Sonora Brasil Sesc dá início aos circuitos de “Cantos de Trabalho” no RS

Dez cidades gaúchas recebem as atrações desta 19ª edição do projeto nacional.

Em agosto, o Rio Grande do Sul recebe a 19ª edição do Sonora Brasil Sesc (2015/2016), projeto que traz ao Estado apresentações musicais com o tema Cantos de Trabalho. A iniciativa engloba quatro circuitos, programados para acontecer até novembro deste ano. Cantadeiras do Sisal e Aboiadores de Valente será a temática do primeiro circuito apresentado em dez cidades gaúchas, entre os dias 05 e 14.

Canoas, Montenegro, Camaquã, Pelotas, Alegrete, Santa Rosa, Ijuí, Carazinho, Passo Fundo e Porto Alegre são os municípios que recebem o projeto, até o mês de novembro. O segundo circuito está programado para acontecer entre 4 e 14 de setembro e terá como temática principal a Destaladeiras de Fumo de Arapiraca e Mestre Nelson Rosa (Alagoas), enquanto Ilumiara (Minas Gerais) será o tema em outubro e Quebradeiras de Coco Babaçu em novembro.

Cantadeiras do Sisal e Aboiadores de Valente
O grupo é formado por Izabel, Alda, Ivamarcia, Carminha, Marisvalda e Cássia e pelo aboiadores Ailton Aboiador e Ailton Jr. Entre 16 e 20 de agosto, Porto Alegre também recebe a 3ª Mostra Sonora Brasil, que reúne apresentações dos quatro assuntos dentro da temática principal: “Cantadeiras do Sisal e Aboiadores de Valente” (Bahia), “Destaladeiras de Fumo de Arapiraca e Mestre Nelson Rosa” (Alagoas), “Ilumiara” (Minas Gerais) e “Quebradeiras de Coco Babaçu” (Maranhão).

Foto: Robson di Almeida
Foto: Robson di Almeida

O primeiro circuito retrata a cidade de Valente que está situada no nordeste da Bahia, a 240 quilômetros de Salvador, na principal região produtora de sisal do País. As cantadeiras do sisal são mulheres que trabalharam por muito tempo nas várias etapas de produção da fibra, desde o plantio até a fabricação dos produtos derivados, e que hoje são artesãs, ofício que aprenderam a partir de projetos desenvolvidos na região. O repertório das cantadeiras, entoado em grupo durante a produção do artesanato, é formado por cantigas conhecidas desde a infância e outras de uma memória mais recente que tratam de questões cotidianas e fazem alusão a particularidades da produção sisaleira.

Na região também se concentram fazendas dedicadas à agropecuária bovina e caprina, o que justifica a presença de aboiadores. Ailton Aboiador e Ailton Jr., pai e filho, são aboiadores reconhecidos na região. O pai trabalhou por muitos anos na lida com o gado, transportando boiadas pelos campos do semiárido baiano. O aboio “pé duro” foi sua ferramenta de trabalho e as toadas foram sua companhia das horas de descanso no campo. O filho, desde criança acompanhava seu pai na lida com o gado e já na adolescência formava dupla cantando aboios e toadas.

O projeto procura despertar um olhar crítico sobre a produção e sobre os mecanismos de difusão da música no País, incentivando novas práticas e novos hábitos de apreciação musical, promovendo apresentações de caráter essencialmente acústico, que valorizam a autenticidade sonora das obras e de seus intérpretes. Mais informações podem ser obtidas junto à Unidade do Sesc de cada município e pelo site www.sesc-rs.com.br/sonorabrasil.

19º Sonora Brasil “Sonoros Ofícios – Cantos de Trabalho”

Circuito 1: “Cantadeiras do Sisal e Aboiadores de Valente” (BA)
05/08: Canoas
06/08: Montenegro
07/08: Camaquã
08/08: Pelotas
10/08: Alegrete
11/08: Santa Rosa
12/08: Ijuí
13/08: Carazinho
14/08: Passo Fundo

Sobre o Sonora Brasil – Promovido pelo Sesc, o projeto é considerado o maior do País em circulação musical e, em 2015 promoveu 430 concertos em mais de 120 cidades brasileiras. O Sonora Brasil cumpre a missão de difundir o trabalho de artistas que se dedicam à construção de uma obra não comercial. A formação de plateia é o que se busca por meio do contato do público com a qualidade e a diversidade da música, estimulando o olhar crítico sobre a produção e os mecanismos de difusão da música no país. Todas as apresentações são essencialmente acústicas, valorizando qualidade sonora das obras e de seus intérpretes. Desde a sua primeira edição, em 1998, já passaram pelo projeto cerca de 80 grupos em mais de 3.900 apresentações por todo o País, alcançando um público superior a 520 mil espectadores. No Rio Grande do Sul, as atividades do Sonora Brasil integram a agenda do Arte Sesc – Cultura por toda parte.

Fonte: Pumaira Coronel – Usina de Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *