Cinco documentários para conhecer algumas histórias e causos do Rock Gaúcho

Coletânea 'Rock Grande do Sul' impulsiounou bandas gaúchas no centro do país.
Ainda no clima de dia mundial do rock, celebrado na última segunda-feira (13), apresentamos aqui uma lista de documentários que contam um pouco da história deste gênero musical no Rio Grande do Sul. São registros que nos permitem conhecer um pouco da vida e obra de alguns personagens icônicos, bem como entender a importância que discos e músicas tiveram para o estilo.
.
A pandemia do Covid, e suas consequentes medidas de isolamento, fez com que diversas listas de filmes e documentários circulassem nas redes sociais. Para quem gosta de documentários sobre música destacamos aqui duas lista bem interessantes: “15 documentários de música para assistir na quarentena” publicada no site Tenho Mais Discos Que Amigos! e “33 documentários que ajudam a contar a história da música brasileira” no site Hits Perdidos.
.
Um gaúcho atento e bairrista, no entanto, sentirá falta em ambas as listas de filmes que abordam artistas e cenas musicais do Rio Grande do Sul. Estes filmes existem e, em sua maioria, estão disponíveis no YouTube. Então, com vocês, cinco documentários para conhecer algumas histórias e causos do Rock Gaúcho:
.
Rock Grande do Sul 30 anos
.
A primeira edição do festival Rock in Rio em 1985 colocou o rock em total evidência no país. As FMs brasileiras foram invadidas por nomes em ascensão como dos cariocas Blitz, Barão Vermelho, Kid Abelha e Paralamas, os paulistas do Ira!, Titãs, RPM e a turma de Brasília (Legião, Capital e Plebe Rude). A chama rock, no entanto, não se restringia ao eixo e estava acesa em vários cantos do país. A coletânea “Rock Grande do Sul”, lançada em 1986 pela gravadora RCA, foi a responsável apresentar os principais nomes da emergente cena do rock gaúcho. O documentário de 2016 celebra os 30 anos do disco trazendo depoimentos de vários personagens dessa histórias, como os integrantes das bandas selecionadas: Replicantes, Garotos da Rua, TNT, Engenheiros do Hawaii e DeFalla.
.

DeFalla – Sobre Amanhã
.
“A gente era banda de hipster, de nêgo descolado metido a besta”, dispara Edu K no começo do filme. Com direção de Diego de Godoy e Rodrigo Pesavento, o documentário ‘Sobre Amanhã’, título de uma das canções mais conhecidos do grupo, foi realizado durante o reencontro da formação clássica da banda em 2011. O clima de descontração em uma mesa do Bar Ocidente é perfeito para que Edu K (vocal), Carlo “Castor” Daudt (guitarra), Flávio “Flu” Santos (baixo) e Biba Meira (bateria) relembrem histórias e causos da banda e da cena na qual estavam inseridos. Imagens de arquivos e depoimentos de nomes como de Edgard Scandurra e de Carlos Miranda destacam o quanto o DeFalla foi inovador/inquieto/ousado.
.

Confidencial – História Rock e Amizade (Histórias Curtas RBS)
.
Fundador da banda Garotos da Rua, o guitarrista e cantor Bebeco Garcia faleceu precocemente em 2010, após uma operação para retirada de um tumor no cérebro. Com direção de Pablo Chasseraux, o curta-metragem de 15 minutos acompanha o filho de Bebeco, Pedro Garcia, em uma jornada atrás de antigos amigos e familiares para recontar a trajetória do pai guitar hero. Nos anos 1980, Bebeco e seus Garotos da Rua marcaram época emplacando músicas até em novelas da Globo. Em meados dos 90, o riograndino deu início a uma carreira solo que evidenciou suas influências de blues e sua técnica e feeling na guitarra.
.

O Futuro é Vórtex
.
Este documentário foi produzido pela TVE e narra a curta e agitada trajetória do famoso Estúdio/Produtora/Bar Vórtex. De propriedade da banda Os Replicantes, o local foi importantíssimo na cena underground portoalegrense da metade dos anos 1980. Por meio da Vórtex foram lançadas as primeiras demos de bandas como Os Cascavelletes, Graforréia Xilarmônica e Atahualpa y us Panquis.
.

História do Rock no RS
.
A qualidade de vídeo e áudio não é das melhores, mas trata-se de um registro histórico muito curioso. Este documentário foi ao ar pela RBS TV em fevereiro de 1986. Com depoimentos de jornalistas, como Juarez Fonseca e Eduardo Bueno, de vários músicos e populares, o documentário parte do pioneiro Liverpool, e seu disco “Por Favor, Sucesso” (1967), até chegar na efervescente cena da época.
Três curiosidades: 1 – segundo o jornalista Emilio Pacheco, neste vídeo hospedado no YouTube falta uma parte inicial do documentário na qual Ricardo Barão falava sobre o estúdio da Ipanema FM; 2 – há uma cena de ensaio da jovem TNT que foi utilizada no Rock Grande do Sul 30 anos (citado acima); 3 – há um raro registro da banda pelotense Vôo Livre falando da batalha que era gravar um disco de rock por estes pagos no começo dos anos 80.
.
.
Carlinhos Hartlieb – Um Risco no Céu (Histórias Curtas RBS)
.
O curta aborda a vida, e também a misteriosa morte, do cantor, compositor e ativista cultural Carlinhos Hartlieb. O audiovisual é assinado por Rene Goya Filho e conta com depoimentos de Bebeto Alves, Mutuca, Giba Giba, Nelson Coelho de Castro, Zé de Abreu (?!), entre outros.

Próximos Distantes – Doidivanas
.
O longa-metragem foi produzido quando a banda gravava e produzia seu quinto álbum, chamado “Próximos Distantes” (de 2017). O filme mostra o processo criativo do disco, enquanto os músicos recordam de histórias dos mais de 20 anos de Doidivanas.

A dupla Rene Goya Filho e Alexandre Derlam (roteiristas do curta Confidencial) também é responsável pelo longa “Mais uma Canção” (2013), sobre o cantor e compositor Bebeto Alves. Este filme, no entanto, ainda não se encontra disponível no YouTube ou outra plataforma online (confira trailer). Goya Filho ainda dirigiu a série “Porto Alegre – 100 Anos de Música”, apresentada por Arthur de Faria na TVE em 2014. Um dos quatro episódios foi justamente sobre “O Maldito Rock Gaúcho” (trailer da série https://www.youtube.com/watch?v=QAsbQIEORlQ).
.
Um documentário sobre o Julio Reny também está em processo de produção e deve ser lançados nos próximos meses/anos. Um primeiro teaser, publicado em abril, e mais detalhes sobre o projeto podem ser conferidos aqui.
.
E pra você, qual cena, disco ou artista ainda merece ter suas histórias contadas nas telonas? A singular mistura de regionalismo com música pop do Almôndegas, a vida do produtor Carlos Eduardo Miranda, a histórica coletânea Paralelo 30, a revolucionária rádio Ipanema FM, a mistureba do Ultramen, a impressionante e sustentável cena do fim dos 90 começo dos 2000 ou ainda uma série de animação livremente inspirada no personagem amigo punk? Assunto é o que não falta.
Sobre Cassio Lilge 167 Artigos
Jornalista, estudante de História, obcecado por música. Conhece menos atalhos em seu computador que a sua gata.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*