Em busca de transformação social, WinnieTeca fez mais de 2 mil livros circularem

Foto: Marília Dias

Idealizado pela gaúcha Winnie Bueno, o projeto busca democratizar o acesso à literatura, conectando doadores a pessoas negras que precisam de livros. Com mais de 4 mil pedidos registrados, a WinnieTeca já ultrapassou a marca de 2 mil exemplares despachados pelo Brasil em pouco mais de um ano.

O “Tinder de livros”, como já foi chamado, teve início no dia 20 de novembro de 2018 a partir de um tuíte da Bacharel em Direito. “Sabe o que seria legal no dia da Consciência Negra? Você, branco privilegiado que se diz antirracista, comprar um livro que um negro precisa e enviar para ele.”, escreveu Winnie em sua rede social. Para sua surpresa, houve várias respostas positivas de pessoas se dispondo a doarem livros.

Inicialmente, projeto foi tocado pelo perfil pessoal de Winnie. Devido a grande demanda de pedidos, a iniciativa ganhou uma plataforma própria, a @WinnieTeca, em uma parceira com o Twitter e o Geledés Instituto da Mulher Negra. Tanto para quem quer doar, como para quem quer solicitar uma obra, o procedimento é iniciado ao mandar uma mensagem direta para o perfil, que, automaticamente, responderá com um questionário.

Reprodução site UOL

Reconhecimento

Graduada em Direito pela UFPel, Winnie Bueno atualmente é doutoranda em sociologia pela UFRGS. Graças ao WinnieTeca, seu nome foi um dos destacados na lista de 19 mulheres de 2019 do site UOL, ao lado de Maju Coutinho, Fernanda Montenegro e Marta (confira lista completa).

No twitter, o projeto já recebeu apoio de celebridades como o rapper Emicida e a chef de cozinha e jurada do programa MasterChef Paola Carosella. O Winnieteca também já foi tema de uma matéria na revista Época e uma reportagem no programa Metrópolis da TV Cultura, que pode ser conferida no vídeo abaixo:

Obra de Angela Davis é uma das mais pedidas.

Os mais pedidos

Entre as obras mais pedidas no projeto, Winnie cita autoras feministas negras como: Angela Davis, Djamila Ribeiro e bell hooks. Há ainda uma grande demanda por livros acadêmicos de áreas como Direito, Medicina e Engenharias.

Além de ser uma plataforma responsável por conectar quem precisa de um livro a quem se dispõe a doar, a WinnieTeca também cumpre um papel importante no que diz respeito a recomendações literárias. Quem doa ou simplesmente segue o perfil tem a oportunidade de conhecer novas obras, autoras e autores. “Nossa produção de conteúdo é muito voltada para a intelectualidade negra, sobretudo feminina”, salienta Winnie.

No doutorado, Winnie dedica seus estudos ao pensamento da mulher negra, com foco na socióloga norte-americana Patrícia Hill Collins. Também é uma grande ativista pela maior inserção da produção intelectual negra na academia. Para quem quiser conhecer um pouco de literatura negra e feminismo negro uma ótima dica é a lista “30 livros para ler mais escritoras negras em 2019”, publicada pelo site do Geledés no começo do último ano.

Sobre Cassio Lilge 69 Artigos
Jornalista, estudante de História, obcecado por música. Conhece menos atalhos em seu computador que a sua gata.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*