Cine UFPel participa da Semana do Folclore

O Cine UFPel é um espaço conquistado pelos cursos de Cinema da Universidade Federal de Pelotas através de conversas com a reitoria e, a princípio, costumava funcionar como auditório, mas percebeu-se que tinha uma formatação que podia ser adaptada para o cinema.

Por Calvin Cousin

A proposta do projeto é a de trazer filmes sensíveis e humanos, preferencialmente nacionais e com apresentação de curtas antes de sua exibição. Desde 2015, o Cine deixou de ser reservado para aulas, devido ao desgaste de material, e está exclusivamente com a ideia de realizar sessões gratuitas para a comunidade, seja ela universitária ou não. Deste modo, é natural que o espaço tenha participado da sexta Semana do Folclore, iniciativa do Núcleo de Folclore da UFPel – NUFOLK.

Realizada em celebração ao Dia do Folclore Nacional (22 de agosto), a programação da Semana incluiu oficinas de tambor e capoeira, visitas às escolas do município, apresentações de dança e a Mostra Folclore, sediada no Cine entre os dias 24 e 26. Um dos objetivos da parceria foi o de aproximar alguns dos diversos projetos que surgem no Centro de Artes da UFPel, tornando-os mais próximos do público externo.

“Eu e a Cíntia Langie (coordenadora do Cine UFPel) nos conhecemos há bastante tempo, e o cinema é muito simbólico dentro da instituição e vem se consolidando fora também, por estar aberto para a população” conta Thiago Amorim, coordenador do NUFOLK. Cíntia confirma: “Quando o Thiago perguntou ‘não dá para o Cine UFPel também ser de folclore nessa semana?’, fechou tudo”.

No período da Mostra, foram exibidos três documentários que exploram a relação entre sociedade e elementos folclóricos, com realização de debates entre os espectadores após cada sessão. Eram eles:

O Grande Tambor (Gustavo Türck e Sérgio Valentim, 2010) – Sinopse: O filme narra a trajetória do Tambor de Sopapo, que carrega a história da diáspora africana no Rio Grande do Sul. Sua matriz vem pelas mãos e mentes dos africanos escravizados para a região das charqueadas, ao extremo sul do Brasil. O documentário conta uma parte da história sobre a contribuição dos afrodescendentes na formação simbólica e cultural do povo do estado, com entrevistas de mestres da fabricação do instrumento.

Tarja Branca (Cacau Rhoden, 2014) – Sinopse: A partir dos depoimentos de adultos de gerações, origens e profissões diferentes, o documentário discorre sobre a pluralidade do ato de brincar, e como o ser humano pode se relacionar com a criança que mora dentro dele. Por meio de reflexões, o filme mostra as diferentes formas de como a brincadeira, ação tão primordial à natureza humana, pode estar interligada com o comportamento do adulto contemporâneo e seu “espírito lúdico”.

Terra dos Homens (Thiago Amorim e Igor Pretto, 2016) – Sinopse: O documentário é uma produção independente que destaca de modo poético os momentos mais importantes da trajetória da Abambaé – Companhia de Danças Brasileiras, nos seus primeiros 10 anos. Oferece depoimentos marcantes de integrantes, fundadores e simpatizantes do trabalho desenvolvido pela Companhia, fixada em Pelotas.

Foto Divulgação
Foto Divulgação

“O Grande Tambor” salienta a importância da cultura africana na formação folclórica do Rio Grande do Sul
Pelo fato do Cine UFPel possuir uma grade de programação fixa e exigir reservas adiantadas, o evento foi organizado com cerca de seis meses de antecedência e não encontrou complicações. Na visão dos realizadores, a Mostra foi bem sucedida, por manter uma média de público (“cerca de metade da casa, sendo que algumas pessoas vieram nas três noites”) e oferecer à comunidade atrações culturais acessíveis que fogem do modelo costumeiro: “Ofertar um novo viés para as pessoas é algo muito importante nas artes” afirma Thiago Amorim, que também trabalha como diretor geral da Abambaé.

A professora Carmen Hoffmann, coordenadora adjunta do NUFOLK e mediadora do debate realizado após “Terra dos Homens”, complementa: “Apresentar um trabalho com a temática folclórica, sendo uma produção independente, aproxima o público e os artistas, além de criar o vínculo do indivíduo vir e apreciar a arte, não apenas receber, o que é essencial para a cultura”.

O Cine UFPel fica na rua Lobo da Costa, 447, Pelotas.
Conheça mais sobre o NUFOLK no site oficial: wp.ufpel.edu.br/nufolk/

__________

14264149_830693777030502_5101510297978826840_nCalvin Cousin é estudante no sexto semestre de Jornalismo na UFPel. Não acredita em horóscopo, mas é aquariano com Vênus em Peixes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *