Trajetória de Restauros é o tema de palestra na Catedral São Pedro em Rio Grande

As técnicas utilizadas nas obras de restauro da Catedral de São Pedro, em Rio Grande, serão tema de palestra no próximo dia 26 de junho(quarta-feira), das 14h às 18h, na primeira igreja portuguesa no Rio Grande do Sul.

Evento é aberto à comunidade acadêmica e público em geral e tem como foco analogia entre restauros de 1994 e 2019.

Arquiteta Letícia Carneiro palestra sobre restauro na Catedral São Pedro – Doto Divulgação

Com o tema “Das patologias ao saneamento no restauro da igreja: a importância das restaurações de 1994 e 2019”, o evento é aberto à comunidade acadêmica e público em geral e terá como convidados a arquiteta Letícia Carneiro Estima e o engenheiro Jorge Nunes, professor da FURG. A mediação será feita pela arquiteta Jane Borghetti, responsável pelo projeto de recuperação do telhado, em curso.

“A ideia é analisarmos a trajetória destes restauros, que se refletem nas intervenções atuais”, explica Jane. Segundo ela, Letícia falará sobre levantamento de patologias e Jorge sobre avaliação das argamassas de saneamento utilizadas na restauração da Igreja matriz de São Pedro em 1994.

O evento é aberto a alunos de toda região. Interessados podem inscrever-se através do e-mail ato@atoproducaocultural.com.br para obtenção de certificado.

A degradação e a restauração de argamassas de rebocos em edifícios históricos é um problema frequente, em especial quando decorrentes da umidade, que pode conter determinado teor de salinidade.

Catedral São Pedro RG – Foto: Valder Valeirão

Com esse foco o arquiteto alemão Claus Arent, coordenador do instituto Fur Gabaudeanalyse und Sanierungsplanum, de Munique, desenvolveu um trabalho nos anos 90, que até hoje serve de referência no mundo acadêmico. O professor Jorge Nunes acompanhou de perto este trabalho e posteriormente desenvolveu argamassa de saneamento para restauros, através de pesquisas na FURG.

A trajetória de Letícia também está ligada a este período, quando foi contratada para coordenar uma equipe interdisciplinar durante as obras de restauração da Catedral de São Pedro e da Capela de São Francisco de Assis, em 1994.

“Além da coordenação dos profissionais, fiz o levantamento cadastral, fotográfico e das patologias, além do diagnóstico e proposta de intervenção”, recorda. Ela tem especialização em Preservação do Patrimônio Arquitetônico e Urbano e atuou por uma década na área de patrimônio da Prefeitura de Rio Grande.

HISTÓRICO – Construída em 1755, a matriz faz parte dos primeiros tombamentos nacionais no Brasil, junto com a Capela da Ordem Terceira de São Francisco. Na época tratava-se do Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional(SPHAN), com processo datado de maio de 1938. A primeira parte do atual projeto de restauro se concretiza via Lei Rouanet, através de patrocínio da Bianchini/SA, Termasa – Terminal Marítimo Luiz Fogliatto S/A e apoio dos Supermercados Guanabara.

Palestra: “Das patologias ao saneamento no restauro da igreja: a importância das restaurações de 1994 e 2019”
Quando? Quarta-feira, 26 de junho de 2019
Hora? das 14h às 18h
Onde? Catedral São Pedro – Rio Grande RS

Inscrições:
Pelo e-mail ato@atoproducaocultural.com.br
*serão enviados certificados aos participantes.

Fonte: Satolep Press

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *