“Histórias de mulheres” é o tema da 45ª Feira do Livro da FURG

Confira a programação da 45ª Feira do Livro da FURG, que acontece de 25 de janeiro a 4 de fevereiro, na Praça Dídio Duhá, no Cassino, em Rio Grande.

45 feira do livro furgCom o tema “Histórias de mulheres”, a edição deste ano apresenta uma série de atividades artísticas e culturais, para todos os públicos, que enfatizam o protagonismo feminino, especialmente na literatura. Serão dez dias de oficinas, exposições, saraus, rodas de conversa, espetáculos teatrais e musicais, intervenções artísticas, encontros com o autor e sessões de autógrafos nos principais espaços da feira – Arena Cultural, Espaço Literário e Rua das Crianças.

A solenidade de abertura do evento está marcada para as 21h do dia 25, seguida de show da Big Band da FURG. A sexta-feira, 26, será dedicada à patrona, Aimée Bolaños. A partir das 21h, no Espaço Literário, haverá apresentação do livro da autora Ofício de lectora, por Giliard Barbosa. No sábado, 27, a feira promove o encontro entre a escritora Maria Carpi e leitores estudantes da escola Wanda Rocha, às 20h, na Arena Cultural. As conversas com o autor e as sessões coletivas de autógrafos ocorrem diariamente, às 21h, no Espaço Literário.

Na agenda de shows, os espetáculos Comemorando o aniversário do Cassino na Feira – Garotos da Rua Revival, no dia 26; Tango Sur Sexteto, dia 27; Receita para desatar os nós da garganta, com Paola Kirst, dia 3; e o encerramento com a tradicional Banda Rossini, dia 4, são as principais atrações.

De acordo com o pró-reitor de Extensão e Cultura, Daniel Prado, o evento é pensado para despertar e estimular o gosto pela leitura, pelas artes e, também, para instigar a discussão de assuntos pertinentes à sociedade. A Feira do Livro da FURG é considerada uma das ações de extensão e cultura de maior impacto para a universidade e a comunidade. Em 2018, o evento irá contar com mais de 20 bancas de livreiros e mais de 50 títulos serão autografados.

Sobre a Patrona
Ensaísta, poeta, ficcionista e professora universitária, Aimée Bolaños, 74 anos, é natural do município de Cienfuegos, em Cuba. Está no Brasil desde 1997. Aimée é pós-doutora em Literatura Comparada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Atua como professora do Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL) da FURG e como professora adjunta da Universidade de Ottawa, Canadá.

A escritora homenageada recebeu, entre outros prêmios, o Concurso Mirta Aguirre de Crítica Literária, em 1986, e Prêmio Nacional Melhor Obra Científica pelos capítulos do livro “Historia de la literatura cubana”, em 1995. Em seu trabalho, a temática feminina tem enfoque através da poesia contemporânea, da literatura latino-americana, da literatura cubana da diáspora e da teoria literária.

Para Aimeé, o convite para ser patrona da 45° Feira do Livro da FURG culmina com a experiência de vida, de criação, além de marcar os 20 anos como professora universitária brasileira. “É um momento enriquecido com este reconhecimento no qual estão muito presentes todos vocês: amigos, colegas, discípulos. Na minha condição de cidadã, mulher, professora universitária, escritora, recebo muita honrada esta representação que vai além da minha pessoa. Ser patrona da feira tem também, e não em segundo lugar, um significado muito sensível por estar dedicada às histórias de mulheres que dia a dia participamos criativa e criticamente na história de nosso país nesta hora tão difícil quanto esperançosa.

Os trabalhos literários de Aimeé estão em pelo menos 32 livros – entre ficção, antologias, capítulos e prólogos. São obras editadas em Cuba, no Brasil, Canadá, Espanha e Estados Unidos. A produção teórico-crítica da escritora é vasta. Além de artigos publicados em revistas brasileiras, hispano-americanas, canadenses e européias, tem oito livros de ensaios.

Entre as obras publicadas no Brasil, cinco foram feitas pela Editora e Gráfica da FURG (Edgraf): “Vozes negras das Américas: diálogos contemporâneos”, Ficções da história: reescrituras latino-americanas, “Pensar la narrativa”, “El Libro de Maat” e “Oficio de lectora” (2016) – o mais recente, escrito em espanhol e português. Todos estarão disponíveis na banca de livros da FURG.

Sobre a FURG
A Universidade Federal do Rio Grande – FURG é uma instituição voltada aos ecossistemas costeiros e oceânicos, vocação que tem por especificidade a criação e a difusão de conhecimento compromissado com a compreensão da complexidade do próprio ecossistema em todas as suas manifestações, seja de ordem natural, social, cultural ou histórica.

Com estrutura multicampi, a FURG estende sua atuação da cidade do Rio Grande para os municípios de Santo Antonio da Patrulha, São Lourenço do Sul e Santa Vitória do Palmar, consolidando-se como um importante dinamizador social do extremo sul do Rio Grande do Sul – Brasil. Atualmente, oferece mais de 60 cursos de graduação e mais de 40 cursos de pós-graduação.

Mais Informações
www.furg.br
www.facebook.com/FURGinstitucional2

Eduardo Majer lança “O Iluminador de Almas” na na Feira do Livro de Pelotas

O Iluminador de Almas – Obra de Eduardo Majer será lançada no dia 12/11 às 19h na Feira do Livro. Confira a entrevista com o jovem escritor sobre sua obra de estreia e fique por dentro dos seus nobres ideais.

Por Charlie Rayné

A primeira informação que tive de Eduardo Maier era de que ele trabalhava num lugar chamado Escola do Ser e que lá existiam oficinas e palestras sobre qualidade de vida e espiritualidade. Pensei que o livro certamente não fugiria deste tema.

Foto: Charlie Rayné
Foto: Divulgação

Eduardo é um jovem escritor pelotense, com serenidade e gestos quase irreais…Sim, ele transborda uma sensibilidade, uma paz que não condiz com o caos do mundo lá fora. Eu, na minha habitual ansiedade, estranhamente, consigo me acalmar diante de uma sala pequena, simples e aconchegante, localizada na rua Major Cícero, 247.

Trata-se da Escola do Ser. Imediatamente me ponho a pensar que talvez para “ser” a simplicidade seja o ingrediente principal. E é. Eduardo começa a me responder alguns questionamentos feitos anteriormente, via WhatsApp, de forma tão natural e empolgante que novas perguntas surgem e a conversa vai longe. Tão longe que realmente consigo ficar completamente entregue ao momento da entrevista e esqueço o turbilhão da rua.

Sobre o que fala o livro “O Iluminador de Almas?
O Romance nos conta a história de um adolescente, Beto, que por ser questionador e buscador de algo maior, encontra na simplicidade a fonte de bem viver. Na sua caminhada, conhece um professor “Mente Aberta”, o Minhoca, que inventa e usa sua criatividade para ir além do habitual em sala de aula. Juntos descobrem uma linda forma de troca de aprendizagens e conhecimentos.

Folheio o livro e ponho meus olhos em uma passagem e outra, constatando naquelas palavras o que podemos chamar de simplicidade profunda. De onde vem isto, Eduardo? Por que escrever para jovens que na quase totalidade estão envolvidos meramente em smartphones, hormônios e falta de comprometimento?
“Acho pertinente levar às pessoas, adultos e principalmente os jovens a possibilidade de pensar e viver uma vida de mais qualidade, “ligados” no sentido da vida e no porquê de estarmos aqui. Os adultos falam dos jovens, mas não entendem seu mundo. Como convivo muito com eles, me coloco em seus lugares.”

O escritor termina a colocação, com aquela empolgação serena e totalmente consciente. Deixo-o livre. Ele, talvez sabedor de que as pausas são também ensinamentos, percebe minha “deixa” para que ele fale mais e começa a discorrer com propriedade sobre a importância de dar à vida um significado pleno, de total harmonia. E o livro traz esta experiência, um bálsamo para edificar, um instrumento para se debruçar nas questões essenciais.

Um tanto hipnotizado pelo assunto tão desejado por mim e tão importante para todos, mantenho-me em silêncio, contemplativo. E ele retoma sua paixão, falando na descoberta de algo que tanto busco, ou melhor que tantos buscam- a paz:
“Com certeza, a vida é o propósito maior, estar aqui é só agradecimento. Que aventura, não? Um paraíso cheio de pássaros, frutas, flores, pessoas, arco-íris, nuvens, lua, sol… ih, vai longe! O que ocorre no externo, como a desordem econômica e política, hoje aceito e perdoo. Dou energia para outras coisas; o meu mundo interno está lindo, cheio de cores e alegrias. Esta é uma escolha que faço.”

Foto: Charlie Rayné
Foto: Divulgação

Com o tempo esgotado, gostaria eu de perguntar sobre a Escola em que Eduardo ensina práticas de autodescoberta e equilíbrio. Mas se assim fizesse, eu sairia do foco e para Majer esta seja uma das chaves da plenitude. Sua insistência em vislumbrar o melhor que há no mundo já me dá um positivo puxão de orelha. Com o livro nas mãos, aguardo o dia 12 de novembro, às 19h para receber o autógrafo. E ao me despedir, prometo conferir brevemente os cursos, terapias e ensinamentos deste jovem professor de vida!
A próxima entrevista será na “Escola do Ser”.

Lançamento do Livro “O Iluminador de Almas”, de Eduardo Majer
Onde? Feira do Livro de Pelotas – Estande da Livraria Mundial
Quando? 12 de novembro – domingo
Horário? 19h

Programação da 45ª Feira do Livro de Pelotas – 2017

Confira a programação da 45ª Feira do Livro de Pelotas, que acontece de 1º a 19 de novembro de 2017, das 13h às 22h na Praça Coronel Pedro Osório.

A 45ª Feira do Livro de Pelotas conta com uma programação repleta de atrações que vão desde rodas de conversas e sessões de autógrafos, até torneio de xadrez e desfile Cosplay. Todas as apresentações serão abertas ao público e gratuitas.

Capa Evento 45ª Feira do Livro de PelotasNeste ano, participarão 15 livreiros como expositores e a tenda dos autógrafos terá um espaço especial reservado para os lançamentos das obras literárias. Outra novidade serão as rodas de conversas mediadas para fomentar a troca de experiências frente a frente com os autores que estarão lançando seus livros na Feira. Um destaque também para a possibilidade de apreciar apresentações culturais tanto na Tenda Cultural João Simões Lopes Neto, quanto na Bibliotheca Pública Pelotense.

E por falar nela, sua história será lançada nas páginas do livro intitulado “Bibliotheca Pública Pelotense”, escrito por Klécio Santos, nomeado Patrono da 45ª edição da Feira do Livro de Pelotas. Lisarbe Crespo da Costa, a primeira mulher Diretora-Presidente da Bibliotheca Pública Pelotense, foi nomeada Oradora da Feira do Livro neste ano em que a Instituição completa 142 anos de existência.

Com o tema “cidade dos livros: patrimônio e imaginação”, a Feira do Livro de Pelotas quer proporcionar nessa edição, experiências ricas em história, tradição e cultura pelotense, através de expressões artísticas diversas com o objetivo de incentivar ao público sobre a importância da leitura em ações conjuntas com Instituições Culturais e a Prefeitura Municipal de Pelotas.

Texto: Revelyn Peter

Clique aqui para acessar a Programação da 45ª Feira do Livro de Pelotas e veja, na imagem que segue, como navegar pela programação ou até mesmo baixar o arquivo PDF para seu computador:
Navegar na Programação

45ª Feira do Livro de Pelotas – 2017

Klécio Santos – Patrono da 45º Feira do Livro de Pelotas

A 45º Feira do Livro de Pelotas será entre os dias 1º e 19 de novembro de 2017 na Praça Coronel Pedro Osório.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O jornalista e escritor Klécio Santos é o patrono da 45 ª Feira do Livro de Pelotas. O convite foi feito pela prefeita Paula Mascarenhas e pela Câmara Pelotense do Livro nesta semana. O porto-alegrense e ex-morador do Município é autor dos livros “Sete de Abril, o teatro do imperador”, “Mercado Central – Pelotas 1846-2014” e o inédito “Bibliotheca Pública Pelotense”, com lançamento previsto para aniversário de 140 anos do local, dia 14 de novembro. Em breve, serão anunciados a programação e o nome do orador da Feira, que será entre os dias 1º e 19 de novembro, na Praça Coronel Pedro Osório.

O patrono diz estar honrado com a homenagem e considera a Feira um ambiente de socialização, em que livros e atividades congregam leitores e autores. “É como se a alma da cidade se transferisse para a Praça nesse período. Ainda mais com o João Simões Lopes Neto (a estátua) à espreita”.

Morador de Brasília há quase duas décadas, Klécio atualmente comanda a Comunicação Social do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA). No entanto, nunca perdeu laços com o Município onde cursou Jornalismo, na Universidade Católica de Pelotas (UCPel),e deu os primeiros passos na carreira. Na década de 1990, foi o primeiro editor do caderno de Cultura do jornal Diário da Manhã. Também foi repórter do Diário Popular e correspondente do Correio do Povo e da Zero Hora. Já na capital federal, atuou como editor-chefe e colunista do Grupo RBS. Em 2009, recebeu uma distinção no Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo com a reportagem \”Na Mira dos Arapongas\” sobre a vida do ex-presidente João Goulart no exílio.

Como inspirações literárias pelotenses, cita os escritores Aldyr Schlee e José Wolfango Montes Vanucci, e também pesquisadores que imprimem outro olhar à história, como Adão Monquelat. “Fico impressionado com a produção cultural de Pelotas, inclusive acadêmica. Manter esse debate, essa agitação interna, é o maior desafio e acho que um dos fatores importantes é a preocupação das pessoas na recuperação do nosso patrimônio, como a reabertura do Theatro Sete de Abril”, afirmou.

Especializado em Patrimônio Cultural pela Faculdade de Artes da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), o jornalista é autor de uma série de reportagens que evitaram a demolição da casa que hoje abriga o Instituto João Simões Lopes Neto (IJSLN), residência do escritor entre os anos de 1897 e 1907. Graças ao trabalho, foi agraciado pelo IJSLN em 2010 com o Prêmio 300 Onças.

Klécio também assina “O reino das sombras – Palcos, salões e o cinema em Pelotas”, publicado no volume 2 do Almanaque do Bicentenário de Pelotas, e o posfácio da obra “A família marimbondo”, texto inédito em livro de Simões, publicado ano passado com apresentação de Aldyr Garcia Schlee.

Redator(a): Camila Faraco
Fonte: pelotas.com.br

Livro Genética do Amor será lançado na Feira do Livro de Pelotas

Neste sábado, 19 de novembro de 2016, 19h, acontece na Feira do Livro de Pelotas o lançamento do livro Genética do Amor.

Foto: Leandro Lopes
Foto: Leandro Lopes

Genética do Amor é um livro que conta uma história de amor entre mãe e filha que estiveram por 9 meses em lugares diferentes. Ele nasceu de uma necessidade de contar ao mundo nossa história de amor e com isso talvez “contaminar” corações.

“Eduarda desde os três anos de idade começou a me falar de sua inconformidade de não ter saído de minha barriga, por muitas vezes chorou por isso, e eu como toda mãe queria poder ter lhe dado a barriga que tanto queria, mas embora nossa história seja maravilhosa ela não teve um começo habitual, tudo em nossa vida foi mágico.” Grace de Carvalho Ferreira

Para Duda isso sempre foi um motivo de desvantagem em relação à seus irmãos, foi aí que surgiu a ideia do livro, seria algo que só ela teria, seria única, e parece ter dado resultado ela já os desafia dizendo: Tudo bem, eu posso não ter tido a barriga, mas o livro só eu terei…
Genética do Amor é recheado, de crônicas e neles está contida toda história de nossa vida.
Ele aborda o tema adoção de forma vivida e prática.

Grace escreveu os textos e Eduarda os ilustrou, é um trabalho conjunto de mãe e filha.
A chegada de um bebê é sempre a chegada de um bebê, arriscar-se a parir com o coração é o maior ato de desapego em busca do amor.

“Depois de dois partos biologicamente normais fui contemplada por essa “gravidez cardíaca” e isso foi tudo de bom… Nosso sangue é apenas vermelho e o que fez Eduarda crescer foi o amor, a proteção, o respeito e nosso compromisso em sua formação, na construção da pessoa de verdade que desejamos que seja.” Grace

O livro tem o trabalho profissional de Duda Keiber, Mariana Heineck da 222 produtora e de Valder Valeirão da Nativu Designer. Quem assina o prefácio de Genética do Amor é o promotor José Olavo Bueno dos Passos e a contracapa fica com o texto que Marcos Piangers nos presenteou.

Para fazer uso nos lançamentos foi produzido um curta-documentário assinado por Leandro Lopes e com co-produção de Michele Ferreira.
Genética do Amor tem patrocínio de Arroz emoções, Central da Costura e MAB Centro de Idiomas. Apoio 222 Produtora, Nativu Design e Agência Incomum.

“Os planos futuros são de fazer de Genética do Amor uma grande bandeira á favor da adoção, quero ir com Eduarda a todas as capitais do Brasil lançar nosso livro contando ao mundo o quanto somos felizes!”

Barco Cisne Branco tem programação especial para a Feira do Livro de Porto Alegre

Durante a Feira do Livro o embarque será realizado no Portão Central do Cais do Porto.

Foto Divulgação
Foto Divulgação

O Cisne Branco terá programação especial para a 62ª Feira do Livro de Porto Alegre. Almoço a bordo, Tesouros Naufragados e Contação de Histórias são algumas das atrações para o período – de 28 de outubro a 15 de novembro – no período em que se realiza o maior evento literário a céu aberto da América Latina. Durante a Feira, os passeios serão realizados às 9h, 10h30, 13h30, 15h, 16h30 e 18h. Neste período o embarque será realizado no Portão Central do Cais com acesso pelo armazém B.

No período da Feira do Livro o barco oferecerá diariamente uma nova opção para o almoço – do meio-dia à 13h30min – refeições a partir de 25 reais. São cardápios diferenciados para cada dia da semana, uma sugestão do chefe para o seu almoço a bordo. Outra atração é o cantinho Tesouros Naufragados. Nesse espaço estarão expostos alguns dos objetos recuperados no período em que a embarcação foi resgatada após adernar no Guaíba.

Para o dia 12 de novembro o Banco de Livros em conjunto com o Projeto de Extensão da UFRGS/IFRGS estará realizando duas ações de contação de histórias (às 15h e 16h30min) durante os passeios do Cisne Branco. Serão 3 contadores e 3 arautos para a recepção e interação do público.

Para os finais de tarde e no horário noturno a programação continua animada. O já tradicional Happy Hour (18h às 20h) terá todos os sábados e domingos atração cultural. Já para o horário noturno (21h), o Cisne Branco retoma o passeio “As Luzes da Cidade” – das 21h as 02h – que inclui coquetel com navegação e danceteria.

Fonte: Amorim Comunicação

Premiada escritora norueguesa participa da 62ª Feira do Livro de Porto Alegre

O desaparecimento das abelhas, pano de fundo importantíssimo da história, é um tema atual, pauta da ONU e de diversas publicações nacionais e internacionais.

A escritora e roteirista norueguesa Maja Lunde vem ao Brasil lançar seu romance Tudo que deixamos para trás (Bienes Historie, Editora Morro Branco, 480 páginas, R$47,90).

Foto Divulgação
Foto Divulgação

A autora participa do painel “A literatura norueguesa de Maja Lunde” no dia 02 de novembro, às 18 horas, na Sala Oeste do Santander Cultural com mediação de Cláudia Laitano, e às 20 horas inicia-se a sessão de autógrafos.

Com uma escrita fluida entre três linhas temporais, Maja Lunde cria um panorama global da humanidade e sua relação com a natureza. Ela relata no romance como o desaparecimento das abelhas pode afetar o mundo todo – especialmente os humanos.

image004Em 1852, William é um deprimido biólogo inglês, que deseja criar um novo tipo de colmeia capaz de trazer reconhecimento para a sua família. Em 2007, George é um apicultor americano que luta para mantar o negócio produtivo e acredita que seu filho pode ser a salvação de sua fazenda. Em uma China futurista (2098), quando todas as abelhas desapareceram, Tao trabalha com polinização manual. Enquanto passa seus dias pendurada em árvores, deseja para seu filho uma educação e vida melhores do que a sua.

Mais do que uma distopia sobre o desaparecimento das abelhas, em que passado, presente e futuro se encontram, Tudo que deixamos para trás é uma história sobre o relacionamento entre pais e filhos e o sacrifício dos progenitores por seus descendentes. Com concreta consciência sobre as influências humanas no meio ambiente, a obra é um importante alerta sobre as nefastas consequências de um pensamento limitado e sem foco no futuro.

Tudo que deixamos para trás recebeu o prêmio de melhor livro de 2015 pela Associação de Livreiros da Noruega (Norwegian Booksellers’ Prize 2015), se tornando a primeira obra de uma autora debutante a receber a honraria.

Maja Lunde é autora e roteirista norueguesa. Nasceu e cresceu em Oslo, onde vive até hoje com seu marido e três filhos pequenos. Possui mestrado em Mídia e Comunicação pela Universidade de Oslo escreveu aclamados livros infanto-juvenis. Maja também escreve roteiros para programas de televisão, incluindo o drama Hjem e a série de humor Side om Side, ambas com grande sucesso de audiência. Tudo o que deixamos para trás é seu primeiro romance e seus direitos já foram vendidos para mais de 25 países.

62ª Feira do Livro de Porto Alegre
Lançamento do livro “Tudo que deixamos para trás” (Editora Morro Branco), da escritora norueguesa Maja Lunde.

Painel A literatura norueguesa de Maja Lunde
Dia 02/11, às 18 horas
Sala Oeste do Santander Cultural – Rua Sete de Setembro, 1028 – Porto Alegre/RS
Mediação de Cláudia Laitano
Tradução simultânea.
Sessão de autógrafos às 20 horas na Praça de Autógrafos

Destaques do Livro
· Vencedor do Prêmio Norwegian Booksellers’ Prize 2015
· Direitos vendidos para mais de 25 países
· Tradução para o português do original
· O desaparecimento das abelhas, pano de fundo importantíssimo da história, é um tema atual, pauta da ONU e de diversas publicações nacionais e internacionais:
Por que salvar as abelhas
Pela primeira vez, abelhas entram para a lista de espécies em extinção

Sobre a editora:
Uma editora formada com foco na promoção de autores e ideias dentro de uma visão global, a Editora Morro Branco preza pela qualidade de seus títulos e criação de novos leitores. Visando a propagação de diferentes perspectivas, a Editora se empenha na difusão de novos conceitos e no efetivo intercâmbio cultural. Investindo em autores iniciantes, experientes e na tradução de obras globais, a Morro Branco trabalha com a perspectiva de um catálogo diversificado, não se atendo a gêneros específicos, mas dando ênfase a obras que compartilhem a cultura da editora.

Fonte: Simone Lersch – Maestra Comunicação e Cultura

Oficina gratuita de Escrita Criativa com Ismael Caneppele na Feira do Livro de Pelotas

Com duas oficinas com inscrições encerradas devido a grande procura – a primeira com Paula Fábrio e a segunda com Paulo Scott – a Secretaria Municipal de Cultura de Pelotas divulga a terceira oficina gratuita que ocorrerá durante a Feira do Livro de Pelotas 2016.

Realizada do dia 2 ao 20 de novembro de 2016, a Feira do Livro de Pelotas receberá no dia 13/11, o escritor Ismael Caneppele, que ministrará oficina de escrita criativa. O evento, que tem como público-alvo escritores profissionais e amadores, interessados em literatura, estudantes da área de Letras e professores, terá início às 14h e se encerrará às 18h.

Oficina de Escrita CriativaCom o objetivo de despertar o potencial de escritores aspirantes, profissionais e amadores, a Oficina de Escrita Criativa consiste em um espaço de prática e discussão literária. Aspectos teóricos como a função do protagonista na trama, jornada do herói e forças do antagonismo, serão apresentados através de exercícios e teoria. Os encontros buscam apresentar metodologias de desenvolvimento de narrativas, ampliar a capacidade criativa e apontar caminhos para a edição e divulgação do material produzido pelos participantes no mercado literário.

ismael-caneppeleIsmael Caneppele
Uma das mais festejadas revelações da literatura brasileira contemporânea. Elogiado por nomes como Caetano Veloso, Luis Augusto Fischer e Vitor Ramil. É autor dos livros Os famosos e os duendes da morte (Iluminuras), A vida louca da MPB (Leya), O negrinho do Guaíba (Iluminuras), Só a exaustão traz a verdade (Pergamus) e Música para quando as luzes se apagam (Blocher). Agraciado pela Academia Brasileira de Letras com o prêmio Machado de Assis e pela Funarte com o prêmio Dramaturgia 2014, também desenvolve roteiros para cinema, além de atuar no time de colunistas fixos do jornal Zero Hora.

Para inscrever-se na oficina é necessário enviar nome completo via e-mail com o assunto: “Oficina de Escrita com Ismael Caneppele” para inscricoes.secult@gmail.com .
A oficina é gratuita, com vagas limitadas e por ordem de inscrição.

Escritora Paula Fábrio realizará oficina gratuita em Pelotas

A Feira do Livro de Pelotas, que será realizada do dia 2 ao 20 de novembro, receberá nos dias 5 e 6 a visita da escritora Paula Fábrio, que ministrará a oficina de escrita “As sensações visuais e a escrita criativa”.

O evento, que tem inscrições gratuitas e como público-alvo pessoas acima de 15 anos, terá início às 14h e se encerrará às 17h nos dois dias.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Paula nasceu em 1970 em São Paulo, onde se formou em Comunicação Social pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP). Atuou como redatora de publicidade e, no campo da literatura, idealizou e dirigiu a Rato de Livraria e gerenciou o acervo da Biblioteca de São Paulo.

Em 2013, sua obra “Desnorteio” rendeu o Prêmio São Paulo de Literatura na categoria de autor estreante. Lançou recentemente seu segundo romance, “Um dia toparei comigo”.

As atividades da escritora na Feira do Livro terão início com a apresentação da oficina e a troca de experiências com os inscritos. Na sequência, será realizada uma breve leitura sobre o movimento impressionista. Por fim, os participantes serão convidados a criar um texto curto (poesia, crônica, carta ou artigo). No segundo dia, serão feitas leitura e comentários do que foi produzido.

Para inscrever-se na oficina é necessário enviar nome completo via e-mail com o assunto: “Oficina de Escrita com Paula Fábrio” para inscricoes.secult@gmail.com .

Fonte: pelotas.com.br

Conheça os cinco autores patronáveis da 62ª Feira do Livro de Porto Alegre

O processo de escolha do patrono ou patrona da 62ª Feira do Livro de Porto Alegre está em sua segunda etapa e já estão definidos os cinco autores patronáveis. São eles: André Neves, Caio Riter, Cintia Moscovich, Claudia Tajes e Luís Dill.

flpoaA primeira etapa do processo de escolha do patrono ou patrona se estendeu de 6 a 18 de setembro. Cada uma das 135 empresas associadas à Câmara Rio-Grandense do Livro (editoras, livrarias e distribuidoras de livros), além de patronos de Feiras anteriores e ex-presidentes da Câmara Rio-Grandense do Livro (CRL), indicou cinco autores para que concorram ao título de patrono da 62ª Feira do Livro de Porto Alegre. Os cinco escritores mais votados são indicados como patronáveis e integram a segunda etapa da votação, que se estende até o dia 1º de outubro. Desta fase, participam as empresas associadas e diretoria da CRL, ex-patronos e representantes da comunidade cultural (reitores de universidades, diretores de faculdades e titulares de entidades culturais e sociais envolvidas com a questão do livro, todas sediadas no Rio Grande do Sul). A apuração caberá à CRL e o o nome do autor mais votado será o patrono ou patrona da 62ª Feira do Livro de Porto Alegre. A divulgação ocorrerá entre os dias 3 e 7 de outubro.

Podem concorrer autores com obra de qualquer gênero (não exclusivamente literário), gaúchos ou radicados no Estado há mais de cinco anos. São considerados, ainda, os seguintes critérios: 1) Qualidade, extensão e importância do conjunto da obra; 2) Representatividade no meio intelectual e na sociedade em geral; 3) Serviços prestados ao livro produzido no Rio Grande do Sul.

A 62ª Feira do Livro de Porto Alegre ocorre de 28 de outubro a 15 de novembro de 2016 na Praça da Alfândega, Centro Histórico da capital gaúcha.

Sobre a Feira do Livro de Porto Alegre
A Feira do Livro de Porto Alegre foi inaugurada em 1955 por incentivo do jornalista Say Marques, diretor-secretário do Diário de Notícias, junto aos livreiros e editores da cidade. O evento, o maior do gênero a céu aberto da América Latina, é considerado referência no paí­s por seu caráter democrático e pela consistência do trabalho que desenvolve na área da promoção da literatura e da formação de leitores. Realizada desde sua primeira edição na Praça da Alfândega, Centro Histórico da capital gaúcha, a Feira é dividida em Área Geral, Área Internacional e Área Infantil e Juvenil. Centenas de escritores, ilustradores, contadores de histórias participam do evento, que conta com sessões de autógrafos, mesas-redondas, oficinas, palestras e programações artí­sticas, entre outras atividades. Alguns desses eventos são realizados no Memorial do Rio Grande do Sul, Santander Cultural, Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, Armazém Literário da Corag, Theatro São Pedro e Auditório Dante Barone da Assembleia Legislativa.

Em 2006, a Feira do Livro de Porto Alegre recebeu a medalha da Ordem do Mérito Cultural, concedida pela Presidência da República, que a reconheceu como um dos mais importantes eventos culturais do Brasil. Um ano antes, havia sido declarada bem do Patrimônio Cultural Imaterial do Estado e, em 2010, foi o primeiro bem registrado, pela Prefeitura de Porto Alegre, como integrante do Patrimônio Histórico e Cultural Imaterial da cidade. A 62ª edição ocorre de 28 de outubro a 15 de novembro de 2016 e conta com ampla programação cultural de entrada gratuita, além de uma vasta oferta de livros nacionais e estrangeiros comercializados a preços reduzidos.

Sobre a Câmara Rio-Grandense do Livro
A Câmara Rio-Grandense do Livro é uma sociedade civil sem fins lucrativos, que tem por finalidade unir entidades e empresas que trabalham pelo livro, promovendo sua defesa e seu fomento, a difusão do gosto pela leitura, a formação de leitores e o fortalecimento do setor livreiro. A entidade conta com mais de uma centena de associados, entre editores, livreiros, distribuidores e outras instituições que se dedicam à produção, à comercialização e à difusão do livro, todas com sede ou filial no Rio Grande do Sul.

Fonte: Vitor Diel