Ian Ramil e Ava Rocha e a turnê no Rio Grande do Sul

Na quarta-feira, dia 16 de dezembro, foi dado o início de uma turnê de três shows pelo estado, que reuniu duas renomadas revelações da nova mpb. Lançando o segundo álbum de ambas as carreiras, a carioca Ava Rocha e o pelotense Ian Ramil abriram a turnê do discos, Ava Patrya Yndia Yracema, de Ava, e Derivacivilização de Ian, em Pelotas.

Ian e Ava dividiram os palcos na cidade de Pelotas junto com a Dj Helô, passando na sequencia, também por Porto Alegre e Novo Hamburgo, e nós tivemos o prazer de acompanhar de perto os dois primeiros shows dessa turnê.

Não falamos em coincidência ou mero acaso quando presenciamos estes dois nomes nos palcos. Seus trabalhos, que mesmo andando por locais, culturas e linguagens um pouco diferentes, compartilham do mesmo experimentalismo a ousadia.

Vemos o Derivacivilização de Ian Ramil como um retrato do Brasil de 2015. Críticas políticas e sociais, à mídia e de como esta é capaz de manipular as massas levam as canções à formar uma obra imponente e singular, tomando rumo distinto do primeiro disco do Ian.

Em paralelo, Ava nos trouxe um trabalho ousado, que, em palavras dela em uma entrevista que deu ainda este ano, ela “queria um disco pop, inventivo, quente, político, sensual, um disco que reunisse uma série de elementos com uma linha inventiva, que a gente pudesse pirar”. Ava Patrya Yndia Yracema caminha naturalmente por todos estes elementos, fazendo com que a experiência, não apenas de ouvir o disco, mas de assistir ao show, performático e denso, seja intensa e que traga várias faces de uma única mulher.

Seus shows aqui em Pelotas foram recebidos com uma eneria ímpar.
Logo após Helô abrir os trabalhos no João Gilberto, Ava encantou o público com sua presença de palco, com seus músicos tão talentosos quanto entrosados com o espírito performático e caloroso dela. Após isso, logo nas primeiras frases de “Coquetel Molotov”, faixa que também abre o álbum, já com Ian no palco, vimos o impacto que elas causaram nos que estavam presentes.

A noite não poderia ter terminado em melhor estilo, com Ian e Ava reunindo seus músicos para uma performance experimental, que não pode se conter ao limite do palco, tomando conta da platéia também.

Porto Alegre não deixou por menos também. Tendo o cenário do palco inspirado no Derivacivilização, assinado pela artista Carina Levitan, com o show de Ramil contando com as participações de Martin Estevez, do grupo Dingo Bells e de Gutcha Ramil.

A turnê ainda contou com um último show, no Pubis Bar, em Novo Hamburgo.

Texto por Lucas Matos
Fotos por Thamires Seus
Equipe 2nós2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *