Festival Democracine divulga filmes de sua mostra competitiva – O festival internacional acontece de 13 a 16 de junho em Porto Alegre

A cidade de Porto Alegre se prepara para receber entre os dias 13 e 16 de junho de 2012 a primeira edição do Democracine – Festival Internacional de Cinema de Porto Alegre. Promovido pela Prefeitura de Porto Alegre e pelo Observatório Internacional de Democracia Participativa, em parceria com o Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, o Democracine tem o objetivo de difundir produções audiovisuais relacionadas à democracia participativa e ao aprofundamento da cidadania. O festival, que acontece na Sala P. F. Gastal e no CineBancários, terá sua programação formada por uma mostra competitiva de filmes de curta e média metragem e uma mostra paralela informativa, e pretende transformar a capital gaúcha em um centro de discussão sobre o papel da imagem no campo das lutas democráticas no mundo contemporâneo.

Em sua primeira edição, o Democracine privilegiará seis eixos temáticos: Cidadanias insurgentes e ação coletiva na prática cotidiana da democracia, Processos eleitorais, Revoluções, Democracia e trabalho, o meio ambiente como campo de luta democrática, memórias de lutas, grandes lutadores e heróis desconhecidos. Além das mostras Competitiva e Informativa, o festival apresenta a mostra paralela Expressões da Revolução.

A cerimônia de abertura do festival acontece no dia 13 de junho, na Sala P. F. Gastal, com a exibição do documentário Tahir, Praça da Libertação, do diretor italiano Stefano Savona, que estará acompanhando a exibição de seu filme. Considerada a primeira produção de longa metragem a retratar o movimento dos rebeldes no Cairo, cujo epicentro ocorreu na praça Tahir, o filme de Stefano Savona participou da última edição do Festival de Locarno e terá sua primeira exibição no Brasil no Democracine.

Mostra Competitiva:
A Outra Guerra, de Elsa Sertório e Ansgar Schäfer (Portugal)
Media Training, de Eloar Guazzelli e Rodrigo Silveira (Brasil)
Acercadacana, de Felipe Peres Calheiros (Brasil)
O Vôo da Papoila, de Nuno Portugal (Portugal)
Kilombos, de Paulo Nuno Vicente (Portugal)
Non Conventionnel, de Pierre Stoeber (França)
O Cidadão Caryuka, de Hélio Rodrigues (Brasil)
Maria da Penha: Um Caso de Litígio Internacional, de Felipe Diniz (Brasil)
O Fim do Recreio, de Vinicius Mazzon e Nélio Spréa (Brasil)
Janela Molhada, de Marcos Enrique Lopes (Brasil)
De 9 às 5, de Rodrigo Lacerda (Portugal)
Respeito, de Carolina da Costa (Brasil)
Cio da Terra, de Cacá Nazário e Éber Marzullo (Brasil)
A Floresta Virada em Pó, de André Oliveira (Brasil)
Roda Mundo, de Antônio Francisco (Brasil)
Bailão, de Marcelo Caetano (Brasil)
Justicia, de Andrea Ruffini (Bolívia)
Dentro da Cidade dos Mortos, de Barbara Urbano e Claudio Cescutti (Itália)
Além do Ateu e do Ateísmo, de Carine Immig e Fábio Goulart (Brasil)
Memoriam – Um Filme Sobre uma Cidade Inventada, de Johil Carvalho, Sérgio Lacerda e Luiz Felipe Matos (Brasil)

Sobre os filmes:

Acercadacana, de Felipe Peres Calheiros (Brasil, documentário, 2010, 20 minutos)
A luta de Maria Francisca, uma pequena agricultora que vive no interior de Pernambuco, para permanecer em suas terras, enfrentando os desmandos de uma grande empresa multinacional. Com o auxílio da Ordem dos Advogados do Brasil, e sem medo de colocar em risco a sua vida, ela resiste. A história de uma heroína anônima, que não se curva diante dos poderosos para garantir seus direitos.
Eixo temático: Memórias de lutas, grandes lutadores e heróis desconhecidos/O meio ambiente como campo de luta democrática

Além do ateu e do ateísmo, de Carine Immig e Fábio Goulart (Brasil, 2011, documentário, 20 minutos)
Ateus não são pessoas más, e o ateísmo não é ruim para a sociedade. Seis pessoas, ateus ou não, falam sobre ateísmo, preconceito, moral, família e como lidar com o assunto. Uma discussão sobre um tema polêmico, que defende o direito ao livre pensamento e à escolha.
Eixo temático: Cidadanias insurgentes e ação coletiva na prática cotidiana da democracia

Bailão, de Marcelo Caetano (Brasil, 2010, documentário, 16 minutos)
A memória de uma geração visitada por seus personagens. O cenário é o centro de uma grande cidade, e o Bailão o ponto de convergência desses relatos. Um documento sobre o início dos movimentos de defesa da livre expressão sexual no Brasil, a partir da história de um dos primeiros bares destinados ao público homossexual em São Paulo.
Eixo temático: Memórias de lutas, grandes lutadores e heróis desconhecidos

O Cidadão Caryuka, de Hélio Rodrigues (Brasil, 2011, documentário, 10 minutos)
Marcelo Fontes do Nascimento ficou paraplégico em 2000 durante um assalto no bairro da Tijuca no Rio de Janeiro, sendo alvejado por 9 tiros de fuzil. Um retrato do músico, letrista e ativista cultural, ideólogo das bandas O Rappa e F.U.R.T.O., Marcelo Yuka. Um bravo homem da cultura brasileira que expõe suas ideias pela liberdade de expressão com informação e engajamento artístico.
Eixo temático: Memórias de lutas, grandes lutadores e heróis desconhecidos/Cidadanias insurgentes e ação coletiva na prática cotidiana da democracia

Cio da Terra, de Cacá Nazário (Brasil, 2010, documentário, 42 minutos)
Um documentário que investiga a utopia social dos anos 70 e 80, tendo como referência um evento cultural que reuniu 15 mil jovens em Caxias do Sul, no interior do Rio Grande do Sul, em 1982. A partir de depoimentos de participantes, organizadores e artistas e de imagens de um filme super-8 realizado durante o evento, discute-se política, literatura, música, cinema, teatro, dança e os movimentos sociais que estavam surgindo no início dos anos 80: ecologia, feminismo, homossexualismo.
Eixo temático: Memórias de lutas, grandes lutadores e heróis desconhecidos/Cidadanias insurgentes e ação coletiva na prática cotidiana da democraci

Das 9 às 5, de Rodrigo Lacerda e Rita Alcaire (Portugal, 2011, documentário, 50 minutos)
Em Portugal existem centenas de trabalhadores a quem não é reconhecida proteção da lei a nível laboral e civil: os profissionais do sexo. Esta situação não se deve a questões de foro legal mas sim culturais, sociais e morais. Embora exista um grande número de clientes a recorrer aos seus serviços, a sua profissão ou o negócio em que esta está inserida ainda são considerados ilegais.
Eixo temático: Democracia e trabalho

O Fim do Recreio, de Nélio Spréa e Vinicius Mazzon (Brasil, 2012, ficção, 17 minutos)
No Congresso Nacional, um projeto de lei pretende acabar com o recreio escolar. Ao mesmo tempo, em uma escola municipal de Curitiba, um grupo de crianças pode mudar toda essa história. Recheado de vibrantes brincadeiras infantis, O Fim do Recreio é um curta-metragem para todos os públicos, que celebra a mobilização coletiva como o melhor caminho para a sociedade assegurar seus direitos.
Eixo temático: Cidadanias insurgentes e ação coletiva na prática cotidiana da democracia

A Floresta Virada em Pó, de André de Oliveira (Brasil, 2011, documentário, 35 minutos)
Violação aos direitos humanos e degradação da natureza andam juntos quando o tema é territórios ocupados pelas corporações de mineração e produção de alumínio. Uma reportagem cinematográfica que vai até as comunidades de ribeirinhos para avaliar os impactos sociais e ambientais que a indústria do alumínio provoca desde a década de 80 no Brasil, revelando casos de ameaças aos povos tradicionais e aos trabalhadores da indústria e dando voz aos afetados.
Eixo temático: O meio ambiente como campo de luta democrática

Inside the City of the Dead, de Barbara Urbano (Itália, 2011, documentário, 35 minutos)
O destino dos moradores de um bairro popular do Cairo, no Egito, habitado por quase 1 milhão de pessoas, é ameaçado por reformas motivadas pela especulação imobiliária. Para garantir os direitos dos moradores, um grupo de arquitetos e urbanistas trabalha para assegurar seus direitos e lhes garantir melhores condições de vida.
Eixo temático: Cidadanias insurgentes e ação coletiva na prática cotidiana da democracia/O meio ambiente como campo de luta democrática

Janela molhada, de Marcos Enrique Lopes (Brasil, 2010, documentário, 22 minutos)
A história do início da formação da cinematografia nacional brasileira e os esforços de preservação desses acervos, que revelam o quanto a imagem cinematográfica sempre foi usada como importante ferramenta de legitimação dos poderes oligárquicos. As pessoas que trabalham anonimamente para assegurar a sobrevivência dessas imagens são heróis que zelam pela memória cultural do país.
Eixo temático: Memórias de lutas, grandes lutadores e heróis desconhecidos

Justicia, de Andrea Ruffini (Bolívia, 2010, documentário, 20 minutos)
Com a Nova Constituição Política do Estado, a Bolívia reconhece a igualdade hierárquica entre a justiça ordinária e a indígena. A justiça indígena, mais conhecida como comunitária, é muitas vezes sinônimo de linchamento. Através de processos de justiça indígena na região de Potosi e reuniões de diálogo entre os representantes das duas justiças em todo o país, uma investigação sobre a situação de pluralismo jurídico na Bolívia.
Eixo temático: Cidadanias insurgentes e ação coletiva na prática cotidiana da democracia

Kilombos, de Paulo Nuno Vicente (Portugal, 2012, documentário, 48 minutos)
Através de entrevistas realizadas em diferentes países, um painel sobre a herança cultural negra e sua resistência em núcleos quilombolas. Uma tentativa de cartografia antropológica que revela ao espectador os antagonismos do Brasil contemporâneo.
Eixo temático: Cidadanias insurgentes e ação coletiva na prática cotidiana da democracia

Maria da Penha: um caso de litígio internacional, de Felipe Diniz (Brasil, documentário, 2011, 13 minutos)
Em 29 de maio de 1983, Maria da Penha sofreu uma tentativa de homicídio por parte de seu marido. Até 1998 não havia uma solução definitiva para o caso. Com o auxílio de grupos de defesa dos direitos humanos, Maria da Penha levou o caso para as instâncias internacionais de direitos humanos. Este documentário recupera esta história e traz à tona uma das lutas mais representativas contra a violência doméstica na América Latina.
Eixo temático: Memórias de lutas, grandes lutadores e heróis desconhecidos

Media Training, de Rodrigo Silveira e Eloar Guazzelli Filho (Brasil, 2011, animação, 12 minutos)
Um aspirador de pó, grande lançamento mundial de uma multinacional, é usado em uma sessão de tortura em Abu Grahib e a foto do torturado cai na internet. A diretora de comunicação da empresa deve, no dia de Natal, reverter a situação. Um contundente e irônico manifesto contra a política intervencionista dos Estados Unidos.
Eixo temático: Memórias de lutas, grandes lutadores e heróis desconhecidos

Memoriam – um filme sobre uma cidade inventada, de Johil Carvalho e Sérgio Lacerda (Brasil, 2011, documentário, 10 minutos)
Uma viagem sensorial a uma cidade inventada, por meio de sons, imagens, depoimentos e a música do maestro Jorge Antunes. Um ensaio visual sobre a capital do Brasil, Brasília, em seu aniversário de 50 anos.
Eixo temático: Cidadanias insurgentes e ação coletiva na prática cotidiana da democracia

Non Conventionnel, de Pierre Stoeber (França, 2012, documentário, 18 minutos)
Documentário sobre militante ecológico que viaja pelo interior da França para alertar sobre as consequências da exploração de recursos energéticos no mundo contemporâneo. Um tema sério, tratado com bom humor e de modo pouco convencional.
Eixo temático: O meio ambiente como campo de luta democrática

A Outra Guerra, de Elsa Sertório e Ansgar Schäfer (Portugal, documentário, 48 minutos)
Nas décadas de 60 e 70, em plena guerra colonial, os jovens portugueses tiveram de optar entre a guerra ou a pesca do bacalhau. Através de uma viagem, hoje, a bordo do último barco português da pesca do bacalhau – o Creoula –, três antigos pescadores contam as razões das suas escolhas, recordam as campanhas de seis intermináveis meses nas águas geladas dos bancos da Terra Nova e as duras condições de vida e de trabalho da sua juventude.
Eixo temático: Democracia e trabalho/Memórias de lutas, grandes lutadores e heróis desconhecidos

Respeito, de Carolina da Costa (Brasil, 2012, documentário, 16 minutos)
Incluindo ou excluindo? Respeito mostra ao mundo dificuldades que, ainda hoje, o surdo encontra para ter o que lhe é de direito: uma educação digna. Em meio a relatos da vivência e de experiências, o tema da inclusão de deficientes auditivos na perspectiva de quem mais a conhece, o surdo e suas famílias.
Eixo temático: Cidadanias insurgentes e ação coletiva na prática cotidiana da democracia/Democracia e trabalho

Roda Mundo, de Antônio Francisco (Brasil, 2010, documentário, 17 minutos)
A percepção urbana de Brasília e seus caminhos vistos pelos olhos de uma cozinheira moradora de Samambaia e usuária de ônibus, de um encarregado de obras da Ceilândia que tem o carro como meio de transporte e de um catador de latinhas morador de rua, usuário da bicicleta como locomoção e ferramenta de trabalho.
Eixo temático: Cidadanias insurgentes e ação coletiva na prática cotidiana da democracia/O meio ambiente como campo de luta democrática

O Voo da Papoila, de Nuno Portugal (Portugal, 2011, ficção, 15 minutos)
Uma simples fotografia e uma canção unem para sempre três personagens: o fotógrafo Sebastião, o soldado Joaquim e o menino Rui, que se tornam, através de uma foto, ícones da esperança da Revolução de Abril. O que é feito dessa esperança 30 anos depois?
O curta é inspirado na popular canção Somos Livres, de Ermelinda Duarte, que foi um dos símbolos da Revolução de Abril.
Eixo temático: Revoluções

Democracine – Festival Internacional de Cinema de Porto Alegre
De 13 a 16 de junho
P.F.Gastal – Usina do Gasômetro – Av. João Goulart, 551. Centro. Porto Alegre
CineBancários – General Câmara, 424. Centro. Porto Alegre

Uma realização da Prefeitura Municipal de Porto Alegre e Observatório Internacional de Democracia Participativa em parceria com Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra.

Fonte: Bebê Baumgarten e Kellen Hoehr/ BD Divulgação

Sobre Deco Rodrigues 6229 Artigos
Jornaleiro/Produtor cultural, social mídia, gestor de conteúdo web, pretenso escritor, autor estreante com o romance Três contra Todos.