Projeto pelotense DasMina é contemplado no edital Natura Musical

B.art e Dola discotecando no Galpão - foto Eduarda Gaeta

Em dezembro, o programa Natura Musical anunciou os 43 projetos que serão patrocinados pela plataforma em 2021. Entre artistas, bandas e projetos de fomento de cenas e redes, inovação e inclusão, o coletivo DasMina de Pelotas está entre os contemplados para a produção de um EP com cinco faixas.

O programa patrocina iniciativas que, sobretudo, desenvolvem projetos artísticos com identidade própria, refletindo narrativas contemporâneas e gerando impacto social, econômico e ambiental positivo.

Neste edição, foram oito artistas e projetos do Rio Grande do Sul contemplados: Bê Smidt – Viridiana; Circuito Orelhas; Dessa Ferreira; Feijoada Turmalina; Gravina DasMina; Lanceiros Negros: aceleradora cultural; Pâmela Amaro – Samba às Avessas e Uma Sinfonia Diferente. Entre os selecionados de outros estados aparecem nomes como: Juçara Marçal, Linn da Quebrada, dona Áurea Martins, Rico Dalasam, Bia Ferreira, entre outros.

Confira a lista completa de projetos contemplados no site da Natura.

Em 2020, o edital Natura Musical completou 15 anos de existência, chegando à marca de R$ 159 milhões investidos no patrocínio de 467 projetos. Artistas como Vitor Ramil, Zudizilla, Tagua Tagua e Musa Híbrida foram alguns dos contemplados em edições anteriores do edital.

Clique aqui e torne-se um apoiador e-cult

Elas como protagonistas

DasMina – reprodução instagram

“Há quatro anos estávamos incomodando o Manoval para criar uma festa protagonizada por mulheres e hoje estamos selecionadas no edital”, declarou Bartira Marques, a B.art, quando o resultado foi divulgado. O Manoval que ela se refere é o produtor e sócio do Galpão, famosa casa de eventos na zona portuária de Pelotas.

A DasMina se consolidou como produtora de eventos na cidade, atuando também na criação de projetos para inclusão da mulher na música. Além da Bartira, o coletivo conta com Beatriz Costa, Isadora Vieira e Lara Costa. As duas últimas são responsáveis pela parte de social media e marketing do projeto. Já Beatriz e B.art dividem a produção cultural e executiva.

Segundo Beatriz, a produção do EP deve envolver artistas de diversas regiões do Brasil e as intérpretes serão escolhidas através de edital a ser lançado. As informações sobre este e outros projetos do coletivo podem ser acompanhadas no instagram @dasminaprodutora.

Clique aqui e torne-se um apoiador e-cult

Sobre Cassio Lilge 211 Artigos
Jornalista, estudante de História, obcecado por música. Conhece menos atalhos em seu computador que a sua gata.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*