Pelotas, Segunda Capital Cultural

No ano de 2009, Pelotas ficou em segundo lugar no ranking da pesquisa “Capitais da Cultura RS”, realizada pela revista Aplauso, perdendo – pela quarta vez consecutiva – para Caxias do sul.
Os critérios para a realização da pesquisa são objetivos: vence quem tiver, por exemplo, mais estudantes universitários na soma de todas as unidades municipais, a cidade que vender mais exemplares na sua Feira do Livro anual, produção local de espetáculos, exposições, concertos, filmes, além do patrimônio histórico-cultural e a existência, ou não, de Leis de Incentivo à Cultura, entre outros. De 2008 para 2009, a campeã Caxias do Sul diminuiu apenas um ponto, enquanto Pelotas manteve-se em segundo lugar no ranking, apesar de perder 44 pontos. Destaca-se na lista a cidade de Rio Grande, que cresceu 100 pontos, subindo de 11° para 5° lugar no ranking.

Foto: Laureano Bittencourt
Foto: Laureano Bittencourt

Pelotas, após ganhar como a 1° colocada na primeira pesquisa (realizada em 2005), tem se mantido bravamente na 2° colocação. A queda nos investimentos foi sentida por boa parte das cidades, e baixou a pontuação de uma forma geral.Um ponto que chama a atenção é que nossa cidade, diferentemente da 1° colocada e de cidades que cresceram na pontuação, não possui Lei de Incentivo à Cultura.

“Nosso orçamento caiu cerca de 20%”, comenta o Secretário de Cultura de Pelotas Mogar Xavier. Culpa, segundo ele, da queda no repasse de recursos dos governos Estadual e Federal, também afetados pela crise.

Pelotas parece querer manter sua política quanto à cultura pautada principalmente na conservação de prédios históricos, esquecendo-se de criar mecanismos para o incentivo de centenas de artistas que muito contribuem – e poderiam contribuir ainda mais se bem valorizados – com o cenário cultural pelotense. Em Santa Cruz, onde não há Secretaria de Cultura, a coordenadoria responsável parece pensar diferente: “Quando o desenvolvimento cultural não depende só da Prefeitura, com certeza a eficácia das ações e projetos é maior e mais qualificada, garantindo a diversidade cultural, o comprometimento de artistas, grupos e entidades com a produção cultural da cidade”, destaca a Coordenadora Municipal de Cultura, Marli Silveira.

Em Caxias, a situação é mais estável. O Secretário de Cultura Antônio Feldmann diz que, mesmo em tempos de crise, o governo continua priorizando a cultura com um dos maiores orçamentos do país – há anos a cidade investe em torno de 2,3% de suas receitas na produção artística. “Mas temos também o apoio das universidades e das empresas locais, que investem muito, principalmente a partir das Leis de Incentivo”, destaca. E ainda prepara-se para inovar mais uma vez, ao elaborar um “Plano Municipal de Cultura” – uma espécie de plano diretor com as diretrizes do setor para os próximos 10 anos. “A gestão da cultura só tem sucesso se for ampla, aberta, democrática e se respeitar as diferenças e a pluralidade”.

O IPA (Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas – órgão do Governo) a colocou em 1° lugar entre 5.542 municípios brasileiros, confirmando tal posição privilegiada de Caxias do Sul, que já possui dois Mecanismos Municipais de Incentivo à Cultura – O Financiarte e a LIC. Pelotas não tem nenhum mecanismo, e ainda assim se mantém em 2°segundo lugar. Parabéns à Pelotas. Demonstra com isso o quanto seu Patrimônio Histórico é rico, e o quanto investe-se na recuperação do mesmo.No entanto, não se pode viver apenas do passado, e exaltar apenas o quão belos e antigos são os prédios da cidade. Exaltemos também o quão brilhante são nossas produções teatrais, nossos artistas, nossos estudantes de arte, cinema, música e teatro – incentivando-os a criar coisas cada vez mais ricas, capaz de oferecer aos Pelotenses e ao RS Cultura de altíssima qualidade, e de cabeça erguida!

Por Deco Rodrigues e Isis Araújo
Cult Produções