Longa “Disforia” realiza filmagens em Porto Alegre

Suspense gaúcho capta imagens na Capital até julho.

Making of - crédito Tuane Eggers
Making of – crédito Tuane Eggers

Porto Alegre serve de cenário para o longa “Disforia”, que está sendo rodado durante os meses de junho e julho. Realização da Sofá Verde e Epifania Filmes, o filme é a estreia na direção de longa-metragens de Lucas Cassales (“O Corpo”), que divide o roteiro com Thiago Duarte (“Bocheiros”). Mariana Mêmis Müller (“A Vida Extra-ordinária de Tarso de Castro” e “Filme sobre um Bom Fim”) assina a produção executiva. Suspense com elementos de terror psicológico, “Disforia” tem no elenco Rafael Sieg (“1 Contra Todos”), Vinícius Ferreira (“Carcereiros”), Ida Celina (“Chuteira Preta”) e a atriz mirim Isabella Lima (“Ida”). Maiores informações na página oficial do filme no Facebook. O filme tem previsão de lançamento para o segundo semestre de 2019.

Disforia - Ida Celina - crédito Arno Schuh
Disforia – Ida Celina – crédito Arno Schuh

A trama do filme conta a história do psicólogo Dário (Rafael Sieg), que carrega o trauma da morte da filha recém nascida. Enquanto volta a tratar crianças, precisa atender Sofia (Isabella Lima), paciente que traz à tona seus fantasmas do passado.  “‘Disforia’ é um filme sobre culpa”, resume Lucas Cassales.Não só a do protagonista, mas também das demais personagens e está inserida em seus contextos emocionais que tensionam suas ações e a própria narrativa”, complementa o cineasta porto-alegrense. Também na equipe do filme estão Richard Tavares (“Rifle”) e Mauricio Bispo (“Nós Montanha”), responsáveis pela direção de arte, Arno Schuh (“O Corpo”), direção de fotografia, e Martina Zanetello (“Para o que der e vier”), direção de produção.

Lucas Cassales - crédito Tuane Eggers
Lucas Cassales – crédito Tuane Eggers

Sobre Lucas Cassales
Natural de Porto Alegre, Lucas Cassales é graduado em Cinema na
PUC-RS e Mestre em Comunicação Social pela instituição. Roteirizou e dirigiu os curtas “Sofá Verde” (2010), “Sebo” (2009) e “Abismo” (2013). “O Corpo” (2015), seu quarto curta-metragem, foi exibido em festivais no Brasil, França, Argentina, Noruega e Islândia, e recebeu prêmios de melhor curta-metragem e de melhor fotografia na mostra nacional do Festival de Cinema de Gramado e o prêmio do júri da crítica na competição internacional Paris Courts Devant 2015, além de ser considerado o quinto melhor filme da lista dos melhores filmes de curta-metragem de 2015 da Associação Brasileira dos Críticos de Cinema (Abraccine). Também é criador e curador do Festival Diálogo de Cinema.

Fonte: Isidoro B. Guggiana

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *