Pelotenses podem concorrer a prêmio em Portugal

Por meio de protocolo de cooperação, Pelotas é cidade-irmã da portuguesa de Aveiro. Devido a esta geminação entre as duas cidades, os pelotenses poderão participar de concurso de poesia realizado a cada dois anos pela Câmara Municipal de Aveiro, em parceria com a Universidade de Aveiro e Grupo Poético de Aveiro.

Podem participar somente autores residentes em Portugal e autores naturais de cidades geminadas com Aveiro, e que não tenham vencido nenhuma edição do concurso, que é realizado desde 2007. Para participar do concurso “Prémio de Poesia Nuno Júdice” as obras devem ser apresentadas obrigatoriamente em língua portuguesa e o tema é livre. As obras concorrentes devem ser apresentadas com pseudônimo, digitadas com espaçamento dois, em folhas A4, como o mínimo de 35 páginas e o máximo de 50. Deverão ser enviados cinco exemplares de cada obra concorrente.

Estes cinco exemplares, devidamente encapados, deverão ser enviados para o Gabinete de Comunicação da Câmara Municipal de Aveiro, Edifício dos Paços do Concelho, Praça da República, 3.810, Aveiro, até ao dia 30 de setembro de 2011 (data do carimbo do correio). Cada obra a concurso deverá ser acompanhada de um sobrescrito fechado que contenha, no interior, os elementos de identificação do autor (mencionando necessariamente a residência) e da obra e, no exterior, o respectivo pseudônimo.

O júri é constituído por personalidades de reconhecido mérito literário, sendo três indicadas pela Câmara Municipal de Aveiro, uma designada pela Universidade de Aveiro e uma pelo Grupo Poético de Aveiro. A Câmara Municipal de Aveiro, a Universidade de Aveiro e o Grupo Poético de Aveiro darão conhecimento público da obra e do autor premiado no dia 17 de Novembro de 2011, procedendo à entrega do prêmio neste mesmo dia, a premiação é de 2,5 mil euros. Os resultados serão publicados na Comunicação Social e disponibilizados no site da Câmara Municipal de Aveiro a partir do dia 17 de Novembro de 2011.

Todos os trabalhos apresentados ficarão à disposição da Câmara Municipal de Aveiro e passarão a integrar o acervo da Biblioteca Municipal de Aveiro. A Câmara Municipal de Aveiro reserva-se o direito de utilizar as obras para promoção cultural, ficando devidamente salvaguardados todos os direitos de autor.

Além de Pelotas, Belém do Pará, Cubatão/SP e São Bernardo do Campo/SP compartilham com Aveiro tal cooperação no Brasil. As demais cidades espalhadas pelo mundo, que comungam da mesma irmandade são: Oita, no Japão, Ciudad Rodrigo, na Espanha, Santo António do Príncipe, em São Tomé, e Príncipe, Bourges, na França, Arcachon, também na França, Inhambane, em Moçambique, Santa Cruz, Ilha de Santiago, em Cabo Verde, Pemba, em Moçambique, Cholargos, na Grécia, Forli, na Itália, Farim, em Guiné – Bissau, Mahdia, na Tunísia e Panyu, na China.

Mais informações sobre as cidades-irmãs podem ser obtidas na Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo (SDET), com a responsável pelas relações externas, Regina Fiss, pelo telefone 3225-8256.

 

Cidades-irmãs e laços culturais com Pelotas

Pelotas/Uruguai: Colonia del Sacramento tem as mesmas raízes colonizadoras de Pelotas. Também foi fundada e influenciada culturalmente por portugueses dos Açores, apresenta patrimônio arquitetônico reconhecido e tombado e desenvolve agropecuária.

Pelotas/Aveiro: Com Aveiro, a Administração Municipal tem laços tão estreitos que chega a participar da difundida Feira de Março, evento comercial de vários setores.

Pelotas/Aracati: Durante a 13ª Fenadoce, o Governo Municipal tornou Pelotas irmã da cidade cearense de Aracati, localizada a 150 quilômetros de Fortaleza. A ligação entre ambas, justifica-se pela passagem do charqueador português, José Pinto Martins, nas terras de Aracati. Instalou-se no Município como pioneiro na cultura do produto, grande alavanca do desenvolvimento econômico local no século XIX. Até hoje, os legados histórico e cultural da atividade atraem turistas de vários estados brasileiros.

Pelotas/Japão: Pelotas foi a primeira cidade brasileira a possuir uma cidade irmã no Japão. A fraternidade com Suzu nasceu em 1963, por iniciativa do oficial de chancelaria aposentado do Itamaraty, Luiz Carlos Vinholes.

Fonte: pelotas.com.br

Sobre Deco Rodrigues 6437 Artigos
Jornaleiro/Produtor cultural, social mídia, gestor de conteúdo web, pretenso escritor, autor estreante com o romance Três contra Todos.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*