O encerramento de um ciclo: skatistas se despedem da PPP – Pista Pública de Pelotas

O skatista João Vargas “Notorious” se destacou na best trick durante o We Love PPP, evento que marcou o último dia da pista pública de Pelotas, antes da demolição. Foto: Naíma Zee @naah_zee

Demolição do tradicional ponto de encontro do skate pelotense abre espaço para a construção da nova pista, uma antiga demanda dos skatistas da cidade.

O evento “We Love PPP”, que ocorreu neste domingo (18/07) na Pista Pública de Pelotas (PPP), reuniu diferentes gerações do skate para um último rolê no tradicional pico, localizado no Parque Dom Antônio Zattera. A demolição da pista para dar lugar a uma nova e ampliada skatepark iniciou na manhã de segunda-feira (19/07), com a presença de skatistas e autoridades políticas do município.

Evento de despedida da PPP reuniu diferentes gerações de skatistas pelotenses. Foto: Naíma Zee @naah_zee

“O nosso sonho de ter uma pista de skate nova e revitalizada acabou puxando um projeto maior, que vai revitalizar todo o Parque, com piso novo, iluminação, quadra de esportes, além da pista em si. É um benefício que vem para toda a comunidade de Pelotas”, conta Emanuel Bueno, skatista e um dos principais articuladores para a construção da nova pista.

O investimento no projeto é de cerca de R$ 1,3 milhão, de verba oriunda de emenda parlamentar do deputado federal Daniel Trzeciak, com contrapartida da Prefeitura de Pelotas. Trzeciak e a prefeita de Pelotas, Paula Mascarenhas, acompanharam o início do trabalho de remoção da pista.

Às 9h de segunda-feira (19/07) as máquinas já estavam a postos para dar início à retirada do concreto, há muitos anos desgastado pela ação do tempo, das cantoneiras de borda, corrimãos e ferros de proteção da mini rampa. Parte do material em ferro deverá ser reutilizado para a criação de novos obstáculos no espaço externo do Ginásio Municipal, atualmente um dos principais pontos para as sessões de skate na cidade. A manutenção dos obstáculos no Ginásio é feita pelos próprios skatistas.

Clique aqui e torne-se um apoiador e-cult

Skatistas acompanharam a demolição da pista na manhã desta segunda (19/07). Parte do material será reaproveitado em novos obstáculos no Ginásio Municipal. Foto: Paulo Ienczak.

Longa caminhada até a nova pista

Otavio Pereira de Souza (@otavio91skt) foi o skatista que fez o primeiro contato com o deputado Daniel sobre a pauta da reformulação da pista, no ano de 2019. Segundo Otavio, o primeiro desafio foi a construção de um projeto que atendesse às necessidades dos skatistas. 

“O pessoal da Prefeitura foi muito solícito, e sempre deixou claro que os projetos que eles dominam são na parte do urbanismo, que não havia um profissional especializado em pistas de skate.”

“Para viabilizar o projeto da pista que a gente sonhava, fizemos uma vaquinha online para aquisição de um projeto da Spot, empresa especializada na construção de pistas de skate. Por ser uma empresa gerida por skatistas, ganhamos um desconto no valor do projeto, pois os caras reconhecem e valorizam o corre da PPP e do skate pelotense”, contou Otavio.

PPP, na estante e no coração

A PPP foi ponto de encontro para os skatistas de Pelotas desde sua inauguração, em 2004. Para os amantes do carrinho de quatro rodas, ao presenciar o fim da tão querida pista, o sentimento é, ao mesmo tempo, de aperto no peito e esperança de um futuro promissor para o skate de Pelotas.

Foto: Paulo Ienczak

E os restos mortais da PPP não vão acabar apenas em uma caçamba de entulhos de obras. Os skatistas, que não se intimidaram pelo frio rigoroso do inverno pelotense e acompanharam desde cedo a demolição da pista, levaram fragmentos dos obstáculos de recordação. A jovem skatista Marina Martins Brauner, a Mai, integrante da Seleção Brasileira de Skate Júnior, foi uma delas.

“Mais da metade de toda a minha vida passei aqui na PPP, e foi na 45 (rampa inclinada em 45 graus do chão) daqui que dei meu primeiro drop (descer a rampa), então peguei esse pedaço dela para levar de recordação”, conta a skatista Mai, de 12 anos, cerca de 7 deles dedicados ao skate.

E não foi só a nova geração que fez questão de levar um pedacinho da PPP para usar como souvenir de uma era. O skatista veterano Régis “Piolho” também deu uma passada pelo local e coletou um pedaço de concreto da mini rampa.

Régis “Piolho” com uma parte da mini rampa para recordar sempre da PPP. Foto: Paulo Ienczak

“Essa reforma vem depois de anos de espera, demorou e muita gente foi embora de Pelotas por falta de um lugar bom para andar, é uma pena. Mas quem sabe essa galera retorna agora com a nova pista”, disse o skatista de 39 anos – 29 deles vividos em cima do skate. 

Um adeus com muitas manobras, prêmios, reencontros e amizades

Skatista e um dos principais articuladores do movimento pela revitalização do Parque, Emanuel Bueno, o Maneca, conta que o dia da despedida da PPP reuniu skatistas de gerações desde a década de 1980 até as crianças que representam o futuro da prática em Pelotas.

“Nos mobilizamos para esse evento (We Love PPP) de despedida da pista, com uma ideia de reunião da galera mesmo, não tinha nenhuma pretensão de ser um campeonato. Fizemos na hora ali um desafio da melhor manobra em cada um dos obstáculos, e recebemos o apoio de marcas e lojistas locais com peças, tênis, roupas, acessórios e até um vale pizza , então conseguimos distribuir os prêmios para essa gurizada que andou lá no dia”, explica. 

O skatista João Vargas “Notorious” se destacou na best trick durante o We Love PPP, evento que marcou o último dia da pista pública de Pelotas, antes da demolição. Foto: Naíma Zee @naah_zee

O skatista João Vargas “Notorious” (@joaovargasskt), 20 anos, foi um dos atletas premiados no evento, após executar muitas das melhores manobras, em cada obstáculo da PPP. 

“Esse foi o melhor evento que já corri, São 9 anos de skate, e tudo começou aqui na PPP ”, vibrou o atleta.

No skate, a inspiração para a arte

O skatista e artista visual/ilustrador Bruno Lavermo (@lavermobruno) também se fez presente no domingo para dar um último adeus à PPP. Lavermo, que é responsável pela arte do cartaz do evento de despedida, conta que o local foi palco de muitas vivências, de diversão e até mesmo de escolha de profissão. 

“O skate foi o que me fez trilhar de vez o caminho da arte. Desde o início a galera do skate me acolheu super bem, e a maneira de retribuir foi fazendo as artes dos flyers dos eventos. Hoje em dia essa é a minha profissão”, rememora o skatista.

Questionado sobre o futuro, Maneca acredita que devem surgir muitos novos talentos a partir da vivência na pista: 

“Imagina quantos Joãos, quantas Tatinhas, quantas Mais vão surgir (com a nova pista)? Quantos Tierres, quantos Theos, quantos Franciscos, quantos Otávios, Matheus, Maneca, Léo, Benhur, João, enfim, vai surgir muita gente, mano! Muita gente, saca?”

Dados da obra:
Projeto da pista: Spot Skate Parks Otimizados
Execução da obra da pista: Sul Skate
Execução da revitalização do Parque: empresa Guimarães e Santos Engenharia e Construções Ltda EPP
Operários da obra: skatistas da cidade devem ser contratados para compor a equipe que vai colocar a mão na massa na execução da obra da nova pista e revitalização do Parque.
Previsão da execução: 6 meses
Valor do investimento: R$ 1 milhão de emenda parlamentar do deputado Daniel Trzeciak, R$ 319 mil de contrapartida da Prefeitura de Pelotas.

Clique aqui e torne-se um apoiador e-cult

Conheça algumas imagens do projeto da nova skatepark do Parque Dom Antônio Zattera:

Reprodução projeto da nova pista do Parque Dom Antônio Zattera.

 

Reprodução projeto da nova pista do Parque Dom Antônio Zattera.

Texto: Paulo Ienczak

Sobre Paulo Ienczak 9 Artigos
Jornalista. Apaixonado por Hip Hop, skate, toda a cultura de rua que movimenta vidas e sonhos. Um mundo melhor é possível!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*