Shows gratuitos com Ian e Vitor Ramil em Porto Alegre

0
1297

Mantenedores

Nova edição do projeto Discografia Pop Rock Gaúcho acontece nos dias 10 e 11 de junho (sábado e domingo) com entrada franca no Araújo Vianna, com shows de Vitor Ramil, Ian Ramil, Maria do Relento e Rosa Tattooada.

Novamente serão apresentados quatro shows inéditos, onde os convidados executarão na íntegra e na ordem álbuns clássicos de suas respectivas carreiras.

No sábado, dia 10 de junho, o projeto recebe os shows de Vitor Ramil tocando o álbum “Ramilonga” de 1997 e de Ian Ramil tocando seu primeiro disco “Ian” de 2014. Esta será a primeira vez que pai e filho dividirão o palco do mesmo evento. Já no domingo, dia 11, Maria do Relento toca o álbum “Maria do Relento” de 1995 e Rosa Tattooada apresenta o álbum “Rosa Tattooada” de 1992.

E como não poderia ser diferente, mais uma vez os shows serão gratuitos. Um lote de ingressos será distribuído no dia 9 de junho a partir das 12h na bilheteria do Araújo Vianna, mediante a apresentação de documento de identificação com cpf. O restante dos ingressos serão distribuídos no dia de cada evento, a partir das 12h. Poderá ser retirado apenas dois ingressos por cpf (ou dois ingressos para o mesmo dia, ou um ingresso para cada dia).

Discografia Pop Rock Gaúcho é financiado pelo Pró-Cultura RS através do patrocínio da Net Claro e tem apoio da Conteúdo Gestão Cultural e do Grupo Austral. É uma criação da Olelê e uma realização da Mezanino e Mais Além Produções.

Vitor Ramil
“Ramilonga” é uma espécie de marco zero na carreira de Vitor Ramil. No disco de 1997, Vitor estabeleceu as sete cidades da milonga (ritmo comum ao Rio Grande do Sul, Uruguai e Argentina): Rigor, Profundidade, Clareza, Concisão, Pureza, Leveza e Melancolia. Através delas a poesia de onze “ramilongas” percorre o imaginário regional gaúcho mesclando o linguajar gauchesco do homem do campo à fala coloquial dos centros urbanos. No disco de grande sucesso do cantor, o canto forte gauchesco deu lugar a uma expressividade sofisticada e suave, utilizando instrumentos indianos como sitar, tablas e tambura, que nunca antes tinham sido reunidos neste gênero de música.

Ian Ramil
“Ian” de 2014 foi o primeiro disco lançado por Ian Ramil. Gravado na Argentina e com produção do Matías Cella – que produziu Jorge Drexler, entre tantos outros grandes artistas – o álbum lançou canções emblemáticas como “Suvenir”, “Segue o Bloco” e “Seis Patinhos”. Elogiado pelo público e imprensa, o disco permitiu a Ian levar sua primeira turnê de shows para os Estados Unidos (Nova Iorque), Colômbia, México e para diversas cidades do Brasil.

Maria do Relento
Com o disco de estreia de 1995, a Maria do Relento conquistou logo seu lugar no cenário nacional ao trazer uma proposta inovadora e irreverente. Lançado pela Excelente Discos – sociedade entre a banda Titãs e o produtor Carlos Eduardo Miranda – o disco lançou hits como “É fácil Dizer Adeus”, “Ritmo de Festa” e “Conhece o Mário?“, que recebeu indicação para a premiação da MTV, o VMB de 1995, no quesito Escolha da Audiência.

Rosa Tattooada
O álbum de 1992 da Rosa Tattooada foi lançado pela Sony Music. Produzido por Thedy Corrêa, do Nenhum de Nós, o disco tornou a banda conhecida em todo o Brasil – época em que abriram shows do Guns n Roses (RJ e SP)- e lançou clássicos como “Tardes de Outono”, “Na Estrada”, “Voando Baixo”, “Voltando Pra Casa” e a lendária “O Inferno Vai Ter Que Esperar”! Parceria de Thedy & Jacques Maciel, “Inferno” é uma das músicas mais tocadas na história do rádio no Rio Grande do Sul.

Discografia Pop Rock Gaúcho 2017
10 e 11 de junho, sábado e domingo
Local: Araújo Vianna – Porto Alegre RS
Sábado – Abertura: 17h
18h30: Ian Ramil tocando “Ian” de 2014
20h: Vitor Ramil tocando “Ramilonga” de 1997
Domingo – Abertura: 17h
18h30: Maria do Relento tocando “Maria do Relento” de 1995
20h: Rosa Tatooada tocando “Rosa Tattooada”, de 1992
Evento gratuito. Ingressos limitados.
Classificação: Livre

18620319_1434901936532004_3160305452480245252_n

Fonte: Aline Fiabane

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA