Ciclo ‘A Filosofia e o Cinema Brasileiro’ começa nesta quinta em Pelotas

0
351

Mantenedores

A nona edição do Ciclo de Cinema promovido pelo Departamento de Filosofia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) será dedicada ao Cinema Nacional.

A primeira sessão será nesta quinta-feira (22), às 19h, na Faculdade de Odontologia, com a exibição do longa “Limite” de Mário Peixoto.

Após já ter abordado Ficção Científica, Música, Psicologia e Educação em ciclos anteriores, o projeto, coordenado pelo professor – doutor em Filosofia – Luis Rubira, opta por dedicar-se à temas específicos de nosso país. Rubira aponta também “o desconhecimento que paira ainda hoje sobre o cinema brasileiro” como um dos motivadores desta edição. No ano passado, o cinema nacional teve recorde de lançamentos, com um total de 158 títulos. Em termos de arrecadação, no entanto, a fatia do Brasil foi de apenas 8,9% no total de bilheteria.

Limite - Divulgação
Limite – Divulgação

O Ciclo, que começa nesta semana, vai até dezembro, com 40 títulos nacionais em exibição. Seguindo uma ordem cronológica, a primeira sessão exibirá o filme “Limite” de 1931 e encerrará com o longa “Vazante”, que entrou em cartaz em novembro do ano passado. Entre eles, a mostra contará com alguns clássicos como: Terra em Transe (1967) de Glauber Rocha; Cabra Marcado Para Morrer (1984) de Eduardo Coutinho; e Central do Brasil (1998) de Walter Salles.

Entre a definição do tema, pesquisa e leitura de bibliografia especializada, Rubira conta que o processo de seleção dos filmes e elaboração de cada ciclo demora uns 6 meses. Aberta ao público em geral, as sessões desta edição ocorrem na sala 54 da Faculdade de Odontologia. Após cada encontro, haverá debate entre os presentes, “buscando pensar o tema a partir da filosofia”, como frisa o professor.

Primeiras sessões
O filme escolhido para abrir o Ciclo, Limite, foi o único filme escrito e dirigido por Mário Peixoto. Em seu enredo, o longa mostra a resignação da condição humana, onde tripulantes de um pequeno barco à deriva param de remar e se conformam com a morte, relembrando (através de flashbacks) as situações de seu passado. Lançado em 1931, o longa foi ganhando reconhecimento com o passar do tempo, virando uma referência do cinema nacional. Em 2007, David Bowie escolheu “Limite” entre seus dez favoritos da América Latina para a mostra High Line Festival.

Na quinta-feira da próxima semana, dia 29, o longa exibido será O Cangaceiro (1955) de Lima Barreto. O filme é um dos primeiros brasileiros a fazer sucesso internacionalmente, levou o prêmio de melhor filme de aventura e de melhor trilha sonora no Festival Internacional de Cannes.

Na primeira semana de abril, o ciclo prossegue com Rio, 40 Graus, de Nelson Pereira dos Santos. Na sequência, serão exibidos: O Sobrado, dia 12; Bahia de Todos os Santos, dia 19; e O Pagador de Promessas, dia 26.

Ciclo A Filosofia e o Cinema Brasileiro
Quando: todas as quintas, às 19h
Onde: Faculdade de Odontologia, sala 54 (Rua Gonçalves Chaves, 457)
Entrada franca (retirar senha no dia da sessão)
Programação Completa: http://ccs2.ufpel.edu.br

Ciclo

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA