculdade de Teatro – UFPel Teatro
– Tambores, Ritmos do Norte e Sul do Brasil e do Uruguai: Tacer Berindruns – Sergipe – Sebástian Jantos – Uruguai – Dilermando Martins Mestre Griô – Pelotas
– Serginho da Vassoura – Música de Rua

Dia 10 de dezembro, sábado:

Roda de Conversa
Audiovisual: 10h
Local: Grande Hotel – Praça Coronel Pedro Osório
– Ponto de Cultura TV OVO – Santa Maria
– Ponto de Cultura Catarse – Porto Alegre
– Moviola Filmes – Pelotas
– Setor 3 Laboratório de Mídia Livre / Incubadora Cultura Viva – FURG
– Josias Pereira – Faculdade de Cinema UFPel

Corredor Cultural Uruguay-Brasil: 14h
Universidades, Governos e Sociedade Civil – Intercâmbios:
– Herberto Mereb – Ponto de Cultura Outro Sul
– Florencia Yacobucci – Cultura Viva Comunitária (Uruguai)
– Grabiel Grau e Usinas Culturales (Uruguai)
– Maria Fernanda Passos – Secult Jaguarão
– Giorgio Ronna – Secult Pelotas
– Denise Bussoletti – PREC – UFPel
– Emiliano Firmani –Iber Cultura Viva
– Vinicius da Costa Rocha – Incubadora Cultura Viva / FURG

Corredor Cultural, Experiências da Artivistas
– Vicente Boti – Artista
– Sebastian Jantos – Artista
– Gregoire Cheynet – Direção Nacional de Cultura – Uruguai
– Representante de Rede Pontos de Cultura Argentino
– Representante do Iber Cultura Viva
– Representante Cultura Viva Comunitária – Uruguai

Mostra Cultural de Encerramento: 19h
Local: Rua Alberto Rosa – Em Frente Centro de Artes UFPel
– Vicente Boti – Jaguarão – Rio Branco
– Sebastian Jantos / Candombe – Montevideo
– Quintal de Sinhá – Pelotas
– Nei Lisboa – Porto Alegre

ponto-a-punto-banner-ccs

Documentário pelotense “De baixo da Ponte ou Na beira do rio” estreia em dezembro

No próximo dia 3 de dezembro (sexta-feira), acontece a estreia pública e gratuita do documentário pelotense “De baixo da Ponte ou Na beira do rio” (16 min), sendo esta primeira exibição realizada junto a comunidade retratada.

O documentário produzido entre os anos de 2014 e 2016 junto a comunidade que vive na margem do canal São Gonçalo na cidade de Pelotas é uma produção local que será exibida de forma gratuita em diversos pontos da cidade nos finais de semana do mês de dezembro.

De baixo da ponte ou Na beira do rio (2016) é um documentário investigativo do gênero observativo com roteiro e direção de Andruz Vianna. A captação aconteceu ao longo de oito meses, quando o contato com o grupo de habitantes revelou o que se tornaria o foco do documentário, um enorme senso comunitário instalado naquela sociedade. A perspectiva desde o alto da ponte é o ponto de vista comum da população e foi mantido na narrativa visual.

No dia 2 de dezembro, quinta-feira, às 20h será realizado o pré lançamento no pátio interno da Secretária Municipal de Cultural. Dia 3, a estreia oficial será realizada de baixo da ponte Alberto Pasqualini, com direito a uma pedalada guiada até o local, com saída às 19h30min do Mercado Central.

Acompanhe a página do filme no facebook, debaixodaponteounabeiradorio, para ficar por dentro dos próximos locais e datas de exibição.

A equipe do documentário tem Andruz Vianna na direção, roteiro e montagem; Lucas Mendonça na co-direção, áudio direto e imagens; Juliana Charnaud como assistente de direção, produção de imagens e fotografia; Alejandro Escobar, imagens; Pesquisa de Cauê Lima Canabarro e Ana Isabel Corrêa, assessoria de imprensa.

A finalização e exibição do documentário tem financiamento do Procultura 2016 da Secretaria Municipal de Cultura de Pelotas.

14615694_317756411934303_1683187485388382662_ocartaz-bici

“Primeiro Dia de Ler” será realizado em Pelotas

A Sala de Leitura Erico Verissimo, da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Pelotas (FAE/UFPel) e a Bibliotheca Pública Pelotense (BPP) realizam, nesta sexta-feira (25), o “Primeiro Dia de Ler”.

O encontro terá, entre outras atrações, entrega oficial da Biblioteca à Escola Estadual Fernando Treptow, leituras, lançamentos e atividades artísticas. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo e-mail cris@ufpel.tche.br.

O evento tem o apoio da FAE, da BPP, do PET Educação, do Grupo de Estudos em Leitura Literária e da Livraria Vanguarda.

Programação

Manhã – 9h
Escola Estadual Fernando Treptow
– Entrega oficial da Biblioteca à Escola com projeção de imagens, apresentação do projeto e entrega do espaço restaurado;
– Leitura de Poemas escritos para a Biblioteca;
– Inauguração com a visita dos convidados (corte da fita no espaço infantil);
– Café com bolo

Tarde – 14h
Bibliotheca Pública Pelotense
– Explanação oral sobre o tema “Bibliotecas no Rio Grande do Sul”;
– 16h: Show de violão e voz, café com docinhos e visita à Exposição da obra “Quintal ao Lado”, ilustrada por Helena Xavier;
– 17h: Lançamento do livro “Qorpo Santo”, de Luis Dill;
– 18h: Encerramento com esquete de Leonardo Capra e entrega de certificados

dia_de_ler

Curso sobre literaturas africanas de língua portuguesa na ONG Cirandar em Porto Alegre

Demétrio Paz ministra a atividade, que integra as reflexões do Dia da Consciência Negra.

projeto-cirandarO professor Demétrio Paz irá ministrar o curso Literaturas Africanas de Língua Portuguesa em Parspectiva, promovido pela ONG Cirandar a partir das reflexões sobre o Dia da Consciência Negra. O objetivo é oportunizar um conhecimento sobre a produção literária dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP).

A atividade prevê leitura e discussão de textos literários, discussão da temática racial e étnica como elemento constitutivo da identidade, além da apreciação da literatura como forma de representação do mundo. Serão três encontros: nos dias 25/11, 2/12 e 9/12, sempre das 14h às 18h na Ong Cirandar (Rua dos Andradas, 1780 – 3º andar). As inscrições custam R$ 150 e podem ser feitas clicando aqui. Todo o investimento no curso será revertido para as ações comunitárias desenvolvidas pelo Cirandar.

Demétrio Paz é graduado em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2000), mestre em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2004), doutor em Teoria da Literatura pela PUCRS (2011) e Pós-Doutor em Letras pela UFRGS (2015). Atualmente é professor adjunto de Teoria Literária e Literaturas de Língua Portuguesa na Universidade Federal da Fronteira Sul, campus Cerro Largo (RS), com ênfase em Literaturas Africanas de Língua Portuguesa, Ensino de Literatura, Literatura Portuguesa, Literatura Brasileira, Literatura Infanto-Juvenil e Teoria da Literatura.

A Ong Cirandar é uma organização sem fins lucrativos que dialoga e repensa alternativas para a educação, a transformação e a inclusão dos sujeitos culturais, comunicativos e criativos. Desenvolve projetos de democratização do acesso ao livro e à leitura e do acesso à cultura e fruição artística, de promoção da música e valorização da cultura popular, além do fortalecimento institucional de organizações do terceiro setor.

Fonte: Raphaela Donaduce Flores – Dona Flor Comunicação

Nossopapo na Virada Cultural Pelotas 2016

Nossopapo vai homenagear, dentro da programação da Virada Cultural, o Sopapo, tambor de origem africana típico de nossa região, a partir das 10h no Largo do Mercado Central. A apresentação vai exaltar a cultura em Pelotas e, especialmente na data que faz referência à Consciência Negra.

Buscando abordar o Sopapo da forma mais ampla possível, trazendo à população informações sobre o instrumento e a oportunidade de participar de forma ativa da execução musical utilizando o Sopapo.

Programação:
10h – roda de conversa com o Prof. Dr. Mario Maia (que desenvolveu tese de doutorado em Etnomusicologia sobre o tambor de Sopapo)
11h – roda de conversa com Dilermando (da ONG Odara e aprendiz Griô do Mestre Baptista)
12h – a construção do Sopapo, com Mario Maia e Dilermando
13h – oficina de percussão, com Renato Popó
14h – apresentação da peça musical composta especialmente para o evento (a peça será composta com antecedência, por Renato Popó) e ensaio com os participantes
15h – desfile/cortejo

15135999_1540427929317108_6024354862999471307_n

Livro Genética do Amor será lançado na Feira do Livro de Pelotas

Neste sábado, 19 de novembro de 2016, 19h, acontece na Feira do Livro de Pelotas o lançamento do livro Genética do Amor.

Foto: Leandro Lopes
Foto: Leandro Lopes

Genética do Amor é um livro que conta uma história de amor entre mãe e filha que estiveram por 9 meses em lugares diferentes. Ele nasceu de uma necessidade de contar ao mundo nossa história de amor e com isso talvez “contaminar” corações.

“Eduarda desde os três anos de idade começou a me falar de sua inconformidade de não ter saído de minha barriga, por muitas vezes chorou por isso, e eu como toda mãe queria poder ter lhe dado a barriga que tanto queria, mas embora nossa história seja maravilhosa ela não teve um começo habitual, tudo em nossa vida foi mágico.” Grace de Carvalho Ferreira

Para Duda isso sempre foi um motivo de desvantagem em relação à seus irmãos, foi aí que surgiu a ideia do livro, seria algo que só ela teria, seria única, e parece ter dado resultado ela já os desafia dizendo: Tudo bem, eu posso não ter tido a barriga, mas o livro só eu terei…
Genética do Amor é recheado, de crônicas e neles está contida toda história de nossa vida.
Ele aborda o tema adoção de forma vivida e prática.

Grace escreveu os textos e Eduarda os ilustrou, é um trabalho conjunto de mãe e filha.
A chegada de um bebê é sempre a chegada de um bebê, arriscar-se a parir com o coração é o maior ato de desapego em busca do amor.

“Depois de dois partos biologicamente normais fui contemplada por essa “gravidez cardíaca” e isso foi tudo de bom… Nosso sangue é apenas vermelho e o que fez Eduarda crescer foi o amor, a proteção, o respeito e nosso compromisso em sua formação, na construção da pessoa de verdade que desejamos que seja.” Grace

O livro tem o trabalho profissional de Duda Keiber, Mariana Heineck da 222 produtora e de Valder Valeirão da Nativu Designer. Quem assina o prefácio de Genética do Amor é o promotor José Olavo Bueno dos Passos e a contracapa fica com o texto que Marcos Piangers nos presenteou.

Para fazer uso nos lançamentos foi produzido um curta-documentário assinado por Leandro Lopes e com co-produção de Michele Ferreira.
Genética do Amor tem patrocínio de Arroz emoções, Central da Costura e MAB Centro de Idiomas. Apoio 222 Produtora, Nativu Design e Agência Incomum.

“Os planos futuros são de fazer de Genética do Amor uma grande bandeira á favor da adoção, quero ir com Eduarda a todas as capitais do Brasil lançar nosso livro contando ao mundo o quanto somos felizes!”

Teatro de Bonecos: O Urso com Música na Barriga estreia em Porto Alegre

A peça encenada pelo Atimonautas – Teatro de Bonecos e dirigida por Arlete Cunha estreia dia 19 de novembro na Cia de Arte e terá apresentações aos sábados e domingos às 16h. O Urso com Música na Barriga, uma história de Erico Verissimo que encanta gerações há mais de 70 anos.

Foto: Miguel Sisto
Foto: Miguel Sisto

O texto de Erico Verissimo, escrito em 1938, não poderia ser mais atual. Trata de temas como intolerância, dificuldade de comunicação e bullyng, assuntos muito discutidos nos dias de hoje. Passados mais de 70 anos, o “diferente” ainda sofre preconceito e é discriminado na sociedade, e a falta de comunicação é cada vez mais percebida em tempos midiáticos. A história de O Urso com Música na Barriga impressiona pela riqueza de seu enredo, pela engraçada peculiaridade de seus personagens e, sobretudo, pela forte mensagem de humanidade que carrega. Montado pela primeira vez por uma companhia de teatro, a peça estreia dia 19 de novembro na Cia de Arte. O projeto, contemplado pelo Fumproarte, inclui ainda apresentações gratuitas para escolas.

Dirigido pela atriz Arlete Cunha e montado pelo grupo Atimonautas, o espetáculo valoriza esse que é um dos mais importantes textos da nossa literatura infantil. A estória do livro é baseada no convívio dos animais do Bosque Perdido e a vida do Pequeno Urso, que é especial por se comunicar de uma forma inusitada, através da música que sai da sua barriga. “Esta característica foi essencial na escolha, pois vivemos momentos de intensos debates nas escolas e na sociedade sobre o preconceito, a discriminação social e o bullying” afirma o ator e manipulador Alberto Vermelho. Com forte apelo poético, inserida no fascinante mundo do teatro de animação a história traz motivos para reflexão sobre esses importantes temas contemporâneos.

Apesar de ser mais reconhecido por sua obra adulta, Verissimo, também se destacou com maestria na literatura infantil. Na sua imaginação mais do que fértil, criou histórias que mesclam os contos de fadas com a contemporaneidade, fazendo conviver personagens humanos com personagens animais e inanimados – ambos com comportamento e características humanas, interagindo em um universo lírico e poético sem igual. A principal produção literária infanto-juvenil de Erico se concentra em onze livros. Alguns pesquisadores afirmam que o autor teve publicada a impressionante soma de 195 mil exemplares entre final dos anos 30 e início dos 40. Segundo a pesquisadora Cristina Maria Rosa (UFPel, 2012) “foi a literatura para crianças produzida intensamente, com tiragens numerosas e em curto espaço de tempo que “apresentou” Verissimo para as famílias gaúchas… O mercado, ávido pelo gênero recém inventado no Brasil – o literário infantil – soube dar o retorno esperado por Erico que, obra a obra, tornou-se um campeão de vendas e consolidou sua influência.”

Foto: Miguel Sisto
Foto: Miguel Sisto

O grupo Atimonautas escolheu usar bonecos de manipulação direta (grandes e pequenos), bonecos de vestir e marotes, num grande esforço para representar as diversas atmosferas da obra de Erico Verissimo. Essas técnicas fazem parte do universo mágico do teatro de animação e, ao interagirem, produzem efeitos que tendem a uma representação do fantástico, mergulhando no ambiente dos contos de fadas. O método de trabalho do grupo foi estabelecido pelo convívio profissional que iniciou em 2005. Através de pesquisas, improvisações e diálogos contínuos, os integrantes, em encontros diários, vão elaborando as cenas e estudando os movimentos dos bonecos até o ponto em que as cenas tomem forma e façam sentido dentro da dramaturgia pretendida. A novidade no processo de concepção do grupo Atimonautas, para a montagem O Urso com Música na Barriga, é a direção de Arlete Cunha, atriz de notável destaque na cena de Porto Alegre. A iluminação também tem importante papel e, portanto, o iluminador Vinícius Lopes assumiu a tarefa de encontrar as nuances certas que contribuirão com os tons coloridos da encenação. A sonoplastia é assinada por Ricardo Pavão, experiente compositor acostumado às necessidades do teatro e recentemente premiado pela trilha da montagem cênica Um dia Assassinaram a Minha Memória.

O próprio nome Atimonautas é sugestivo: átimo (fração de tempo) + Nauta (viajante). Estimulados pelas experiências pessoais do 5º Fórum Social Mundial realizado em Porto Alegre, uma equipe composta de artistas, educadores e técnicos criou o grupo na ânsia de reinventar a ordem mundial. Reinventar ou ao menos tentar mudá-la. O grupo de bonequeiros tem como característica básica a linguagem teatral, mais especificamente a do Teatro de Animação Contemporâneo.

O Urso com Música na Barriga
Estreia dia 19 de novembro, às 16h
Apresentações aos sábados e domingos, 16h – até dia 27
Teatro da Cia de Arte – Rua dos Andradas, 1780
Entrada Franca

Ficha técnica:
Texto: Erico Verissimo
Direção: Arlete Cunha
Assistente de direção: Dedy Ricardo
Atuação/manipulação: Alberto Vermelho, Dênis Moreira, Mairã Alves e Jacqueline Rosa
Narração: Dedy Ricardo
Locução: Alberto Vermelho, Dedy Ricardo, Dênis Moreira, Jacqueline Rosa, Ricardo Pavão e Rafael Cambará
Criação e confecção de bonecos: Ateliê Nunes
Cenários e figurinos: Dênis Moreira
Engenharia eletrônica: Marcelo Patines
Iluminação: Vinícius Lopes
Trilha original: Ricardo Pavão
Instrumentistas: Betânia Demétrio (flauta doce), Ingrid Locks Schmitt (saxofone) e Ricardo Pavão (cordas e percussão)
Gravação de trilha: Mosaico Produtora Cultural
Designer gráfico: Dídi Jucá
Produção Grupo Atimonautas: Alberto Vermelho
Produção: Miguel Sisto Jr.
Assessoria de imprensa: Bebê Baumgarten

Agendamentos escolas: com Miguel Sisto / miguelemcena@gmail.com / telefone 51 9273.2740
Saiba mais: www.facebook.com/oursocommusicanabarriga

Fonte: Bebê Baumgarten / Ana Karla Severo/ BD Divulgação

Dois Irmãos recebe Concerto Didático com a Orquestra de Câmara da Ulbra

Projeto financiado pelo Pró-Cultura RS com patrocínio da Vivo realizará dez concertos para escolas da rede pública em municípios do Rio Grande do Sul, entre os meses de agosto e novembro.

A Orquestra de Câmara da Ulbra estará em Dois Irmãos, no dia 23/11, às 14h30, no Salão de Eventos do Centro Esportivo do Sesi (Rua Alberto Rübenich, 11, Bairro Vila Rosa) apresentando um concerto gratuito para estudantes da rede pública.

Foto: Sofia Cortese
Foto: Sofia Cortese

Serão executadas obras de importantes compositores de diversas nacionalidades, como Vivaldi, J.S. Bach, W.A. Mozart, Ramon Rios e também de brasileiros como Ernani Aguiar, Arthur Barbosa, Jacob do Bandolim e Alfred Hulsberg – nascido na Alemanha e radicado em Porto Alegre na década de 1950. O repertório mistura composições clássicas e contemporâneas, que vão do Barroco até regionalistas como o maracatu, baião, frevo e choro, culminando na apresentação da música folclórica argentina e gaúcha. O objetivo é democratizar o acesso à música orquestral e formar novas plateias, contribuindo na ampliação dos horizontes culturais dos alunos.

A elaboração do repertório e a regência dos concertos é do maestro Tiago Flores, que desenvolve projetos nesta área há mais de dez anos. Durante o espetáculo, ele conversará com as crianças, explicando os instrumentos, obras e compositores apresentados. Ao final da apresentação, os alunos são convidados a interagir com a Orquestra.

A iniciativa faz parte do projeto Concertos Didáticos, que está em sua sexta edição e é financiado pelo Pró-Cultura RS, com patrocínio da Vivo via plataforma Vivo Transforma, com apoio das Secretarias Municipais e Estadual de Educação. Com a apresentação de Dois Irmãos, completam-se os dez concertos propostos pelo projeto, que teve início em agosto e já passou por Alvorada, Gravataí, Sapiranga, Campo Bom, Canoas, Guaíba, Novo Hamburgo e Estância Velha, contemplando mais de cinco mil alunos com idades entre 8 e 12 anos.

Para participar, é necessário de inscrição prévia por parte das escolas, pelo email orquestra.ulbra@gmail.com.

Musicalização para professores
Antecipando a apresentação, será realizada uma oficina de apreciação e musicalização para os professores. Serão distribuídos para cada escola participante um CD com o repertório executado e cartilhas para os alunos, para que os conteúdos possam ser repassados e trabalhados antes da apresentação. Essas ações buscam fomentar o estudo aprofundado do conteúdo antes e após os concertos.

Vivo Transforma
A série Concertos Didáticos integra a plataforma Vivo Transforma, que promove o desenvolvimento sustentável por meio de iniciativas voltadas à democratização do acesso à cultura e o envolvimento das comunidades. Em 2016, serão mais de 90 projetos apoiados por meio das leis de incentivo fiscal, em diferentes regiões do país, com foco em transformação social, revelação de novos talentos e valorização da cultura nacional.

CONCERTOS DIDÁTICOS COM ORQUESTRA
23/11: Dois Irmãos
Horário: 14h30
Local: Salão de Eventos do Centro Esportivo do Sesi (Rua Alberto Rübenich, 11, Bairro Vila Rosa)

Realização: Orquestra de Câmara da Ulbra
Patrocínio: Vivo
Financiamento: Pró-Cultura RS – Secretaria de Estado da Cultura – Governo do Estado do Rio Grande do Sul

Fonte Raphaela Donaduce Flores – Dona Flor Comunicação

Seminário em Pelotas aborda influência do escritor Simões Lopes Neto na literatura brasileira

Em homenagem a vida e as obras de um dos principais escritores do Rio Grande do Sul e do Brasil no século XX, o Sistema Fecomércio-RS/Sesc promoverá o seminário “Simões Lopes Neto: 100 anos de Memória”, em Pelotas.

O evento ocorrerá no dia 21, das 9h às 16h30, e no dia 22 de novembro, das 8h30 às 17h30, na Bibliotheca Pública Pelotense (Praça Coronel Pedro Osório, 103), com inscrições gratuitas pelo site www.sesc-rs.com.br/cultura/seminario.php. A iniciativa integra o Biênio Simoniano (2015-2016) como programação paralela à mostra Simões Lopes Neto – onde não chega o olhar prossegue o pensamento, que segue até o dia 18 de dezembro, no Santander Cultural, em Porto Alegre. Mais informações podem ser obtidas junto ao Sesc Pelotas (Rua Gonçalves Chaves, 914), pelo telefone (53) 3225.6093 e na página www.facebook.com/sescpelotas.

Durante o seminário serão abordados os tópicos: escritores/leitores de Simões Lopes Neto: uma introdução; a Salamanca e o mito Fáustico; como se inventa uma nação; a construção do homem; Blau Nunes, viajante; a importância do escritor João Simões Lopes Neto para a literatura brasileira e universal; um novo olhar para um novo Simões; a Salamanca de Jarau, a primeira manifestação crítica; lucidez e memória; a primeira biografia e os últimos anos. Cada participante poderá emitir seu certificado após 15 dias do término do evento, por meio da busca pelo próprio CPF, no site do Sesc/RS. Sugere-se a doação de 2kg de farinha de trigo ou milho, que serão revertidos às entidades cadastradas no Programa Mesa Brasil.

simoeslopesneto

Biênio Simoniano – Em 2015 completaram-se 150 anos de nascimento do escritor gaúcho João Simões Lopes Neto, e em 2016 cem anos da sua morte. Considerado por estudiosos e críticos como o maior autor regionalista do Rio Grande do Sul, Simões Lopes Neto buscou, em sua produção literária, valorizar a história do gaúcho e suas tradições. Pela importância destas datas a Secretaria de Estado da Cultura (Sedac), em parceria com a Prefeitura de Pelotas e o Instituto Simões Lopes Neto, criaram o projeto que resultou no decreto do Biênio Comemorativo. O Sistema Fecomércio-RS/ Sesc aderiu ao Biênio Simoniado e tem organizado, pelo Arte Sesc – Cultura por toda parte, uma série de projetos relacionados à obra de Simões Lopes Neto.

Seminário “Simões Lopes Neto: Cem anos de Memória – Pelotas

Programação:

Dia 21 de novembro
9h – Abertura
9h30 – Fausto José Leitão Domingues – Os Estudos Preparatórios de João Simões Lopes Neto
10h30 – intervalo
11h – Cláudia Antunes – Escritores leitores de Simões Lopes Neto: uma introdução
14h – Antonio Hohlfeldt – Como se inventa uma nação
15h – Mário Barbosa de Mattos – Simões Lopes Neto e sua terra natal
16h – intervalo
16h30 – Maria da Glória Bordini – Blau Nunes, viajante

Dia 22 de novembro
8h30 – Kathrin Rosenfield – A importância de SLN para a literatura brasileira e a universal
9h30 – Luiz A. Fischer – Um novo lugar para um novo Simões
10h30 – intervalo
11h – Hilda Simões Lopes – A Salamanca do Jarau
14h – Luís Borges – A primeira manifestação crítica
15h – Maria Luiza Armando – Lucidez e memória
16h – intervalo
16h30 – Claudia Laitano – A primeira biografia
17h30 – Carlos Francisco Sica Diniz – Os últimos anos de Simões

[IN]CÔMODO | Mostra de Arte Contemporânea em Pelotas

[IN]CÔMODO habita o Casarão 6 da Prefeitura Municipal de Pelotas, de 08 a 25 de novembro de 2016. A Mostra de Arte Contemporânea reúne trabalhos de artistas em formação pelo Centro de Artes da Universidade Federal de Pelotas.

cartazAbra as portas e enxergue dentro
[IN]CÔMODO convida a entrar, sentir e se sentir no espaço. Provoca a olhar ao redor sob a luz de uma outra perspectiva, a perceber as minúcias do percurso, a experimentar novas estratégias de acesso à essência das coisas, a reagir a tensão do que está por acontecer e a investigar os fatores, internos e externos, que ditam o passo dessa transição. Propõe refletir sobre a efemeridade do corpo que constantemente se transforma e transforma o seu entorno a fim de abrigar suas novas necessidades.

De um lado, acomoda. Do outro, pulsa.
Enquanto a mostra de arte reflete o contexto contemporâneo que atravessa a existência do artista, questiona os limites do espaço expositivo ao se apropriar dos cômodos de um casarão que se impôs na história e adquiriu importante representatividade na memória da cidade.

[IN]CÔMODO mostra de arte contemporânea
Vernissage: 08.11 | 19 hs
Visitação: 09.11 a 25.11.16 | 08 a 18 hs
Local: Casarão 6 – Praça Cel Pedro Osório

[artistas] Bruna Silva | Diego Ribeiro | Felipe Pilotto | James Duarte | Jéssica Porciúncula | Maíra Makiyama | Mário García | Patrícia Khalil | Pedro Paiva | Pedro Parente | Rafael Drum | Yuri Pires

[curador] Helcio Oliveira

[coordenador] Daniel Acosta

cartaz