Projeto Mar de Areia promove o “Festival Artístico e Literário Dunas Costeiras”

Dunas Costeiras - Foto: Camilla Bonatto

Estão abertas as inscrições para a 1° edição do “Festival Artístico e Literário Dunas Costeiras”, organizado pelo Projeto Mar de Areia. Artistas e escritores, amadores ou profissionais, podem realizar sua inscrição até a sexta-feira (03/07) por meio do e-mail dunascosteiras@gmail.com.

Os trabalhos artísticos e literários devem abordar o tema “Dunas Costeiras”, e poderão ser inscritos em uma das seguintes categorias: “Visualidades” que agregará manifestações artísticas em diferentes poéticas visuais, como fotografia, desenho, gravura, pintura, escultura, vídeo – que devem ser enviados em mp4 na resolução 1080p – , processos híbridos e outros ou “Texto Verbal”, que compreenderá as expressões na forma de poema (texto em versos) e miniconto (até 60 palavras).

A inscrição de qualquer trabalho no Festival pressupõe a cessão gratuita dos direitos autorais sobre a obra, autorizando o seu uso, de forma não exclusiva, pelo Núcleo de Educação e Monitoramento Ambiental (NEMA) no âmbito de seus projetos de conservação costeira, podendo a cessão ser revogada por solicitação expressa do autor após o decurso de um ano.

Dunas Costeiras – Foto: Paula Machado

As obras inscritas serão avaliadas por uma comissão julgadora, que analisará os trabalhos sob critérios estéticos e temáticos. Os trabalhos concorrentes serão também divulgados na fanpage “Projeto Dunas Costeiras”, a fim de colher as manifestações da comunidade sobre as peças participantes.

Premiação

Serão premiados os primeiros dois colocados de cada categoria. Além disso, a obra que obtiver o maior número de curtidas e reações até 11/07 ganhará a Menção Especial do Público. Por fim, a coordenação do Projeto Mar de Areia poderá fazer uma Menção Honrosa a trabalhos de especial relevância quanto aos objetivos do projeto.

Sobre o Projeto:

O Projeto Mar de Areia é executado pelo Núcleo de Educação e Monitoramento Ambiental (NEMA), com patrocínio da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, com o objetivo de fomentar o processo de criação de duas Unidades de Conservação nas dunas costeiras de Rio Grande: um Parque Natural junto aos molhes da Barra, e um refúgio de Vida Silvestre, cobrindo o restante do cordão de dunas do município.

“Com o festival, queremos celebrar com arte e literatura os resultados dos trabalhos executados ao longo dos 18 meses do projeto”, diz a coordenadora do Projeto, Lilian Wetzel. Após ter realizado extensa caracterização das áreas de interesse, atividades de educação ambiental na rede pública de escolas municipais, divulgação de informações na mídia e ações de articulação institucional, o projeto será concluído em julho com o encaminhamento de proposta técnica e jurídica às autoridades municipais, para que possam dar seguimento aos ritos legais de criação dessas Unidades de Conservação, incluindo a realização de consultas públicas.

Durante o período de execução do projeto, outros dois eventos de natureza artística acompanharam os trabalhos de natureza técnica. O primeiro recebeu fotografias das dunas costeiras, enquadradas nas categorias: “ambiente” e “biodiversidade”. Já a segunda iniciativa reuniu trabalhos de 23 poetas de diversos lugares do país, levando os objetivos do projeto para além das fronteiras do litoral sul-brasileiro.

Segundo Lilian Wetzel, “como arte e literatura possuem um grande poder de transformação da consciência, pretendemos com os concursos reforçar nossa ligação com o público, colhendo sua percepção sobre as dunas costeiras e apostando que a divulgação dos trabalhos participantes possa contribuir enormemente para a sensibilização da sociedade quanto à necessidade de conservação das dunas costeiras em Rio Grande. Em especial neste momento de pandemia, foi necessário priorizarmos novos formatos, como este, de relacionamento com a comunidade, pois as reuniões que havíamos planejado realizar com diversos segmentos a fim de expor a proposta e colher sugestões precisaram ser suspensas”.

“Elevar o status das dunas costeiras de Rio Grande, de Áreas de Preservação Permanente para Unidades de Conservação trará não apenas ganhos ambientais, mas também vantagens econômicas e sociais para o município, disciplinando usos e regulando os conflitos existentes, e criando novos caminhos para o desenvolvimento econômico. Neste sentido, o novo status poderá indiretamente afetar de forma positiva toda a região”, aposta a coordenadora.

Fonte: Satolep Press

Sobre Deco Rodrigues 6337 Artigos
Jornaleiro/Produtor cultural, social mídia, gestor de conteúdo web, pretenso escritor, autor estreante com o romance Três contra Todos.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*