Os Seres da Noite

rua-de-noiteJá era tarde da noite. Pedro voltava para casa, de mais uma de suas noitadas pelos bares da cidade. As ruas estavam vazias. Até aquela casa amarela e desbotada, que sempre tinha a janela aberta por onde se via a televisão ligada para sonolentos espectadores da madrugada, não indicava ter alguém acordado. Toda a cidade parecia dormir. Pedro teve vontade de chorar. Teve vontade de gritar, para que todos percebessem que ele estava só, naquelas ruas caladas. Pedro sentou-se na beira da calçada, com aquele ar de alguém que espera que a chuva passe e venha o Sol radiante do verão.

A noite seguia a sua rotina. As nuvens movendo-se cobriram temporariamente a luz do luar, dando a tranquilidade necessária aos gatos que perambulavam pelos muros e esquinas. O galo da banca do Mercado Central cantou desafinado, bem antes da hora. O silêncio recomeçou.

O dia amanheceu, o Sol surgiu vibrante, as calçadas ficaram lotadas, os ônibus transbordavam de passageiros, os operários entediados iam para o trabalho, os políticos continuavam descansando, os velhos jogavam dama na praça, os camelôs armavam suas tendas, os punguistas faziam seu ofício, o lixo enchia os calçadões, as crianças pediam sorvete e a inflação era tida por zero. Tudo isso Pedro não via. Na casa amarela e desbotada o movimento era grande, não tinham tempo para assistir à televisão. Os bares tinham cheiro de pinho, da noite passada. Mas Pedro nem sentia. Pedro morreu na beira da calçada. Pedro morreu no silêncio da noite, na calada do dia, antes da feira iniciar. Pedro nem pôde pegar o ônibus para o Areal. Pedro não teve tempo de ser assaltado e nem conferiu o resultado da loteria. Pedro era apenas mais um. Um dos boêmios sonhadores de cada dia.

O brilho das estrelas, o Sol, o dia, fazem esquecer, mas os sonhos das noites de Pedro ressurgem todos os dias na alma dos seres da noite.

Rogério Vinícius Borges Nascente

Sobre Deco Rodrigues 6378 Artigos
Jornaleiro/Produtor cultural, social mídia, gestor de conteúdo web, pretenso escritor, autor estreante com o romance Três contra Todos.