Próxima sessão do Cineclube 1968 será no Café Monjolo

Em 80 min. de exibição, três filmes sobre resistência cultural serão apresentados. A curadoria é do Teatro do Chapéu Azul.

No dia 22/10, próximo sábado, haverá sessão do Cineclube 1968 no Café Monjolo a partir das 18h.

Desta vez, a curadoria fica por conta do Teatro do Chapéu Azul, que apresenta três filmes curtos sobre resistência cultural em tempos de repressão.

A sessão terá 80 min e após, haverá discussão sobre os filmes apresentados.

O Café Monjolo fica na rua Conde de Porto Alegre, 221 – quase esq. Alberto Rosa. A entrada é franca.

Confira os filmes que integram a programação:

FILME: Enquanto a Tristeza não Vem
DURAÇÃO: 20 min | GÊNERO: Documentário
SINOPSE: O compositor Sérgio Ricardo expõe sua visão acerca da história do Brasil de JK aos nossos dias, salientando, sobretudo, os descaminhos da cultura brasileira a partir do golpe militar de 64. Ele, que foi galã da Bossa Nova, quebrou o violão nos Festivais, fez trilha sonora para o Cinema Novo, conta o que viveu da História do Brasil.

FILME: Teatro Político: uma história de utopia
DURAÇÃO: 40 min. | GÊNERO: Documentário
SINOPSE: A história de um movimento político e artístico realizado na Curitiba dos anos 60 por artistas, estudantes, intelectuais e jornalistas que acreditavam no teatro como instrumento revolucionário.

FILME: Oficina Perdiz
DURAÇÃO: 20min | GÊNERO: Documentário
SINOPSE: Perdiz instalou sua oficina mecânica em uma área pública na cidade planejada de Brasília (Brasil), no ano de 1969. Abriu seu espaço pela primeira vez para o teatro com Esperando Godot, de Becket. E não parou mais. Entre peças mecânicas e teatrais, a resistência em manter um espaço cultural inusitado na capital do país.

SOBRE O CINECLUBE 1968
Um grupo de coletivos de Pelotas tem se reunido periodicamente para dar força ao movimento cineclubista, possuindo curadorias de diferentes atuações e espaços alternativos de exibições. Com projetos em diferentes áreas como comunicação social e cultura, culinária e literatura, debates sociais, estudos políticos, pesquisa em fotografia e outros, o projeto surge com a proposta de agregação e ampliação de discussões e acesso a produções cinematográficas. Denominado “Cineclube 1968”, referindo-se a um ano marcante e revolucionário, a iniciativa já chega na sua sexta edição, tendo exibições de 15 em 15 dias em Pelotas.

É formado pelo Grupo Olhos de Lata, Teatro do Chapéu Azul, Coletivo Tranca Rua, Coisdivó, Instituto Mário Alves, Coletivo Rede, Rádio Com e Satolep Levante.

Saiba mais em: cineclube68.wordpress.com

O QUÊ: Cineclube 1968 | Curadoria: Teatro do Chapéu Azul
QUANDO: 22/10, sábado
HORA: 18h
ONDE: Café Monjolo – Conde de Porto Alegre, 221, quase esq. Alberto Rosa
QUANTO: Gratuito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *