Série de documentários apresenta a diversidade da música produzida no Rio Grande do Sul

0
726

Mantenedores

Projeto Gema: Primeira exibição será em sessão comentada no Santander Cultural, dia 15 de setembro, no Santander Cultural em Porto Alegre.

Antonio Xango - Foto: Francisco Cadaval
Antonio Xango – Foto: Francisco Cadaval

Uma série de documentários em curta metragem irá mostrar a pluralidade da música produzida no Rio Grande do Sul. A iniciativa faz parte do Gema – projeto de pesquisa e registros multimídias, idealizado pelo pesquisador e produtor cultural Lucas Luz, contemplado pelo edital Natura Musical. Lucas reuniu um grupo de músicos e pesquisadores que, com a consultoria de Arthur de Faria e Pedrinho Figueiredo, percorreram o Estado realizando vivências e interações com diferentes músicos, mestres, grupos e comunidades tradicionais. O resultado dessa viagem são dez documentários em curta-metragem, podcasts, fotos e textos, que serão publicados no site www.projetogema.com.br. Também será lançada uma revista com fotos e um pequeno perfil dos protagonistas registrados, para distribuição gratuita em escolas e pontos de cultura.

Mbya Guarani - Foto: Lucas Luz
Mbya Guarani – Foto: Lucas Luz

Os protagonistas desta história são os índios Mbya-Guarani da Aldeia Tekoa Guaviraty Porã, de Santa Maria; Regional do Ibicuí, formado por negros quilombolas que cultivam a tradição da gaita, em Santana do Livramento; Bonitinho, guitar-hero conhecido por animar bailes e salões de CTGs pelo estado; Maçambique de Osório, um dos grupos tradicionais mais antigos do RS, formado por negros devotos de Nossa Senhora do Rosário; Goela Seca, bandinha típica alemã da cidade de Feliz; Adelar Bertussi, um dos maiores gaiteiros do Brasil e grande divulgador do bugio, ritmo genuíno gaúcho, com origens indígenas; Luis Vagner, guitarreiro, suingueiro, cantor e compositor; Antônio Carlos de Xangô, um dos mais velhos pais-de-santo do Estado; Mestre Paraquedas, mestre griô, contador de histórias, artista plástico, pesquisador e compositor; e Mestre Renato, mestre de terno de reis e luthier de violas, violões, violinos, cavaquinhos e bandolins.

Adelar Bertussi - Foto: Mario Neto
Adelar Bertussi – Foto: Mario Neto

O projeto registra as diferentes faces que compõem o universo da música produzida no Rio Grande do Sul. É fruto de uma pesquisa que envolve os elementos e a linguagem musical presente em tradições ancestrais e folclóricas do território gaúcho, transmitidas pela interação entre diferentes povos, como espanhóis, portugueses, índios, africanos, italianos e alemães, entre outros, e seus contextos, como o rural e o urbano. O conteúdo produzido para diferentes plataformas mostra as características plurais da música produzida no Estado, comprovando o quanto ela é universal e, acima de tudo, brasileira. “É a busca por uma quebra de preconceitos e para que entendamos as nossas particularidades musicais. Traremos uma colaboração ao desenvolvimento do universo cultural do Rio Grande do Sul, apresentando, de forma didática, informações sobre alguns músicos e gêneros musicais praticados em nosso território”, explica Luz.

O projeto foi contemplado pelo edital Rio Grande do Sul do programa Natura Musical com apoio e financiado pelo Pró-cultura RS LIC (Lei de Incentivo à Cultura), da Secretaria de Estado da Cultura do Rio Grande do Sul. “Com a criação em 2014 de um edital exclusivo para o patrocínio da produção musical gaúcha, o Natura Musical tem a oportunidade de reconhecer e valorizar a cena local, em todas as suas vertentes, tradicional ou contemporânea. O projeto Gema nos ajudará a mapear e contar a história dessa produção”, diz Fernanda Paiva, gerente de Marketing Institucional da Natura.

EXIBIÇÃO ONLINE E SESSÕES COMENTADAS
Os dez documentários, registros fotográficos, textos e entrevistas serão divulgados entre os meses de setembro e dezembro no ambiente digital no site www.projetogema.com.br e fanpage www.facebook.com/ProjetoGema. Além disso, haverá sessões comentadas em Porto Alegre, Canoas, São Leopoldo e Caxias do Sul, com a participação da equipe do projeto.

Natura apresenta Projeto Gema
Data: 15/9/2016
Horário: 19h
Local: Santander Cultural (Rua 7 de Setembro, 1028)
Entrada franca
PROJETO GEMA – 5 PRIMEIROS EPISÓDIOS
Brasil, 2016, cor, 60 min
Direção: Francisco Cadaval
Produção: Lucas Luz
Câmeras: Mário Neto, Lucas Luz, Francisco Cadaval
Som: Rafael Dezesseis, Ismael Corrêa de Oliveira
Gênero: Documentário
Classificação: 14 anos

CONOGRAMA DE LANÇAMENTOS E SESSÕES COMENTADAS:
15 de setembro: Sessão comentada em Porto Alegre | Santander Cultural
20 de setembro: Lançamento online | Vídeos #1 e #2 – Aldeia Guarani Mbya Tekoá Guaviraty e Regional do Ibicuí
23 de setembro: Sessão comentada em Canoas | Villa Mimosa
26 de setembro: Lançamento online | Vídeo #3 – Bonitinho
10 de outubro: Lançamento online | Vídeo #4 – Maçambique de Osório
11 de outubro: Sessão comentada em Caxias do Sul | Teatro do SESC
24 de outubro: Lançamento online |Vídeo #5 – Bandinha Típica Alemã Goela Seca
7 de novembro: Lançamento online | Vídeo #6 – Adelar Bertussi
14 de novembro: Lançamento online |Vídeo #7 – Antônio Carlos de Xangô
21 de novembro: Lançamento online |Vídeo #8 – Luis Vagner
2 de dezembro: Lançamento online |Vídeo #9 – Mestre Paraquedas
19 de dezembro: Lançamento online |Vídeo #10 – Mestre Renato

SANTANDER CULTURAL
A primeira sessão comentada, que marca também o início da exibição dos vídeos, será realizada no dia 15 de setembro, no Santander Cultural, em Porto Alegre. Serão apresentados os cinco primeiros documentários, que abordam a cultura dos músicos da Aldeia Guarani Mbya Tekoá Guaviraty; Regional do Quilombo Ibicuí da Armada, Bonitinho, Maçambique de Osório e Bandinha Típica Alemã Goela Seca, com bate-papo com a equipe que realizou o projeto.

EQUIPE
A equipe responsável pelo projeto é formada por Lucas Luz (pesquisador e produtor cultural), Ismael Corrêa de Oliveira (músico e pesquisador), Rafael Dezesseis (músico e sound designer), Francisco Cadaval (diretor de vídeo) e Mario Ferrari (diretor de arte e multimeios). Como consultores, figuram ainda no projeto Arthur de Faria e Pedrinho Figueiredo.

Natura Musical
O Natura Musical, programa reconhecido por seu papel na renovação e preservação da música brasileira, completou dez anos de atuação em 2015, contabilizando o apoio à realização de mais de 1250 produtos culturais (cerca de 1100 shows, 106 CDs, 21 DVDs, 18 livros e 5 filmes), com 1,3 milhão de pessoas diretamente impactadas e cerca de 118 milhões investidos (60% de recursos próprios e 40% de verbas incentivadas). Hoje proporciona o lançamento de uma média de 20 discos por ano, além de patrocinar cerca de 150 shows pelo Brasil, gratuitos ou a preços mais populares do que o mercado oferece tradicionalmente.
O programa patrocina projetos prioritariamente por meio de editais públicos, que selecionam projetos de diversos formatos e estágios da produção cultural em nível nacional, com uso das Leis Rouanet e Audiovisual, e em nível regional, com uso de ICMS, conforme a disponibilidade de recursos. A partir de 2016, o programa vai ampliar sua presença na programação cultural, com o patrocínio a uma nova casa de espetáculos em São Paulo e ao Auditório Natura Musical, no MIS, no Rio de Janeiro, com o objetivo de criar palcos permanentes para novos talentos e artistas consagrados. No ambiente digital, os canais Natura Musical são plataforma para o lançamento de singles, obras completas e outros conteúdos musicais exclusivos dos projetos patrocinados, com acesso gratuito.
OUÇA O CANAL NATURA MUSICAL NO SPOTIFY E SAIBA MAIS NO PORTAL E FACEBOOK
www.naturamusical.com.br
https://www.facebook.com/NMusical/

Sobre a Natura
Fundada em 1969, a Natura é uma multinacional brasileira de cosméticos e produtos de higiene e beleza. Líder no setor de venda direta no Brasil, registrou R$ 7,9 bilhões de receita líquida em 2015, possui mais de 7 mil colaboradores, 1,9 milhão de consultoras e operações na Argentina, Bolívia, Chile, México, Peru, Colômbia e França. Maior empresa B Corp do mundo, foi a primeira companhia de capital aberto a receber a certificação, em dezembro de 2014, o que reforça sua atuação transparente e sustentável nos aspectos social, ambiental e econômico. A estrutura da companhia é composta por fábricas em Cajamar (SP) e Benevides (PA), oito centros de distribuição no Brasil, um hub logístico em Itupeva (SP) e centros de Pesquisa e Tecnologia em São Paulo (SP), Manaus (AM) e Nova Iorque (EUA). Detém o controle da fabricante australiana de cosméticos Aesop, com lojas em países da Oceania, Ásia, Europa e América do Norte. Produtos da marca Natura podem ser adquiridos com as consultoras pela Revista Natura ou pela Rede Natura www.redenatura.net. Para mais informações sobre a empresa, visite www.natura.com.br e confira os seus perfis nas seguintes redes sociais: Linkedin, Facebook, Twitter e Youtube.

Fonte: Dona Flor Comunicação

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA