Banda carioca Oruã se apresenta em Pelotas ao lado de Badhoneys e Laboratório Suicida

O trio carioca, comandado pelo inquieto e criativo Lê Almeida, está realizando uma turnê pelo Sul do país. Ao lado das bandas locais Badhoneys e Laboratório Suicida, o trabalho experimental da Oruã poderá ser conferido nesta sexta-feira (23) no Diabluras, pós 22h.

Conhecido como um dos principais nomes do lo-fi e do rock independente brasileiro, Lê Almeida conta com uma série de bandas e projetos lançados por meio de seu selo, o Transfusão Noise Records. Um dos projetos mais recentes, o Oruã, é uma parceria de Lê (vocal, guitarra e teclado) com João Luiz no baixo e Phill Fernandes na bateria.
Inquietude e experimentação
Artista gráfico, músico, produtor, Lê Almeida é responsável pelo Escritório, um estúdio e espaço para shows no centro do Rio, que também é descrito como “clube de recreação da Transfusão Noise Records”. Ainda que sem a estrutura e os recursos de uma grande gravadora, Lê mostrou que era possível gravar discos, fazer shows e movimentar uma cena. O reconhecimento de seu trabalho fez com que alguns de seus discos fossem lançados fora do país e sua discografia solo incluída no catálogo da gravadora DeckDisc. No começo deste mês, Lê Almeida e seu parceiro de selo João Casaes se juntaram ao guitarrista e vocalista Doug Martsch para os shows da lendária banda americana Built to Spill pela América do Sul.
Foto: Karin Santa Rosa

Com a Oruã, que inicialmente contava com duas baterias, Lê Almeida apresenta uma proposta um mais experimental em relação outras bandas que participa. O primeiro álbum “Sem Bênção/Sem Crença”, lançado em agosto do ano passado, conta com 13 faixas e mais de uma hora de duração. Em agosto desse ano, a Ourã dividiu o Split “Marginal Alado” com a banda marianaa, onde cada uma apresenta sua versão a um som do Charlie Brown Jr. Os dois trabalhos podem ser conferidos em https://transfusaonoiserecords.bandcamp.com/.

Retorno e irreverência
Quem olhar com atenção o link acima também irá encontrar no catálogo de lançamento da Transfusão Noise um disco e um EP da Badhoneys. A banda gaúcha, formada em Porto Alegre e agora radicada em Pelotas, lançou o álbum Ghost em dezembro de 2015. De lá pra cá, mudou de formação e também sofreu uma redução nas atividades, devido a maternidade da guitarrista e vocalista Gi Cognac.
Foto Divulgação

Com Ariane Behling no baixo e backing vocal e Marcelo Rubira na bateria, a Badhoneys volta a se apresentar nesta noite após mais de um ano sem realizar shows. O último foi em agosto do ano passado, abrindo para os Ratos de Porão. Além das músicas presentes nos laçamentos anteriores, uma música nova também deve incluída no setlist.

Foto: Felipe Yurgel

Proposital ou não, a noite é completada por outro trio. Composta por Vítor Alano (guitarra), João Oliveira (bateria) e Julio Machado (baixo), a Laboratório Suicida despeja um rock instrumental fluido e irreverente. Neste ano, a banda teve duas músicas incluídas na coletânea Mostra A Vapor de Música Autoral, realizada pelo estúdio pelotense. Uma session da gravação pode ser conferida em: https://www.youtube.com/watch?v=W7of2boOm_c

ORUÃ (RJ) – Badhoneys – Laboratório Suicida
Quando: 25/11, sexta, 22h
Onde: Diabluras – Rua Félix da Cunha, nº 954
Quanto: R$ 10,00

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *