Com rock visceral e cru, Oficina Beatnik lança seu primeiro EP

Com apenas um ano de atividade, o trio pelotense Oficina Beatnik já conta com um grande número de shows realizados e muitos quilômetros rodados. Agora, a banda apresenta seu primeiro registro de estúdio.

Três músicas do EP de estreia, que leva apenas o nome da banda, já estão disponíveis para audição na página do facebook. O primeiro single, “Dinamite”, foi lançado no último dia 14. Na sequência, o grupo apresentou do som batizado “Paulada” e essa semana a faixa “No fundo é sempre cada um por si”. Após o lançamento de todas as quatro canções, o trabalho completo será disponibilizado nas principais plataformas digitais de streaming.

Foto Divulgação
Foto Divulgação

Baterista e vocalista do trio, Eduardo Guerra Machado, conta que lançar o trabalho de forma “parcelada” é uma tentativa de dar uma atenção maior a cada faixa. O EP foi gravado no A Vapor Estúdio, com mixagem e masterização de Lucas Roma. Todo instrumental foi registrado de forma ao vivo, em 2 ou 3 takes. Apenas o vocal foi gravado separadamente. Esse método, segundo Eduardo transmite um pouco melhor a energia do som do power trio.

Da garagem para estrada

Show em Maringá - Foto Divulgação
Show em Maringá – Foto Divulgação

Apesar de já acumular na bagagem diversos shows pela cidade e ter realizado três turnês, a Oficina Beatnik está recém completando seu primeiro ano de atividade neste mês de junho. Segundo Eduardo Machado, tudo começou após ele comprar uma bateria, seu instrumento de origem. Junto com seu parceiro musical, o guitarrista Yuri Barbosa (os dois são responsáveis pelo projeto shaka bullets desde 2015), começaram os ensaios. Para o baixo foi recrutado o baixista e vocalista Wysrah Moraes de Souza, que também integra a banda Mato Cerrado e já era parceiro musical da dupla.

O trio começou com covers de bandas consideradas referências, como Led, Deep Purple e Pink Floyd. O convite para um show de estreia no Pub Sherlock fez com a banda definisse um repertório, incluindo composições próprias que estavam engavetadas.

obDesde o início, o trio já tinha a pretensão de circular por outras cidades. Com um outro projeto, Yuri e Eduardo já haviam realizado uma turnê e pegado gosto pela estrada. Assim, entre agosto e setembro do ano passado, a Oficina Beatnik realizou sua primeira tour, que incluiu diversas cidades dos estados de Santa Catarina e Paraná. Foram mais de 4 mil quilômetros percorridos em 20 dias e 11 shows no total.

A banda realizou ainda mais duas turnês, uma em novembro do ano passado e outra em janeiro deste ano. Eles já adiantam que em agosto, a banda subirá novamente o litoral catarinense, para mais três shows, divulgando o EP e um road-doc com imagens captadas na primeira viagem. Sobre essas experiências de estrada, Eduardo afirma que apesar de todos contratempos: “correria, comendo em beira de estrada, noites no carro cheio de equipamentos, dormindo torto”, após subir ao palco e ter contato pessoal com o público, “tudo se paga”. “Somos uma banda de garagem, que, acima de tudo, ama tocar”, resume ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *