Apanhador Só lança “Meio que tudo é um” em Porto Alegre

0
209

Mantenedores

O álbum ganha lançamento dia 11 de novembro, às 21h, no Theatro São Pedro, antes do grupo iniciar uma série de shows por cidades brasileiras.

O terceiro álbum da banda vem em formato de CD, LP e digital e já está disponível em serviços de streaming e para download gratuito no site www.apanhadorso.com

Foto: Tuane Eggers“Meio que tudo é um” é o terceiro álbum da banda Apanhador Só, originada em Porto Alegre e destaque na cena musical brasileira contemporânea. Com 15 canções gravadas majoritariamente em uma antiga casa de madeira no Morro da Borússia, no município de Osório (RS), entre novembro de 2016 e abril de 2017, o disco tem produção e mixagem do trio em parceria com o músico e engenheiro de som Diego Poloni.

Formado em 2006 por Alexandre Kumpinski (voz, violão e guitarra), Felipe Zancanaro (guitarra, bateria, sampler e percussão) e Fernão (baixo, teclados, lira e percussão), o Apanhador é reconhecido no país e exterior. Venceu o Prêmio APCA de “melhor álbum de música popular” por “Antes que Tu Conte Outra”, em 2013, ano em que recebeu indicação ao Grammy Latino e foi eleito um dos melhores shows nacionais pela Folha de S.Paulo. Ao longo de sua trajetória, o trio ainda marcou presença em prêmios como Multishow e Açorianos (que rendeu os troféus de “melhor disco pop” para “Apanhador Só” e “Antes que tu conte outra”, e de “melhor intérprete” para Alexandre Kumpinski), e se destacou em palcos como South bySouthwest (EUA), Vive Latino (México), Circulart (Colômbia), Festival de Las Artes (Costa Rica) e Lollapalooza Brasil, além de ter sido elogiado por publicações como The New York Times, El País e The Guardian.

Financiado coletivamente, “Meio que tudo é um” conta com participação especial de expoentes da nova geração sul-americana, como as cantoras Dolores Aguirre e Julia Ortiz, do PerotáChingó (Argentina/Uruguai), o bardo mineiro Luiz Gabriel Lopes (Graveola e o Lixo Polifônico) e o cantor-compositor gaúcho Thiago Ramil. O projeto gráfico é do artista Daniel Eizirik e a masterização do LP, de Felipe Tichauer. Ao vivo, o Apanhador reúne também Poloni (guitarra, teclados) e Bruno Neves (bateria, percussão). Transformadas em instrumentos rítmicos, as sucatas que a banda leva ao estúdio (baldes, sinos, conduítes, a inseparável bicicletinha vermelha, entre outros) acompanham os integrantes no palco.

A banda vem chamando a atenção desde o CD de estreia “Apanhador Só” (2010), que a crítica elegeu como um dos melhores daquela safra — a produção, aqui, é de Marcelo Fruet. No ano seguinte, veio a fita-cassete “Acústico-Sucateiro”, com versões exploratórias de composições já conhecidas, como “Um Rei e o Zé” e “Prédio”, e a inédita “Na Ponta dos Pés”. Em 2012, em coprodução com Curumin, o Apanhador divulgou o vinil de sete polegadas “Paraquedas” (com a faixa-título no lado A e “Salão de Festas” no lado B). Já os produtores Gustavo Lenza e Zé Nigro juntaram-se aos porto-alegrenses nas gravações de “Antes que tu conte outra”, título que alçou o grupo à linha de frente do cenário nacional. O álbum é o primeiro trabalho do grupo realizado via crowdfunding, recurso do qual eles se tornaram uma das principais referências no meio musical.

A bem-sucedida campanha de “Antes que tu conte outra” aqueceu os motores para o projeto “Na sala de estar”, que em 2016 permitiu ao Apanhador desbravar todas as regiões do país em uma centena de apresentações em espaços residenciais, sempre em aliança com o público. Este crowdfunding envolveu a compra de um carro, de um reboque e de todo equipamento técnico necessário para que o trio pudesse montar um show completo em qualquer local, por conta própria. Após sete meses longe de casa e milhares de quilômetros rodados, a banda vendeu o automóvel e aplicou toda quantia na criação e no lançamento de “Meio que tudo é um”, obra que retrata a experiência libertadora – e a iniciativa inspiradora – da trupe.

Todo repertório do Apanhador está disponível em serviços de streaming e para download gratuito no site www.apanhadorso.com.

Meio que tudo é um – lançamento do disco do Apanhador Só
Dia 11 de novembro, 21h
Theatro São Pedro – Praça Marechal Deodoro, s/n – Porto Alegre

Ingressos:
Plateia — R$ 45 meia / R$ 90 inteira
Camarote — R$ 35 meia / R$ 70 inteira
Galeria — R$ 25 meia / R$ 50 inteira

Condições de meia-entrada:
— com doação de 1 kg de alimento não perecível, 1 peça de roupa ou 1 brinquedo em bom estado;
— para associados da AATSP (ingressos limitados); estudantes, jovens de baixa renda e pessoas com deficiência (40% da lotação); idosos e classe artística

Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do teatro de segunda a sexta, das 13h às 18h30 e aos sábados e domingos, das 15h. Quando tiver espetáculos no teatro, a bilheteria estará aberta até o horário da apresentação, podendo ser adquiridos ingressos.

Venda online: http://bit.ly/MQTEUPOA
IMPORTANTE: Os lugares disponíveis online não correspondem à totalidade dos ingressos à venda.

Classificação indicativa: livre

Apanhador Só no Youtube: https://www.youtube.com/user/apanhadorso

Fonte: Bebê Baumgarten Comunicação

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA