Dez motivos para acompanhar o 10º Festival Internacional Sesc de Música em Pelotas

Foto: Flavio Neves

Evento acontece de 20 a 31 de janeiro e terá espetáculos gratuitos.

Um evento cultural que resiste ao tempo, leva arte gratuitamente para milhares de pessoas e faz uma cidade respirar música por 12 dias: apenas esses atributos já chamam atenção para a importância do Festival Internacional Sesc de Música, que chega a sua 10ª edição em 2020.

Para renovar a programação e agregar qualidade ao evento, a cada ano o Festival traz novas atrações para fortalecer seus três pilares: o ensino da música, a valorização de projetos sociais e a promoção da música de concerto para a população. Além desses, confira mais 10 motivos para acompanhar a edição deste ano, que acontece de 20 a 31 de janeiro, em Pelotas. A programação completa está disponível em www.sesc-rs.com.br/festival.

1) 60 espetáculos em 12 dias

Apresentações de professores, alunos e artistas convidados em diversas partes da cidade fazem parte da programação. Além dos tradicionais concertos que acontecem à noite no Theatro Guarany, o Festival na Comunidade levará a música de concerto para lugares como hospitais, igrejas, a Praia do Laranjal e a Bibliotheca Pública Pelotense. Tudo de forma gratuita, para levar os acordes do Festival ao maior número de pessoas.

2) Músicos de 14 países

O Festival levará a Pelotas, além de professores São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Rio Grande do Sul, músicos de Islândia, Uruguai, China, Itália, Nova Zelândia, Alemanha, Argentina, Rússia, Noruega, Bielorrússia, França, Colômbia e Japão. Durante o evento, será possível ver apresentações inéditas do Brasil de integrantes das mais reconhecidas orquestras europeias e formações únicas, reunindo músicos que nunca tocaram juntos, nos recitais de professores que acontecerão sempre às 19h.

3) Orquestras Jovens

Com seus 72 integrantes, a Orquestra Jovem Sesc Pará fará uma apresentação no primeiro dia do evento (20/01), que terá na estreia ainda a exibição da Orquestra Jovem Sesc Roraima. O Festival também reunirá jovens músicos vindos do Mato Grosso do Sul, Maranhão, Minas Gerais, Piauí, Rio Grande do Norte, Roraima e Sergipe, que terão aulas com os professores do Festival e formarão a Orquestra Jovem Sesc. Participantes de programa sociais, muitos deles em situação de vulnerabilidade social, eles terão a oportunidade de ver de perto as possibilidades que são abertas pela dedicação ao estudo da música.

4) 250 anos de Beethoven

As obras do mais famoso compositor de todos os tempos receberão atenção especial: em 2020, são celebrados os 250 anos do nascimento de Ludwig Van Beethoven. Em Pelotas, não faltarão oportunidades para apreciar as composições de Beethoven: as músicas do compositor permearão algumas das apresentações, ao longo dos doze dias do Festival.

5) 40 anos de carreira de Kleiton & Kledir

Donos de canções que marcaram gerações e encantaram o Brasil, Kleiton & Kledir comemoram 40 anos de carreira em 2020. Acompanhados pela Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro, eles farão uma apresentação cheia de sucessos na Praia do Laranjal, brindando, com a cidade onde nasceram, a trajetória da dupla na música. O concerto, que também terá obras de compositores brasileiros apresentados pela orquestra de câmara, será no dia 25 de janeiro, (sábado), a partir das 20h30.

6) Concerto didático infantil

Com o objetivo de mostrar o universo da música clássica ao público infantil, o concerto didático é um misto de aula e diversão para toda a família. A Orquestra de Câmara Theatro São Pedro, regida pelo maestro Evandro Matté, apresentará obras de compositores consagrados e temas infantis, estimulando a audição e os detalhes sonoros. A atração conta com a participação do Cachorro Miranda, personagem que auxilia na apresentação didática dos elementos que compõem a Orquestra.

7) Jazz, choro e rock

O grande destaque do Festival é a música de concerto, mas o evento busca derrubar barreiras ao incluir ritmos contemporâneos e música popular à programação, com apresentações de convidados sempre às 20h30, no Theatro Guarany. Entre as atrações que seguem essa proposta, está a Banda Tum Tom Foin, que se apresenta no dia 22 de janeiro (quarta-feira). Com uma formação inusitada e repertório de Arthur de Faria, o conjunto reúne 10 integrantes em um híbrido de grupo de rock com orquestra de câmara. No dia 23 (quinta-feira), a Salvagni Big Band interpreta clássicos do Jazz, resgatando as origens e evidenciando a erudição em estilos populares. A sonoridade tradicional dos conjuntos brasileiros de choro fica por conta do Sexteto Gaúcho, que se apresenta no dia 29 (quarta-feira).

8) Hamilton de Holanda

Um dos maiores nomes da música instrumental da atualidade, o carioca Hamilton de Holanda se apresenta como solista, ao lado da Orquestra de Câmara da Ulbra, no dia 21 de janeiro (terça-feira). A partir das 20h30, no Theatro Guarany, ele executará as obras Caprichos para bandolim e orquestra e Concerto para Bandolim e Orquestra. Entre os diversos prêmios recebidos pelo compositor, está o Grammy Latino de Melhor Álbum Instrumental, conquistado na edição de 2015, com Samba de Chico, que faz um tributo ao samba e a Chico Buarque.

9) Grupo Tholl

A população de Pelotas terá a oportunidade de acompanhar, gratuitamente, a apresentação de um dos grandes representantes da cultura local. O Grupo Tholl levará a magia do circo ao palco do concerto de encerramento, dia 31 de janeiro, que será conduzido pela Orquestra Sinfônica Acadêmica – formada pelos alunos durante o Festival. A atração acontece a partir das 20h30, no Largo do Mercado Público.

10) As atrações de Pelotas

O doce, a arquitetura, a história e a cultura de Pelotas são atrações que levam muitos turistas à cidade durante todo o ano. Quem for ao Festival, também terá a oportunidade de provar delícias como o camafeu, o quindim e o pastel de Belém, doces que evidenciam a influência da colonização portuguesa no município, que também se estende às construções do município. Em poucos passos, é possível visitar prédios históricos, como o Theatro Guarany, a Bibliotheca Pública Pelotense e o Mercado Público.

::: SOBRE O 10º FESTIVAL INTERNACIONAL SESC DE MÚSICA ::::

O QUE É? O Festival Internacional Sesc de Música é um dos maiores da área na América Latina e tem o objetivo de incentivar
o desenvolvimento da produção musical e fomentar o intercâmbio e o desfrute de bens culturais.

QUANDO? De 20 a 31 de janeiro de 2020, em Pelotas/RS.

COMO? Durante o Festival, no turno da manhã, acontecem as classes (cursos); no período da tarde, os ensaios; e nos turnos
da manhã, tarde e noite, apresentações com entrada franca para a comunidade.

::: DADOS GERAIS :::

A realização do Festival é do Sistema Fecomércio-RS/Sesc, com o apoio institucional da Prefeitura Municipal de Pelotas/RS e apoio cultural da Universidade Federal de Pelotas, Universidade Católica de Pelotas, Faculdade Senac, Bibliotheca Pública Pelotense, Unisinos, OSPA e Expresso Embaixador, Ecosul, Café 35 e Biri Refrigerantes.

– 53 professores de 14 nacionalidades diferentes

– Cerca de 500 profissionais da música, entre professores, alunos, músicos e técnicos

– Espetáculos gratuitos (concertos no Theatro Guarany, espetáculos nos palcos externos, recitais de alunos, concertos de Música de Câmara e recitais na comunidade)

– 24 cursos disponibilizados (19 instrumentos + canto lírico + composição + choro + prática de orquestra e banda sinfônica), reunindo cerca de 400 alunos de diversos estados e países

Por: Natacha Gomes
Moglia Comunicação Empresarial

Sobre Deco Rodrigues 6165 Artigos
Jornaleiro/Produtor cultural, social mídia, gestor de conteúdo web, pretenso escritor, autor estreante com o romance Três contra Todos.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*