Pelotas tem Centro de Atendimento a Síndromes Gripais (Centro Covid) já em funcionamento

Foto: Michel Corvello

Pouco menos de um mês depois de ter vistoriado a obra de reestruturação física do prédio destinado ao atendimento de doentes com síndromes gripais, a prefeita Paula Mascarenhas voltou, nesta sexta-feira (24), ao local para acompanhar a abertura da unidade de saúde à população. Em um primeiro momento, o Centro de Atendimento a Síndromes Gripais (Centro Covid) vai receber apenas crianças que apresentem problemas respiratórios, especialmente casos de Covid-19.

Paula foi recebida por profissionais equipados por EPIs e prontos para realizar os primeiros atendimentos. Acompanhada pelo deputado Federal Daniel Trzeciak (PSDB), percorreu toda a unidade e vistoriou as instalações. Guiada pela secretária de Saúde, Roberta Paganini, a prefeita conferiu a área na qual ocorrerá a triagem dos doentes – uma barraca instalada na parte externa do Centro. Nela, ficarão um enfermeiro e um técnico em enfermagem. Outro ponto inspecionado pela gestora-chefe do Município foram as alas destinadas à internação.

O Centro Covid tornará disponíveis 32 leitos, entre os quais 15 para crianças – 5 UTIs – e 17 destinados a adultos: destes, seis designados a pacientes que precisem de tratamento intensivo.

“Nossa prioridade, agora, é oferecer atendimento pediátrico e manter a internação de adultos na ala Covid do Hospital Escola da UFPel, como já vem ocorrendo. Conforme a demanda aumentar, iremos abrindo os leitos para os demais pacientes”, explicou a chefe do Executivo pelotense.

A secretária de saúde aproveitou a ocasião para confirmar que o Município já adquiriu e aguarda a chegada de 11 respiradores, capazes de aumentar o número de UTIs no Centro Covid e no HE.

Foto: Michel Corvello

Área de desinfecção

Entre as alterações realizadas na estrutura, a prefeita conheceu a área construída para desinfecção dos profissionais. De acordo com a responsável técnica pela unidade, Jaqueline Tomaschewski, todos precisarão passar pelos procedimentos previstos no protocolo da Organização Mundial da Saúde (OMS), em locais de atendimento de pessoas infectadas por agentes causadores de contágios, como o Sars-CoV-2.

O procedimento é feito em duplas, tanto para colocar, quanto retirar o EPI. A saída do local considerado contaminado exige cuidados redobrados. “Primeiro, deixam as máscaras, óculos, a fim de serem limpos com álcool a 70%. Depois um ajuda o outro a retirar o macacão descartável, a roupa usada por baixo, uma espécie de pijama, os dois pares de luvas, além dos protetores de calçados e os sapatos hospitalares. Depois disso, tomam um banho e colocam o próprio vestuário”, relata Jaqueline.

Se os profissionais forem embora, o ritual está concluído, mas, se o turno de trabalho prosseguir e estiverem fazendo uma pausa para a alimentação, ao retornarem precisam pôr novamente todos os equipamentos. “Dá trabalho e exige atenção, até porque precisamos ter cuidado para não infectarmos uns aos outros”, explica a técnica de Enfermagem Andreia Medeiros, que vai atender quem chegar à triagem.

Tanque de oxigênio

Paula também conferiu de perto o investimento que garantirá o atendimento de casos graves e colaborará para transformar a estrutura do Centro Covid em sistema muito parecido com o de um hospital – o tanque de oxigênio.

O cilindro comporta 4,2 mil metros cúbicos de oxigênio e foi adquirido em comodato pela SMS. O gás é comprado de uma empresa que monitora quando é necessário fazer o reabastecimento. “Um cilindro como esse tem capacidade para abastecer todos os leitos, nos quais haja a necessidade de uso de respiradores. É essencial a uma unidade que tratará pessoas essencialmente com problemas respiratórios”, explicou a secretária de Saúde.

Equipe de cem pessoas

O Centro Covid terá uma equipe de cerca de cem pessoas, das quais, em média, 30 deverão atuar por turno. Mesmo sendo gerida pela Secretaria da Saúde, a unidade contará com profissionais de várias instituições do segmento, além das universidades da cidade. Um comitê gestor foi criado com vistas à construção das escalas de trabalho.

A prefeita aproveitou para ressaltar que essa unidade, no que diz respeito a esforços, é que vai garantir a Pelotas o enfrentamento da pandemia, causada pelo novo coronavírus. “Graças à união de profissionais das Universidades Federal e Católica e de todos os hospitais do município, estamos montando uma equipe competente e qualificada ao desafio que está por vir”, disse Paula. Ela ainda parabenizou médicos, enfermeiros, técnicos de Enfermagem, nutricionistas, psicólogos, assistentes sociais e oficiais administrativos que trabalharão “para salvar mutas vidas”.

Solidariedade e união

Além do prédio ter sido reestruturado fisicamente, outra ação, desta vez de solidariedade, garantiu a abertura do Centro Covid de Pelotas: as doações empreendidas por empresas e moradores da cidade. Durante todo o período de preparação do local foram entregues, gratuitamente, aparelhos, tais como respiradores e monitores, camas hospitalares e colchões.

Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) também fizeram parte da “boa ação” coletiva, capaz de ajudar na abertura da unidade. Entre eles, destacam-se máscaras e calçados a serem usados em ambientes hospitalares.

Itens essenciais ao atendimento de pessoas internadas – lençóis, toalhas, capas para colchões e kits de higiene – foram cedidos por grupos de pessoas residentes em Pelotas. Ainda não se registrou o recebimento de uma televisão e o empréstimo de quatro contêineres, cujas destinações são guardar materiais e funcionar como refeitório. Todos os hospitais do município colaboraram com concessão temporária, enquanto for preciso, e doações de equipamentos e diversos produtos.

Veja quem doou e quais itens chegaram

  • Idealiza Verticais Incorporações: respirador.
  • Freedom: camas e colchões.
  • Sicredi: monitores.
  • Acpo Empreendimentos: monitores.
  • Containers Pinz: contêineres.
  • Vulcabras Azaleia: calçados profissionais para ambiente hospitalar.
  • Mario Rebello Laranjeira Jr: monitor.
  • Ricardo Fernandes de Souza Costa: respirador.
  • Casa Blumenau: travesseiros e tecidos para lençol, além de cobertores.
  • Iara Decorações: televisão.
  • Cenáculo: máscaras.
  • Doutora Carmen Fabres e amigas: toalha, máscaras e kits de higiene pessoal para pacientes.
  • Regina Alan e amigas: lençóis, toalhas, capas colchões

As pessoas interessadas em ajudar as unidades de saúde, referências no atendimento de possíveis infecções Covid-19, podem acessar o site Pelotas pela Vida, criado pela Prefeitura e Aliança Pelotas, com a meta de organizar o recebimento das doações em auxílio no enfrentamento da pandemia, causada pelo novo vírus.

+Site ‘Pelotas pela Vida’ centraliza doações durante a pandemia

Confira as fotos da reportagem no Flickr da Prefeitura.

Não caia em fake news.

Leia as notícias oficiais, sobre o novo coronavírus e outros assuntos de interesse público, no hotsite e nas redes sociais da Prefeitura de Pelotas: FacebookInstagram @prefeituradepelotasTwitter @PrefPelotas e canal WhatsPel.

Texto:  Alessandra Senna
Fonte: pelotas.com.br

Sobre Deco Rodrigues 6290 Artigos
Jornaleiro/Produtor cultural, social mídia, gestor de conteúdo web, pretenso escritor, autor estreante com o romance Três contra Todos.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*