Material para formação de professores e educadores em artes visuais é disponibilizado

Imagem de um dos encontros do projeto Trocas e Olhares em unidade do Sesc. No primeiro plano, destaque para o uso da prancha e do cartão hexagonal com a reprodução da obra Sem título (2011), de Efrain Almeida, uma instalação que fica localizada no Sesc Santo Amaro

Estão disponíveis para download e consulta as propostas pedagógicas, textos de mediação e reproduções de obras do Acervo Sesc de Arte Brasileira utilizados no projeto de formação de professores Trocas e Olhares.

O Sesc São Paulo e suas unidades realizam regularmente programações voltadas à ação educativa em artes visuais. Dentre iniciativas como ações de mediação de exposições, seminários, cursos, oficinas e encontros de formação de professores e educadores, está o projeto Trocas e Olhares, lançado em 2018 (saiba mais), que leva a ação socioeducativa do Sesc diretamente a agentes fundamentais na formação de indivíduos críticos e providos de autonomia – em linha com o pensamento de Paulo Freire, referência mundial no campo da pedagogia.

Desenvolvido prioritariamente para uso nos encontros presenciais realizados nas unidades – dos quais já participaram mais de dois mil educadores –, o material gráfico foi produzido para que os participantes pudessem também levá-lo para utilização nas instituições em que trabalham.

O conteúdo do material lança mão de obras do Acervo Sesc de Arte Brasileira – a coleção permanente de arte do Sesc São Paulo, com obras em todas as unidades do estado – para estimular a experiência estética como fenômeno em si e também como disparador de processos de transformação individual e social. A proposta foi concebida em parceria com a Arteducação Produções (AEP) e é baseada na Abordagem Triangular, da educadora e pesquisadora Ana Mae Barbosa.

O paradigma de ensino de arte criado por Ana Mae Barbosa em 1987, quando foi diretora do Museu de Arte Contemporânea da USP, está calcado em três eixos: a apreciação artística, o fazer artístico e a contextualização histórica. Essa perspectiva, que vem sofrendo atualizações e revisões por parte da própria Ana Mae, segue como referência no campo da arte-educação no Brasil até os dias de hoje. Nos encartes de texto do projeto Trocas e Olhares, os pilares da abordagem são interpretados, respectivamente, a partir dos questionamentos: o que é isto?como se faz? e por que fazemos arte?

Detalhe do encarte “O que é isto?”, do material do projeto Trocas e Olhares

Além desses encartes, uma seleção de 24 obras do Acervo Sesc de Arte Brasileira foi reproduzida em pranchas acompanhadas de fichas técnicas, textos de aprofundamento e sugestões de desdobramentos em cima daquele trabalho artístico – pequenos cartões hexagonais trazem também detalhes das reproduções (veja a foto acima). Esses suportes servem de material de mediação em usos a serem definidos pelos próprios educadores e seus educandos nos mais distintos contextos educacionais.

CLIQUE NOS LINKS ABAIXO PARA BAIXAR OS ENCARTES DE TEXTO

Apresentação e Conversas sobre Acessibilidade
O que é isto?
Como se faz?
Por que fazemos arte?

CLIQUE NOS LINKS ABAIXO PARA BAIXAR AS REPRODUÇÕES DE OBRAS

Pranchas (24 obras)
Cartões hexagonais

O material do projeto Trocas e Olhares está disponível também na banca de publicações do aplicativo do Sesc São Paulo, disponível na App Store e Google Play.

O cronograma de encontros presenciais do projeto é regularmente atualizado em sescsp.org.br/trocaseolhares

Sobre Deco Rodrigues 6379 Artigos
Jornaleiro/Produtor cultural, social mídia, gestor de conteúdo web, pretenso escritor, autor estreante com o romance Três contra Todos.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*