Rapper Preta G é homenageada com nome de rua no Getúlio Vargas em Pelotas

Foto: Gustavo Vara

A mensagem de luta e empoderamento, e o legado artístico e cultural da pelotense Daiane Alves – mais conhecida como Preta G – além de integrar a memória afetiva de milhares de admiradores, amigos e familiares, agora também está eternizada no nome de uma das ruas do Getúlio Vargas.

Nesta sexta-feira (27), a prefeita Paula Mascarenhas, a vereadora Daiane Dias (PSB) e personalidades ligadas à trajetória da artista estiveram na esquina das ruas Quatro – agora rua Preta G – e Onze para inaugurar a placa que registra a importância da rapper para o bairro e para a cidade.

Falecida precocemente aos 28 anos, em 2008, Daiane deixou um legado marcante não só na música e no movimento Hip Hop, mas também na defesa do feminismo e na mensagem de emancipação e conquista dos direitos das mulheres – herança que, até hoje, inspira meninas e mulheres da comunidade.

“A Preta G se construiu através da arte e da cultura, deixando um exemplo para tantas crianças e jovens da cidade. Fica a sua memória simbolizada nesta rua do Getúlio Vargas, lembrando que existiu esta mulher lutadora que fez tanta coisa boa durante sua vida”, afirmou a prefeita.

Paula ressaltou que a artista é prova de que a cultura é uma ferramenta poderosa para a inclusão, a prevenção à violência e a criação de oportunidades capazes de mudar vidas.

A proposta de reverenciar a trajetória de Preta G partiu da própria comunidade, seus amigos e familiares, e foi acolhida pela vereadora Daiane Dias, que indicou a nova denominação da via. Contente por contribuir para o feito, ela comentou que a ideia é perpetuar a mensagem de luta deixada pela rapper e influenciar positivamente as novas gerações.

Preta G, em uma de suas apresentações. Foto: Carlos Cogoy/DM/Divulgação.

G de Guerreira, G de Getúlio
Emocionada, a mãe da homenageada, Luza Lacerda, relembrou os primeiros anos de vida da filha que, desde pequena, já demonstrava o amor e o talento para a música – sempre utilizando suas histórias de vida para criar rimas e tentar ajudar outras pessoas. “Ela ia passando pelas dificuldades e transformando em arte, buscando sempre inspirar quem estava perto”, contou.

Amigo de Preta G, o presidente da ONG Anjos e Querubins, Ben Hur Flores, explicou a origem do nome artístico da rapper. “No início era para ser G de Guerreira, mas a relação tão forte com o bairro fez com que o G ficasse de Getúlio”, disse. Flores enfatizou a simbologia da esquina escolhida para a colocação da placa – local que, há 11 anos, sediou o festival que consagrou a artista como melhor MC feminina.

“A história dela é de superação por meio da arte. Cantava descalça, se emocionava e nos emocionava. As pessoas gostavam até quando ela errava a letra… A menina do Getúlio Vargas agora dá nome à rua”, comemorou.

27.12.2019 – Prefeita Paula Mascarenhas realiza a inauguração da placa que dá nome à rua Preta G – Foto: Gustavo Vara

Texto: Luiza Meirelles
Fonte: pelotas.com.br

Sobre Deco Rodrigues 6440 Artigos
Jornaleiro/Produtor cultural, social mídia, gestor de conteúdo web, pretenso escritor, autor estreante com o romance Três contra Todos.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*