Mostra comemorativa de Zoravia Bettiol lança financiamento coletivo

O objetivo é conseguir recursos para editar e publicar o catálogo da exposição, que será distribuído gratuitamente. A campanha fica no ar até o dia 20 de outubro de 2016.

Título: A Rosa da Noite - Série Romeu e Julieta - 1971 Técnica: Xilogravura
Título: A Rosa da Noite – Série Romeu e Julieta – 1971
Técnica: Xilogravura

Os 80 anos de vida e os 60 de arte de Zoravia Bettiol serão comemorados em uma exposição na pinacoteca central do MARGS, em outubro. No último dia 5 foi lançado um financiamento coletivo para viabilizar a publicação do catálogo da mostra, importante registro da representativa trajetória da artista plástica gaúcha.

Esse verdadeiro resgate em forma de homenagem, intitulado Zoravia Bettiol – O Lírico e o Onírico, reunirá cerca de 150 obras pautadas no lirismo e na fantasia, dois aspectos marcantes da personalidade, do processo criativo e da poética da artista. A curadoria é de Paula Ramos.

Com os recursos obtidos por meio do crowdfunding serão impressos mil catálogos, que terão distribuição gratuita. Os valores de apoios para a campanha partem de R$ 25 e as recompensas incluemconjunto de postais e miniaturas de trabalhos, xilogravuras, monotipias e até desenhos originais de Zoravia. As colaborações podem ser feitas pelo endereço https://www.catarse.me/pt/zoraviabettiol. A campanha fica no ar até o dia 20 de outubro de 2016.

Financiamento coletivo para produção do catálogo da
exposição ‘Zoravia Bettiol – o Lírico e o Onírico’
Onde colaborar: https://www.catarse.me/pt/zoraviabettiol
Até 20 de outubro de 2016
Tiragem do catálogo: 1 mil exemplares para distribuição gratuita

Exposição ‘Zoravia Bettiol – o Lírico e o Onírico’
Quando: 25 de outubro a 11 de dezembro de 2016
Onde: Pinacoteca Central do MARGS (Praça da Alfândega, s/n° – Centro -Porto Alegre)

Título: Nuances do Arco Iris - Série Nuance XII - 1989 Técnica: Monotipia Especificações: H0,48 x L 0,66
Título: Nuances do Arco Iris – Série Nuance XII – 1989
Técnica: Monotipia
Especificações: H0,48 x L 0,66

A ARTISTA
Zoravia Bettiol iniciou sua trajetória no campo das artes em 1952, quando ingressou no Instituto de Belas Artes (IBA), atual Instituto de Artes da UFRGS. Esse é o marco da carreira de uma artista que transita por diversos gêneros e suportes: pintura (sua ênfase acadêmica), gravura, desenho, arte têxtil, criação de joias e de objetos, design de superfície, performances e instalações. Com obras em acervos de alguns dos mais importantes museus de arte do mundo, Zoravia já realizou 136 exposições individuais e, aproximadamente, 400 coletivas em mais de 30 países.

Em 1956, a artista começou o seu percurso na gravura, quando passou a frequentar o ateliê do escultor e gravador Vasco Prado (1914–1998), com quem dividiu grande parte da sua vida artística e afetiva. Sua produção em gravura e especialmente em xilogravura valeu-lhe diversos prêmios e o reconhecimento nacional e internacional.

No final dos anos 1960, encantada com as possibilidades da arte têxtil, instaurou uma linguagem nessa técnica que pautaria a produção de toda uma geração. O têxtil, por sua vez, a conduziu às joias e essas aos headdresses, costumes e performances. Apesar da pluralidade, há uma inconteste unidade, manifestada nos temas e nas linguagens.

A EXPOSIÇÃO
A exposição Zoravia Bettiol – o Lírico e o Onírico apresentará cerca de 150 obras.Em um primeiro momento, o cerne é o universo poético mais conhecido da artista, marcado por referências afetivas, míticas e literárias. Fazem parte deste módulo desenhos e gravuras que revelam o seu vigor gráfico, sua ousadia no uso das cores e o domínio da narratividade.

Na sequência, um aspecto de Zorávia nunca exibido: seu processo criativo. São apresentados estudos, desenhos preparatórios e anotações. Os documentos de trabalho preservados por ela sugerem os seus percursos criativos, a relação entre texto e imagem, imagem e outras linguagens do teatro e da música.

E, finalizando, o visitante tem a oportunidade de ouvir a voz da artista, em uma entrevista produzida especialmente para a exposição. Com ênfase em aspectos do pensamento e da postura política, crítica e libertária de Zoravia Bettiol, o áudio constitui um documento para a própria história da arte brasileira.

Fonte: Jornalista Dóris Fialcoff

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *