Com lirismo e delicadeza, Cássio Pantaleoni conta histórias de fé, medo, infância e superstição

“De Vagar o Sempre” é um dos trabalhos mais elaborados e sensíveis do premiado autor gaúcho.

Já chegou às livrarias a obra mais recente de Cássio Pantaleoni. A coletânea de contos “De Vagar o Sempre” oferece algumas das melhores histórias já criadas pelo autor, conhecido pelos contos repletos de lirismo e sensibilidade. Neste lançamento, o leitor é conduzido por cidades fictícias habitadas por personagens que transitam na fronteira entre uma vida que às vezes é ordinária e banal e, em outras vezes, surpreendente e delicada.

Capa - De vagar o sempreCom a escrita precisa de Pantaleoni, os contos de “De Vagar o Sempre” desacomodam o leitor ao propôr um pacto de leitura que exige uma atenção redobrada. A obra explora um lirismo de cores rústicas que contrasta com as sutilezas de personagens ricos em sua subjetividade. A subjetividade, aliás, é a grande força de “De Vagar o Sempre”: é à serviço dela que o autor coloca a linguagem. Ao deparar-se com a necessidade de significados que escapam às palavras, Pantaleoni recorre, com a competência poética pela qual é reconhecido, à ressignificação e reinterpretação de palavras: “o autor propõe um novo léxico, de que precisamos nos apropiar e que em nada tem a ver com as palavras que antes conhecíamos de cor e salteadas. Isso, em si, já é uma provocação e um desafio: não haverá de ser com as palavras de todo-dia que leremos os contos de Pantaleoni”, afirma a escritora Valesca de Assis na orelha do livro.

A prosa de “De Vagar o Sempre” busca e alcança as miudezas da vida, o que nela há de mais pueril e singelo. O cenário das histórias é recorrente na obra do autor: lugares em que o tempo se demora, lugares de “gente com fé ribeirinha”, lugares em que personagens têm sua fé desafiada, como são desafiados os leitores de “De Vagar o Sempre”:

— Eu realmente não tenho a pretensão de comover o leitor. Minha pretensão é representar a vida por certo olhar de quem vê que não existe um lado com razão e outro sem razão. Todas as minhas histórias estão desprovidas de uma intenção de dizer de que eu, o autor, estou com a razão. A vida é assim, sempre em si mesma uma razão — reflete o autor.

“De Vagar o Sempre” está à venda pelo site www.besourobox.com.br e nas melhores livrarias do Brasil.

Sobre o autor

Foto Divulgação
Foto Divulgação

Cássio Pantaleoni é escritor, Mestre em Filosofia, vencedor do II Prêmio Guavira de Literatura concedido pela Fundação de Cultura do Matro Grosso do Sul pela coletânea de contos “A Sede das Pedras”. Três vezes finalista do Prêmio SESC DF de Literatura, duas vezes finalista do Prêmio Livro do Ano da Associação Gaúcha de Escritores, segundo lugar no 21º Concurso de Contos Paulo Leminski. Desenvolve oficinas sobre literatura e criatividade e palestras sobre criação literária, leitura, interpretação, filosofia e literatura em escolas públicas e privadas. Mantém workshops exclusivos sobre técnicas de narrativa.

“De Vagar o Sempre”
Capa - De vagar o sempreAutor: Cássio Pantaleoni
Páginas: 128 p.
Tamanho: 14cm X 21cm
ISBN: 978-8555-270116
Preço de capa: R$ 30,00
Editora: Edições BesouroBox

Fonte: Vitor Diel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *