9º Festival da Fronteira divulga filmes premiados

Filmado em Pelotas, “Bicha Camelô”, de Wagner Previtali ganhou como Melhor Curta Regional. Evento aconteceu de 15 a 19 de novembro em Bagé/RS. 

Bicha Camelô 02 crédito Lucas Vieira & Micael Jambers
Bicha Camelô – crédito Lucas Vieira & Micael Jambers

O Festival Internacional de Cinema da Fronteira anuncia os longas e curtas vencedores de sua nona edição. Os grandes destaques da competitiva internacional de longas são “Yonlu”, de Hique Montanari, que levou o troféu de melhor filme e o prêmio da imprensa, e “Guarnieri”, de Francisco Guarnieri, melhor direção e júri popular. Já os curtas, “Superpina”, de Jean Santos, consagrou-se melhor curta internacional e “Bicha Camelô”, de Wagner Previtali, melhor curta regional. O festival teve patrocínio do DAEB e realização da Associação Pró Santa Thereza. A promoção ficou a cargo da Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura de Bagé, com apoio cultural da Urcamp, Unipampa e Sesc e curadoria da Anti Filmes. Informações na página oficial do Facebook: fb.com/festivaldafronteira.

O festival trouxe à Rainha da Fronteira quatro dias intensos de cinema com mostras e oficinas gratuitas e a presença de convidados ilustres como a atriz Zezita Matos (“Reza a Lenda”), Thalles Cabral e Hique Montanari (“Yonlu”), Eduardo Brandão (“Vazio do Lado de Fora”), Suzana Villas Boas (“Amazônia”), os músicos Frank Jorge e Alexandre Birck, entre outros. “A seleção deste ano foi corajosa ao trazer filmes com temas polêmicos, assim como foi o juri ao consagrar ‘Yonlu’, que é um filme que discute a temática do suicídio, e ‘Guarnieri’, que fala do papel da arte no combate ao autoritarismo”, avalia o diretor artístico Zeca Brito. “Foi uma edição que lidou com liberdade, poesia e afeto”, conclui o cineasta bageense, que já trabalha nos preparativos da edição de dez anos do festival.

Mostra Competitiva Internacional de Longas-Metragens
Melhor Filme – “Yonlu”, de Hique Montanari;
Melhor Direção – Francisco Guarnieri, por “Guarnieri”;
Prêmio do Juri Popular – “Guarnieri”, de Francisco Guarnieri;
Prêmio da Imprensa – “Yonlu”;
Menção Honrosa – Melhor Ator: Armando Babaioff, por “Homem Livre”;
Menção Honrosa – Desenho de Som: Manuel de Andres, por “Açúcar”.

Mostra Competitiva Internacional de Curtas-Metragens
Melhor Curta Internacional – “Superpina”, de Jean Santos;
Menções Honrosas – “Manifesto Porongos”, de Thiago Köche, e “Yomared”, de Lufe Bollini e Mariana Yomared.

Mostra Competitiva Regional
Melhor Curta Regional – “Bicha Camelô”, de Wagner Previtali;
Menções Honrosas – “Encontros”, de Carlos Eduardo Gusmão, Thais Rodrigues e Yuri Ramos, e “Serrinha – Aldeia Kaingang”, de Joel Felipe Guindani.

Festival da Fronteira divulga programação oficial

Com entrada franca, evento acontece de 15 a 19 de novembro em Bagé (RS).

O Festival Internacional de Cinema da Fronteira chega a sua nona edição, mais uma vez voltado à democratização da cultura e ao livre acesso à produção audiovisual. Todas as exibições e atividades são gratuitas para o público. Integram o evento uma mostra competitiva nacional de longas e duas de curtas, internacional e local, com sessões comentadas. Além disso, o festival também traz à cidade oficinas, debates e shows musicais.

O evento acontece de 15 a 19 de novembro, no Centro Histórico Vila de Santa Thereza (Av. Visconde Ribeiro de Magalhães, s/n). A programação completa está disponível no link goo.gl/4BkeV2 e na página oficial do Facebook: fb.com/festivaldafronteira. O festival tem patrocínio do DAEB e realização da Associação Pró Santa Thereza. A promoção fica a cargo da Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura de Bagé, com apoio cultural da Urcamp, Unipampa e Sesc.

Aurora 1964 Foto: Diego Di Niglio - Viu Cine
Aurora 1964 Foto: Diego Di Niglio – Viu Cine

A 9ª edição do Festival Internacional de Cinema da Fronteira traz dez longas-metragens em competição e três longas convidados, muitos deles inéditos no Estado. O longa de abertura é a ficção gaúcha “Yonlu”, de Hique Montanari, que recebeu o prêmio Abraccine de Melhor Filme Brasileiro de Diretor Estreante na Mostra de São Paulo. Seu protagonista Thalles Cabral (“Amor à Vida”) e o diretor estarão presentes na exibição. Outros destaques da competitiva são os documentários “A Terceira Margem”, de Fabian Remy, agraciado como o melhor longa nacional do festival É Tudo Verdade e “Quem é Bárbara Virgínia?”, que conta a história da primeira diretora de cinema em língua portuguesa. A curadoria de longas é assinada pelos cineastas Zeca Brito e Frederico Ruas da Anti Filmes e pela jornalista luso-moçambicana Carla Henriques.

Os homenageados deste ano são o crítico de cinema paulista Cid Nader (1958-2017), que foi curador do festival durante cinco anos consecutivos, e a escritora, jornalista bageense Edy Lima, considerada uma das precursoras do feminismo na dramaturgia brasileira. Seu neto, Francisco Guarnieri, que participa do festival com o longa “Guarnieri”, vem à cidade receber a homenagem. A programação musical do festival é eclética e começa com a apresentação dos músicos tradicionalistas Tiago Cesarino e Augusto Maradona, seguida de sarau poético com o ator paulista Fernando Alves Pinto, na abertura do festival. Pinto (“2 Coelhos”) estrela o longa em competição “Quando o Galo Cantar Pela Terceira Vez Renegarás Tua Mãe” e ministra uma das oficinas do festival, junto com a atriz Zezita Matos (“Reza a Lenda”). O som instrumental da brasileira radicada em Buenos Aires Kika Simone será uma das atrações da cerimônia de premiação. O show de encerramento traz à Rainha da Fronteira o rock da dupla porto-alegrense Frank Jorge e Alexandre Birck.

“Será uma edição muito bonita e intensa, com atividades de formação e reflexões importantes, filmes que tratam de política e problemas sociais, filmes profundos em estética e filosofia, será uma edição para fazer pensar”, promete o diretor artístico do festival Zeca Brito. “Queremos pensar o Brasil e a sociedade para a qual o cinema é feito. Não tememos a polêmica: nossa seleção traz temas delicados e atuais que vão do suicídio (‘Yonlu’) à eutanásia (‘Antes do Fim’), e reflexões críticas sobre o racismo (‘Açúcar’), totalitarismo (‘Aurora 1964’), intolerância religiosa (‘Homem Livre’) e ao futuro em poesia (‘Bio’)”, enumera Brito. O juri de longas é formado pela produtora paulista Suzana Villas Boas, o jornalista gaúcho Roger Lerina, a cineasta mineira Elizabeth Martins Campos e o cineasta carioca Eduardo Brandão. O corpo de jurados dos curtas é formado pe a produtora musical Rita Zartt, a atriz Carla Cassapo e o crítico Ney Minotto. Os vencedores receberão o troféu São Sebastião, escultura em bronze do artista plástico Sérgio Coirolo. O santo é padroeiro de Bagé e símbolo do festival.

Longas em Competição
Açúcar – Dir. Renata Pinheiro e Sérgio Oliveira;
Aurora 1964 – Dir. Diego Di Niglio;
A Terceira Margem – Dir. Fabian Remy;
Bio – Dir. Carlos Gerbase;
Guarnieri – Dir. Francisco Guarnieri;
Histórias que nosso cinema (não) contava – Dir. Fernanda Pessoa;
Homem Livre – Dir. Alvaro Furloni;
Quando o Galo Cantar Pela Terceira Vez Renegarás Tua Mãe – Dir. Aaron Salles Torres;
Quem é Bárbara Virgínia? – Dir. Luísa Sequeira;
Yonlu – Dir. Hique Montanari.

Longas Convidados
Antes do Fim (Brasil) – Dir. Cristiano Burlan;
Caminando Juntos (Espanha) – Dir. Rodolfo Montero;
Serviçais (São Tomé e Príncipe) – Dir. Nilton Medeiros.

Mostra Competitiva Internacional de Curtas-Metragens
Apuntes sobre Identidad (Argentina) – Dir. Felipe Camargo;
Ausência de Memória (Brasil) – Dir. Rita Piffer;
Clarice (Brasil) – Dir. Vitor Medeiros;
Desfragmentos (Brasil) – Dir. Helena Lukianski e G. Heberle;
Manifesto Porongos (Brasil) – Dir. Thiago Köche;
Netuno (Brasil) – Dir. Daniel Nolasco;
O Vestido de Myriam (Brasil) – Dir. Lucas H. Rossi;
Real Conquista (Brasil) – Dir. Fabiana Assis;
Rosario (México) – Dir. Marlén Ríos Farjart;
Sena, os Fios em Prosa (Brasil) – Dir. Marcelo Da Rosa Costa;
Sobre sonhos e águas (Brasil) – Dir. Mirela Kruel;
Superpina (Brasil) – Dir. Jean Santos;
Valentina (Brasil) – Dir. Estevão Meneguzzo e André Felix;
Yomared (Brasil) – Dir. Lufe Bollini e Mariana Yomared.

Fonte: Isidoro Guggiana

Festival Internacional de Cinema da Fronteira abre inscrições

A 9ª edição do Festival Internacional de Cinema da Fronteira está com inscrições abertas para curtas e longas-metragens até o dia 15 de outubro.

Curadores Frederico Ruas e Zeca Brito. Crédito: Isidoro B. Guggiana © Anti Filmes
Curadores Frederico Ruas e Zeca Brito. Crédito: Isidoro B. Guggiana © Anti Filmes

O cadastro das obras pode ser feito na plataforma Festhome, pelo link goo.gl/BUfmHq. O evento acontece de 15 a 19 de novembro em Bagé (RS), com sessões competitivas e oficinas. A realização é da Associação Pró Santa Thereza, com promoção da Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura de Bagé, curadoria da Anti Filmes e apoio cultural da URCAMP e Unipampa. Maiores informações na página oficial do Facebook: fb.com/festivaldafronteira.

Cid Nader, um dos homenageados deste ano pelo festival. Crédito: Zeca Brito © Anti Filmes
Cid Nader, um dos homenageados deste ano pelo festival. Crédito: Zeca Brito © Anti Filmes

Um dos homenageados deste Festival da Fronteira é Cid Nader (1958-2017), falecido em agosto. O crítico de cinema paulista foi curador do evento durante cinco anos consecutivos. “No início do ano, o Cid apontou um caminho para esta edição e agora, vamos seguir o que aprendemos com ele”, conta Zeca Brito, que divide a curadoria com o também cineasta Frederico Ruas. “Continuaremos então nossa busca por narrativas que explorem novos caminhos, por um cinema inclusivo de diversidade e invenção”, promete Brito.

Cartaz: São Sebastião decapitado, símbolo do Festival da Fronteira. São Sebastião é padroeiro da cidade de Bagé. Ilustração de Glauco Rodrigues com arte gráfica de Luiza Ollé. Crédito: Glauco Rodrigues/Luiza Ollé © Anti Filmes
Cartaz: São Sebastião decapitado, símbolo do Festival da Fronteira. São Sebastião é padroeiro da cidade de Bagé. Ilustração de Glauco Rodrigues com arte gráfica de Luiza Ollé. Crédito: Glauco Rodrigues/Luiza Ollé © Anti Filmes

Stand up da Cia é o favorito do público no Festival de Osório

A primeira participação da Companhia Pelotense de Repertório Teatral em um festival de teatro deu ao grupo o troféu de Melhor Espetáculo do Júri Popular. A proeza ocorreu no último final de semana, quando a Cia representou Pelotas no Festival Art in Vento, de Osório, com o show de stand up “4.5 a toda potência”, com texto e direção de Joice Lima.

Foto: Gabriel Ferreira

Na tarde de sábado (24 de outubro), no auditório da Câmara de Vereadores de Osório, Ana Alice Muller, Joice Lima, Paula Brandão e Val Fabres apresentaram a comédia que conta alguns dos micos e das delícias de quem já passou dos 40 – episódios verídicos vivenciados por elas ou por amigos -, e conseguiram aplausos entusiasmados e gargalhadas da plateia. Laerte Pedroso operou luz e a trilha anos 1980, que embala o show. A diretora diz que o reconhecimento público é um incentivo para a Cia se lançar em breve em outros festivais.

Esta foi a primeira vez, nos dez anos do Art in Vento, que dois espetáculos levam o troféu do Júri Popular. Junto com a Cia, que concorreu na categoria Teatro Amador Adulto, o Grupo Foi o que eu disse, de Harmonia, com o espetáculo O Auto da Compadecida, que entrou na disputa pela categoria estudantil infantil, também foi favorito do público. Os dois obtiveram a nota 9,1.

O stand up “4.5” será reapresentado no dia 27 de novembro, na 2ª Mostra de Teatro da Cia, na Bibliotheca Pública Pelotense (BPP), que apoia o evento.

Foto: Divulgação

18ª Feira do Livro de Bagé

Evento, que é promovido pelo Sistema Fecomércio-RS/ Sesc, ocorrerá na Praça da Estação, até 12 de outubro.

Evento integra agenda do Arte Sesc - Cultura por toda parte

Bagé recebe a 18ª edição da Feira do Livro, entre os dias 7 e 12 de outubro. Com o tema “Ler é Divertido Como Brincar”, o evento ocorrerá na Praça da Estação (Caetano Gonçalves) das 9h às 21h. A escritora Gládis Dêble é a pratrona da Feira, que é uma realização do Sistema Fecomércio-RS/ Sesc. O evento também contará com a participação do cantor e compositor Arnaldo Antunes numa das ações literárias.

A programação conta com diversas atividades culturais, a abertura do evento acontece no dia 7, às 9h, com participação de autoridades, convidados e comunidade em geral e após, será feita uma homenagem à patrona. Entre as atrações da Feira, estão espetáculos teatrais e musicais, contação de histórias, projeto Sesc Mais Leitura, lançamentos de livros, palestras e painéis. Confira a programação completa abaixo.

A atuação do Sistema Fecomércio-RS/ Sesc na promoção de Feiras de Livros tem a finalidade de proporcionar às comunidades uma ação cultural completa e de interesse público a ser atendido. Mais informações podem ser obtidas junto ao Sesc Bagé (Rua Barão do Triunfo, 1280), telefone (53) 3242-7600.

18ª Feira do Livro de Bagé
“Ler é divertido como brincar” – Patrona Gládis Dêble

Data: 7 a 12 de outubro
Horário: 9h às 21h
Local: Praça da Estação

PROGRAMAÇÃO:

07 de Outubro de2015

9h – Abertura Oficial da 18ª Feira do Livro de Bagé. (Palco Principal)

9h30 – Homenagem à Patrona Gladis Deble promovida pela Associação Bageense de escritores Independentes. (Palco Principal)

10h Apresentação do projeto Rodarte: Dança Alegria e Cor. (Palco Principal)

10h30 – Apresentação da ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO BÁSICA PROFESSOR JUSTINO QUINTANA com o Teatro de Bonecos.

14h – Oficina Infantil com a Escritora Greice Martins, baseada da sua recente obra “Fábulas Gaúchas”. (Espaço Carlos Urbim)

14h30 – Contação de histórias da Turma do Milê, projeto Escola Arnaldo Faria. (Palco Principal)

15h – Apresentação da Banda Fanfarra da EMEF Dr. Darcy Azambuja. (Palco Principal)

15h15 – Apresentação de Percussão da EMEF Creusa Brito Giorgis. (Palco Principal)

15h30 – Apresentação da ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO BÁSICA PROFESSOR JUSTINO QUINTANA com o Teatro de Bonecos.

16h – Projeto: “CURTA LITERATURA”, espaço de projeção de curtas metragens de animação dirigido ao público infanto-juvenil e estudantes em geral, com repertório de filmes incluídos em edições do DIA (Dia Internacional de Animação, promovido no Brasil pela ABCA). Coordenação: Sávio Machado. (Palco Principal)

17h – Café com a Patrona. (Espaço Carlos Urbim)

18h – Lançamento Literário: “Dando Pinta” de Almir Dias da Silva. (Espaço Carlos Urbim)

19h – Lançamento Literário: “Os Chas e a Fé” de Severino Moreira. (Espaço Carlos Urbim)

19h – 1º Ciclo de cinema universitário da Urcamp na Feira do Livro. Coordenação: Glauber Pereira. (Palco Principal)

19h – “A criança, a psicanálise e a leitura”, palestrante Christian Guimarães Severo (URCAMP) com coordenação da Professora Ada Maria Machado Guimarães.

Local: Sala de Multimeios do SESC. (Avenida Barão do Triunfo, nº 1280)

20h – Apresentação Musical – Banda Mr. Joey. (Palco Principal)

08 de Outubro de 2015

9h30 – Apresentação do projeto Rodarte: Artes Circenses (Professor Borges). (Palco Principal)

10h – Apresentação do teatro ”Papelito, em busca da boa leitura”. (Palco Principal)

14h – Encontro Ilustrado com a Papescu, com a escritora Monika Papescu – Projeto Sesc Mais Leitura. (Palco Principal)

15h – Apresentação do Projeto Rodarte: Bailando La Salsa. (Palco Principal)

15h15 – Apresentação do teatro ”Papelito, em busca da boa leitura”. (Palco Principal)

16h – Projeto: “CURTA LITERATURA”, espaço de projeção de curtas metragens de animação dirigido ao público infanto-juvenil e estudantes em geral, com repertório de filmes incluídos em edições do DIA (Dia Internacional de Animação, promovido no Brasil pela ABCA). Coordenação: Sávio Machado. (Palco Principal)

17h – Café com a Patrona. (Espaço Carlos Urbim)

18h – Lançamento Literário Antologia Cultura Sul 2015. (Espaço Carlos Urbim)

19h – 1º Ciclo de cinema universitário da Urcamp na Feira do Livro. Coordenação: Glauber Pereira. (Palco Principal)

19h – Um Diálogo de Direito com a Comunidade III , tema: “A IMPORTÂNCIA DA CRIAÇÃO DE LEI QUE DETERMINE OS PROVEDORES, E LOCAIS PÚBLICOS, DE ACESSO À INTERNET A MANTEREM EM SEUS BANCOS DE DADOS, POR 5 ANOS, ARQUIVOS COM IDENTIFICAÇÃO E ATIVIDADE DE SEUS USUÁRIOS”, abordagem do advogado Klauss Jacinto Pereira Filho (egresso da URCAMP/Direito/Bagé). Coordenação: Profª Ada Maria Machado Guimarães e Dr. Heron Vaz (Curso de Direito/URCAMP).

Local: Sala de Multimeios do SESC. (Avenida Barão do Triunfo, nº 1280)

19:30h Lançamento Literário: “Histórias que a vida me contou” de Nilton Jobim Porcelis Matos. (Espaço Carlos Urbim)

20h – Bate Papo com o Poeta, músico e compositor Arnaldo Antunes – Poeta, cantor e compositor, nasceu em São Paulo em 1960. Integrou o grupo Titãs, com o qual gravou sete discos. Em carreira solo desde 1992, já lançou os discos Nome, Ninguém, O Silêncio, Um Som, O Corpo (trilha para espetáculo de dança do Grupo Corpo), Paradeiro, Saiba, Qualquer, Ao Vivo no Estúdio, IêIêIêe, Ao Vivo Lá em Casa, A Curva da Cintura, Acústico MTV e Disco, além de Tribalistas (com Marisa Monte e Carlinhos Brown). Tem vários livros publicados no Brasil (entre eles Psia, Tudos, As Coisas, 2 ou + Corpos no Mesmo Espaço, 40 Escritos, Como É Que Chama o Nome Disso e N. D. A., na Espanha (Doble Duplo) e em Portugal (Antologia).

09 de Outubro de 2015

9h – Encontro Ilustrado com a Papescu, com a escritora Monika Papescu – Projeto Sesc Mais Leitura. (Palco Principal)

10h – Apresentação do teatro ”Papelito, em busca da boa leitura”. (Palco Principal)

14h – Encontro Ilustrado com a Papescu, com a escritora Monika Papescu – Projeto Sesc Mais Leitura. (Palco Principal)

14h30 – O Verso e o Reverso de Ernesto: Poema “Panelinha do Candal”, em tributo ao escritor Ernesto Wayne.

Criação: Alunos da E.M.E.F São Benedito, direção: Sávio Machado. (Espaço Carlos Urbim)

15h – Apresentação do projeto Rodarte: Artes Circenses (Professor Fabiano). (Palco Principal)

15h15 – Apresentação projeto Rodarte: Mágica. (Palco Principal)

15h30 – Apresentação projeto Rodarte: Percussão. (Palco Principal)

16h – Projeto: “CURTA LITERATURA”, espaço de projeção de curtas metragens de animação dirigido ao público infanto-juvenil e estudantes em geral, com repertório de filmes incluídos em edições do DIA (Dia Internacional de Animação, promovido no Brasil pela ABCA). Coordenação: Sávio Machado. (Palco Principal)

17h – Café com a Patrona e Sarau com a poeta carioca Gisele Sant’ana Lemos. (Espaço Carlos Urbim)

18h – Lançamento Literário: “Raízes ao vento”, de Särita Bárros, e “Vó Sonha”, de Sonia Alcalde. Bate papo com as autoras e sessão de autógrafos. (Espaço Carlos Urbim)

19h – 1º Ciclo de cinema universitário da Urcamp na Feira do Livro. Coordenação: Glauber Pereira. (Palco Principal)

19h “Oficina de Literatura Infantil: construindo histórias e jogos de linguagem das inteligências múltiplas”, acadêmicas da URCAMP, coordenação Profª Ada Maria Machado Guimarães.

Local: Sala de Multimeios do SESC. (Avenida Barão do Triunfo, nº 1280)

19h30 – Lançamento Literário do livro “Colorindo Bagé”, de Stela Vasconcellos. (Espaço Carlos Urbim)

20h – Apresentação Musical – O Samba, a Bossa e as Novas. (Palco Principal)

10 de Outubro de 2015

10h30 – Hora do Conto Biblioteca Sesc/Bagé. (Palco Principal)

14h às 17h – União das Artes – Oficinas envolvendo Arteterapia e ABEI (Associação Bageense de Escritores Independente), ministrada por Marilene Azevedo, Gladis Deble e Maria do Carmo Martins Marques. (Espaço Carlos Urbim)

15h – Contação de Histórias com a poetisa carioca Gisele Sant’ana Lemos. (Palco Principal)

16h – Apresentação Musical, com Samuel Sodré, para Maturidade Ativa: show interativo, onde público viajará em uma bela aventura musical, que tem como objetivo elevar a autoestima, a inclusão social, o movimento corporal físico e mental e acima de tudo a convivência em grupo e a felicidade. (Palco Principal)

17h – Lançamento Literário: “O homem e seus demônios”, de Fernando Risch. (Espaço Carlos Urbim)

17h30 – Apresentação do espetáculo “Os Saltimbancos” com a Cia Parceiros de Teatro. (Palco Principal)

19h – Lançamento Literário: “OS Guinle: a história de uma dinastia” de Clovis Bulcão. (Espaço Carlos Urbim)

19h – 1º Ciclo de cinema universitário da Urcamp na Feira do Livro. Coordenação: Glauber Pereira. (Palco Principal)

20h – Apresentação Musical – Daniel Romero e Banda. (Palco Principal)

11 de Outubro de 2015

14h às 17h – União das Artes – Oficinas envolvendo Arteterapia e ABEI (Associação Bageense de Escritores Independente), ministrada por Marilene Azevedo, Gladis Deble e Maria do Carmo Martins Marques. (Espaço Carlos Urbim)

16h – Oficinas com País & Filhos, com dinâmicas criativas intercalando com as histórias infantis, com a poetisa carioca Gisele Sant’ana Lemos. (Palco Principal)

17h – Lançamento Literário “Imagens do meu Rio Grande do Sul antigo e seus vizinhos” volume I e II de Bruno Farias.

17h – Apresentação do espetáculo “O casamento da dona Baratinha” com a Cia Parceiros de Teatro. (Palco Principal)

18h Lançamento Literário “Narradores de Bagé”, autores: alunos do IFSul Bagé. (Espaço Carlos Urbim)

18h – Show infantil com Samuel Sodré: poético-musical com contação de histórias musicadas e atividades lúdicas onde as crianças participam efetivamente do espetáculo tocando instrumentos confeccionados com sucata, cantando, representando e principalmente aprendendo a redescobrir a magia das histórias, tendo a música como trilha sonora. (Palco Principal)

19h – Divulgação de resultados e premiação do Concurso de Poesia. (Palco Principal)

19h – Lançamento Literário: “História do Rio Grande do Sul para o Ensino Fundamental – edição 2015 e Uma Breve História do Forte de Santa Tecla” de Ivan dos Santos Pinheiro.

20h – Apresentação Musical – Trio Clave. (Palco Principal)

12 de Outubro de 2015

10h30 – Hora do Conto Biblioteca Sesc/Bagé. (Palco Principal)

15h – Exibição do Filme Zarafa, projeto Cine Sesc. (Palco Principal)

16h – Literatura de não ficção: como narrar a realidade de forma literária, com os jornalistas Felipe Laud e Giuliana Bruni. (Espaço Carlos Urbim)

16h30 – Hora do Conto Biblioteca Sesc/Bagé. (Palco Principal)

17h – Apresentação do projeto Rodarte: Dança Mimes. (Palco Principal)

17:15h Apresentação do projeto Rodarte: Dança Urbana. (Palco Principal)

17h30 – Apresentação da do projeto Fábrica de Gaiteiros. (Palco Principal)

18h – Lançamento Literário “A Rainha da Fronteira – Fragmentos sobre a história de Bagé”, dos autores Cássio Gomes Lopes e Edgard Lopes Lucas. (Espaço Carlos Urbim)

18h – Show de Encerramento da 18ª Feira do Livro de Bagé com o Show PIÁ do Grupo Sonido Del Alma Gaucha. (Palco Principal)

Programação Fixa
*Estande SMED:
Demonstração de Robótica;
Contação de Histórias;
Exposição de Poesias das Escolas da Rede Municipal de Ensino.

*Um Poema em Cada Árvore (Projeto criado e promovido nacionalmente pelo Instituto PSIA e coordenado pelo seu idealizador, poeta Marcelo Rocha, na cidade de Governador Valadares, MG, e abrangendo mais de 80 cidades das cinco regiões, simultaneamente. Prêmio Viva Leitura 2011).

*Exposição: Mostra Mário Quintana

*Concurso de Poesia
07 e 08 -entrega das poesias
09 e 10 – julgamento
11 – divulgação de resultados

* Planetário Itinerante Unipampa
Data: 07, 08 e 09 de outubro.
Local: Praça da Estação
Horário: 9h, 10h, 11h, 14h 15h e 16h.

 

 

6ª edição do evento ocorre em Bagé entre os dias 24 e 29 de novembro

Paulo José e Elza Soares são os homenageados do Festival Internacional de Cinema da Fronteira. 

A fronteira do Brasil com o Uruguai possui um município referência na produção e exibição audiovisual: Bagé, que se prepara para receber a 6ª edição do Festival Internacional de Cinema da Fronteira entre os dias 24 e 29 de novembro. Os artistas homenageados serão o ator e diretor Paulo José e a cantora Elza Soares, que estarão presentes na noite cerimônia de abertura – que será seguida de show com Bebeto Alves e exibição do filme My Name Is Now, que narra a trajetória da diva do samba. Este ano, o Festival da Fronteira inaugura a mostra competitiva de longas-metragens com sete títulos em competição, além das tradicionais mostras competitivas internacional, regional e universitária de curtas-metragens.

O Festival Internacional de Cinema da Fronteira tem como objetivo criar uma janela de exibição na região limítrofe do Brasil como maneira de incentivar a produção regional e fortalecer o mercado audiovisual no Rio Grande do Sul. Especializado em produções latinas e lusófonas, ao todo, foram aproximadamente 500 inscrições nos formatos curta e longa-metragem com destaque para Argentina, Cuba, Colômbia, Costa Rica, Peru, Portugal, Uruguai e Venezuela. Com exceção de Amapá e Tocantins, todos os estados brasileiros estarão representados na sexta edição.

Os curadores do Festival da Fronteira são Cid Nader, jornalista e crítico de cinema do portal Cine Qua Non, e Carla Henriques, produtora e apresentadora do programa Grande Plano sobre cinema em língua portuguesa de Moçambique. A direção artística do Festival da Fronteira é coordenada pelo cineasta Zeca Brito.

DESTAQUES
– A mostra Made in Paraguay, que fez sucesso nos meses de setembro e outubro no Rio de Janeiro e São Paulo, estará no Festival da Fronteira. Destaques para: “Sebastian Voodoo” (animação que ganhou mais de 107 prêmios); “7 Caixas” (ficção de maior sucesso de público da história do Paraguai, batendo “Titanic”); “Hamaca Paraguaya”(recebeu o Prêmio da Crítica no Festival de Cannes) e o épico “Libertad”(que retrata a guerra pela independência do país e é a maior produção do cinema paraguaio).

– O Prêmio Memória & Patrimônio oferece R$ 15 mil em premiações para os destaques da Mostra Competitiva Regional (especial para os municípios da Fronteira Oeste). O Instituto ACM, de Salvador-BA, estará presente na Comissão Julgadora do Prêmio Memória & Patrimônio do Festival, com sua superintendente Cláudia Vaz. O IACM vai a Bagé, também, para conhecer melhor o desenvolvimento e o conceito do prêmio que, talvez, seja levado para Salvador.

– O Festival da Fronteira reforça uma parceria com os países de língua portuguesa através da mostra FESTin – Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa – que trará títulos produzidos na Europa e na África, e inaugura a Mostra de Animação Portuguesa.

– Uma das atrações do Festival da Fronteira será a apresentação para o público escolar dos dez filmes mais premiados em 15 anos do Núcleo de Especiais da RBS. Na ocasião, a organização do festival homenageará o Núcleo pelo aniversário e o Projeto Histórias Curtas, que chega ao 14º ano de atividades. Estão confirmadas as presenças das jornalistas Alice Urbim e Leonice Sordi, diretora e coordenadora de produção do Núcleo de Especiais da RBS.

– O Festival da Fronteira recebe pela primeira vez a Seleção especial do Festival Internacional de Cinema Super8.

– O Festival da Fronteira promove o encontro sobre a Linha de Produção de Conteúdos Destinados às TVs Públicas do Fundo Setorial do Audiovisual.

– O conceito de identidade visual da 6ª edição do Festival da Fronteira é em homenagem ao artista plástico bajeense Glauco Rodrigues.

LONGAS EM COMPETIÇÃO
A História da Eternidade, de Camilo Cavalcante, (121min) / Em um pequeno vilarejo no Sertão, três histórias de amor e desejo revolucionam a paisagem afetiva de seus moradores. Personagens de um mundo romanesco, no qual suas concepções da vida estão limitadas, de um lado pelos instintos humanos, do outro por um destino cego e fatalista.

Branco sai, Preto Fica, de Adirley Queirós (93 min)
O filme cria suas imagens e sons a partir de uma história trágica: dois homens negros, moradores da maior periferia de Brasília, ficam marcados para sempre graças a uma ação criminosa de uma polícia racista e territorialista da Capital Federal. Essa polícia invade um baile black. Tiros, correria e a consumação da tragédia: um homem fica para sempre na cadeira de rodas, o outro perde a perna após um cavalo da polícia montada cair sobre ele. Mas esses homens não se sentem confortados em contar a história de maneira direta e jornalística. Eles querem fabular, querem outras possibilidades de narrar o passado, abrindo para um presente cheio de aventuras e ressignificações, propondo um futuro.

Dromedário do Asfalto, de Gilson Vargas (83 min)
Dromedário no Asfalto é feito de dois movimentos: o andar e o sentir. Andar sob o céu do inverno platino; e sobre o asfalto. Sentir sob o silêncio da jornada; reviver as memórias afetivas. Pedro anda e sente; caminha e cruza a fronteira entre países irmãos, Brasil e Uruguai. Segue em busca de homem que, assim como ele, vive recluso em suas próprias divagações: seu pai.

El Lugar del Hijo (O Lugar do Filho) de Manolo Nieto (120 min)
Ariel Cruz é um jovem que estuda em Montevidéu, e fica sabendo da morte do pai após anos afastado de casa. Para ir ao funeral e enfrentar o legado paterno, ele precisa viajar a Salto, no interior do Uruguai. Ariel se vê diante da responsabilidade de administrar as finanças quebradas que herdou, além de decidir o destino de sua antiga casa com a amante do pai, que pretende ficar com o lugar, e morar ali com ele.

Os Maias – Cenas da Vida Romântica, de João Botelho (139 min)
Entre Afonso da Maia e o seu neto Carlos constrói-se o último laço forte da velha família Maia. Formado em medicina na Universidade de Coimbra e posteriormente educado numa longa viagem pela Europa, Carlos da Maia regressa a Lisboa no Outono de 1875, para grande alegria do avô. Nos catorze meses seguintes, nasce, cresce e morre a comédia e a tragédia de Carlos como a tragédia e a comédia de Portugal. A vida ociosa do médico aristocrata, invariavelmente acompanhado pelo seu par amigo, o génio da escrita e de obras “inacabadas”, o manipulador João da Ega, leva-o a ter amigos, a ter amantes e ao “dolce fare niente”, cheio de convicções.

Permanência, de Leonardo Lacca (90 min)
Um fotógrafo pernambucano viaja a São Paulo para sua primeira exposição individual e decide se hospedar na casa da ex-namorada, hoje casada com outro homem.

Songs from the North (Canções do Norte), de Soon-Mi Yoo (72 min)
É um filme-ensaio que procura um novo olhar sobre o enigma da Coreia do Norte, um país quase exclusivamente visto através das lentes distorcidas da propaganda nacionalista ou da sátira irrisória. Cruzando imagens das minhas três visitas à Coreia do Norte com canções, espetáculos, cinema popular e imagens de arquivo, SONGS FROM THE NORTH tenta compreender, através dos seus próprios termos, a psicologia e imaginação popular dos Norte Coreanos e a sua ideologia política de amor absoluto, que continua a guiar o país para um futuro incerto. Olhar de perto e objetivamente para a Coreia do Norte, um país que desafia os nossos valores fundamentais sobre a condição humana, é última instancia um questionamento do sentido da liberdade, do amor e do patriotismo.

SERVIÇO
O quê: 6ª edição do Festival Internacional de Cinema da Fronteira.
Quando: de 24 a 29 de novembro em Bagé – RS – Brasil.
Onde: Centro Histórico Vila de Santa Thereza.
Contato: Calvin Furtado (51) 98362563.
Informações: http://festivaldafronteira.com/

Bagé e Santa Maria recebem concerto da Orquestra de Câmara da ULBRA e Nenhum de Nós

Apresentações ocorrem no dia 23 e 24/8, com entrada franca, por iniciativa do Grupo Felice Aplaude, por meio do Pró-Cultura RS. Distribuição de senhas começa no dia 14.

Nos dias 23 e 24 de agosto, a Orquestra de Câmara da ULBRA e o grupo Nenhum de Nós dividirão o palco em dois concertos – o primeiro em Bagé, e o segundo em Santa Maria. Ao todo, as apresentações deverão reunir mais de 5,5 mil pessoas nas duas cidades para conferir os maiores sucessos da banda gaúcha que já tem 28 anos de carreira, com arranjos especiais para acompanhamento da orquestra. Os espetáculos são gratuitos, com distribuição de senhas a partir do dia 14/8. (Confira no serviço, abaixo, os locais para a retirada de senhas).

Sob a regência de Tiago Flores, serão apresentadas músicas clássicas da banda, como “Julho de 83”, “Paz e Amor”, “Camila”, “Astronauta de Mármore”, “Eu não Entendo”, “Você vai lembrar de mim” e “Diga a ela”, entre outras. O objetivo é promover a fusão da música orquestrada com a música popular, além de trabalhar para a descentralização dos concertos desse gênero. O projeto ainda prevê a realização de outros dois concertos, nos dias 8 e 30 de novembro, em Santa Rosa e Uruguaiana.

Com mais de um milhão de discos vendidos, participações em grandes festivais, shows internacionais, vários prêmios, reconhecimento de público e crítica, e uma legião de fãs espalhados por todo o país, o Nenhum de Nós já ultrapassou a marca de 1,8 mil shows. Mantendo a mesma formação desde seu início – Thedy Corrêa, Sady Hömrich, Carlos Stein, Veco Marques, João Vicenti -, foi pioneiro no rock brasileiro ao incorporar acordeon entre seus instrumentos. É uma uma das bandas mais respeitadas do cenário pop-rock brasileiro.

A Orquestra de Câmara da ULBRA foi criada em julho de 1996 pelo maestro Tiago Flores, com o intuito de somar-se às iniciativas da universidade nas áreas da cultura e dos programas comunitários. Tem como principal objetivo manter a excelência da execução e o alto nível de acabamento musical. Como reconhecimento deste trabalho, o grupo tem sido considerado, pela crítica especializada, uma das melhores orquestras de câmara do Brasil. No repertório, constam as principais obras de música erudita compostas para instrumentos de cordas, abrangendo do período barroco até o contemporâneo. Outras vertentes importantes do trabalho deste conjunto são a música latino-americana e a música brasileira, sendo motivo de frequente pesquisa e inclusão de novas obras ou lançamento de novos compositores na sua programação. O grupo é responsável pela estreia de diversas peças originais e arranjos especialmente compostas para o mesmo, além de ser reconhecido por diversos projetos que unem a música orquestral e popular.

Tiago Flores é o atual diretor artístico da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre. Graduado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul sob a orientação de Arlindo Teixeira, especializou-se em regência orquestral em São Petersburgo (Rússia) com Victor Fedotov. Participou de cursos, oficinas e festivais com Kurt Redel (Alemanha) e Lutero Rodrigues e venceu o concurso Jovens Regentes promovido pela Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (OSPA). Atuou à frente de orquestras do Brasil, Uruguai, Venezuela, México, Itália, Áustria e Lituânia. Foi diretor artístico da OSPA entre 1999 e 2001. Regente da Orquestra de Câmara da ULBRA desde sua fundação, vem recebendo inúmeros elogios da crítica especializada, destacando-se como grande incentivador da nova música e tendo contribuído, em muito, para o reconhecimento do conjunto como um dos melhores do gênero no país. Recebeu o prêmio Melhores da Cultura 2005, conferido pela Secretaria da Cultura do Estado do Rio Grande do Sul, e em 2006, no Festival de Cinema de Maringá, o prêmio de “Melhor Música” como diretor musical do filme “Sal de Prata”, do diretor Carlos Gerbase.

Secretaria de Estado da Cultura e Grupo Felice, apresentam
ORQUESTRA DA ULBRA & NENHUM DE NÓS

BAGÉ
Quando: Sábado (23/8), ás 21h30
Onde: Ginásio Presidente Médice (Militão) (Av. General Malett, 150 – Bairro Tiaraju)
Entrada franca*
*Distribuição de senhas (no máximo duas senhas por RG):
De 14 a 22 de agosto, das 8h às 18h
Disponíveis: 4 mil lugares
Ponto de distribuição dos ingressos em Bagé:
Tradisul Motors
Endereço: Av. Santa Tecla, 1799
Fone: (53) 3242.0122
Felice Automóveis
Endereço: Av. Santa Tecla, 2850
Fone: (53) 3247.2828

SANTA MARIA:
Quando: Domingo (24/8), às 20h
Onde: Clube Recreativo Dores (Rua Bento Gonçalves, 400 – Bairro Dores)
Entrada franca*
*Distribuição de senhas (no máximo duas senhas por RG):
De 14 a 22 de agosto, das 8h às 18h
Disponíveis: 1,7 mil lugares
Tradisul
Endereço: Av. Fernando Ferrari, 1290
Fone: (55) 3221.4004
Iniciativa: Felice Aplaude
Planejamento e Gestão: CIDA
Patrocínio: Tradisul e Grupo Felice
Financiamento: Pró-Cultura RS, Governo do Estado do Rio Grande do Sul

Tatá Núcleo de Dança-Teatro recebe quatro prêmios no 2° Festival Bajeense de Teatro

O programa Tatá, vinculado ao curso de Dança da Universidade Federal de Pelotas, ganhou quatro prêmios no 2° Festival Bajeense de Teatro, que ocorreu entre os dias 27 de maio e 01 de junho.

Com o espetáculo “Terra de Muitos Chegares”, o Núcleo foi indicado em quatro categorias, ganhando em três delas: melhor iluminação, melhor direção por Maria Falkembach e o grande prêmio da noite, o de melhor espetáculo. O quarto troféu veio do espetáculo “A Farsa do Advogado Pathelin” do grupo Arlecrim, dirigido pelo aluno do curso de teatro Carlos Prado. Incubado pelo programa este ano, a encenação foi indicada em sete categorias: melhor ator e atriz coadjuvante, melhor maquiagem, melhor figurino, melhor direção, melhor espetáculo e melhor atriz, troféu conquistado por Bibiana Velasques.

No evento, que teve como objetivo valorizar a arte e incentivar a prática do teatro na região da campanha, também esteve presentes outros trabalhos desenvolvidos aqui em Pelotas. O grupo Você Sabe Quem Cia de Teatro, com o espetáculo “A Boneca Dorothi”, recebeu os prêmios de melhor maquiagem, melhor cenografia, e melhor atriz coadjuvante, pela categoria infantil. Você confere a lista completa dos ganhadores na página do facebook do festival no https://www.facebook.com/FestivalBajeenseDeTeatro?fref=ts .

Você pode conferir como foi o ano de 2013 do Tatá assistindo o vídeo apresentação do grupo no link http://www.youtube.com/watch?v=RNVrQpkcY4Q .

Para entrar em contato com o programa e acompanhar as atividade desenvolvidas basta acessar o blog http://grupotata.blogspot.com.br/

Fonte: Lizandra Vilela
Assessora de Comunicação do Tatá

Programa Tatá participa do 2° Festival Bajeense de Teatro

O programa Tatá Núcleo de Dança-Teatro da Universidade Federal de Pelotas vai à Bagé nos próximos dias 30 e 31, participar do 2° Festival Bajeense de Teatro. Serão dois espetáculos apresentados no evento, que tem como objetivo valorizar a arte e incentivar a prática do teatro na região da campanha. O “Terra de Muitos Chegares” será no dia 30, às 21h, enquanto “A Farsa do Advogado Pathelin” no dia 31, às 17h.

O evento teve inicio no dia 27 e irá até o dia 1/06. As apresentações e oficinas oferecidas ocorrem no Complexo Cultural do Museu Dom Diogo de Souza. Os ingressos estão à venda na LEB e com os membros do Grupo Entreatos de Bagé. O custo para crianças e estudantes, portadores de carteirinha, e idosos é de R$5. Já o ingresso dos adultos é de R$10.

Sendo o segundo espetáculo do grupo Tatá, o Terra de Muitos Chegares, dirigido por Maria Falkembach, busca uma linguagem cênica para expressar os sentimentos, experiências e reflexões do grupo referente sua identidade, multiculturalidade, intertransculturalidade complexidade. Sendo assim, suscita discussões da contemporaneidade – tolerância, diferença, preconceito, bullying – em direção a uma educação para a paz. Resgatando raízes a partir da sensibilização do espectador e da sua identificação (ou diferença) com essa terra de muitos chegares que cada um é, traz à tona reflexões difundidas a partir da experimentação de linguagens. Os atores-bailarinos além de atuarem e dançarem trazem o elemento música, cantando durante o espetáculo.

Já a “Farsa do Advogado Pathelin”, encenação incubada pelo programa Tatá neste ano, bebe nas fontes do teatro de rua. A estética nordestina lembra os brincantes das nossas manifestações folclóricas. Dirigida pelo aluno do curso de Teatro da UFPel Carlos Prado, a história gira em torno de um advogado trapaceiro e sem dinheiro, que cria uma farsa para enganar o Seu Guilherme, o vendedor de tecidos. A narrativa vai ganhando proporções maiores, surge um novo golpe envolvendo o juiz da cidade e o pastor Teobaldo, fazendo o advogado Patelhin descobrir que raposa velha também cai em armadilha.

Para saber mais sobre o programa basta acessa o blog http://grupotata.blogspot.com.br/.

Fonte: Lizandra Vilela
Assessoria de Comunicação do Tatá