Encontro inédito reúne Família Ramil no Theatro Guarany em Pelotas

Ocupando o palco e os bastidores do Theatro Guarany, os Ramil se reúnem para compartilhar com o público o ambiente da CASA RAMIL, onde a música sempre deu o tom.

O espetáculo nasceu de encontros durante dois verões na casa de veraneio da família na praia do Laranjal, em Pelotas, quando filhos, netos e até bisnetos se juntaram para cantar e tocar, proporcionando à matriarca Dalva Ramil, no alto dos seus 90 anos, reviver o cotidiano de música que ela e o marido, Kleber Ramil, construíram com os filhos e que teve continuidade com as novas gerações.

Foto Divulgação
Foto Divulgação

No palco, Kleiton, Kledir, Vitor, Ian, Gutcha, Thiago e João Ramil interpretam canções próprias em versões inéditas: Almôndegas, Deu pra ti, Loucos de Cara, Ramilonga, Derivacivilização, Artigo 5o, Amora, Casca… Todos tocam e cantam, dividindo-se nos solos e somando-se nos vocais. Parte do prazer dos Ramil no espetáculo está em uns cantarem as canções dos outros e se revezarem nos instrumentos, incluindo aí o desafio de tocar alguns deles pela primeira vez. Além dos tradicionais violões, baixo elétrico, violino, guitarra e percussão, a paisagem sonora incorpora saz, cuatro venezuelano, viola agostina, rabeca e efeitos eletrônicos.

Os vídeos são de Isabel Ramil, que responde também pela iluminação em parceria com o tio Marcelo Linhares. Karina Ramil é a responsável pela direção de cena.O projeto gráfico é de Chris Ramil, Isabel Ramil e Mariana Barbieri.Na produção, Kaio Ramil, sob a coordenação geral de Branca Ramil, idealizadora do projeto.

SHOW CASA RAMIL
Com Kleiton & Kledir, Vitor Ramil, Ian Ramil, Gutcha, Thiago Ramil e João Ramil
Onde? Theatro Guarany, Pelotas
Quando? 20 de março de 2018, terça-feira
Hora? 21h

Realização: Ramil e Uma Produções
Produção local: A Vapor Estúdio e Lua Nova Produção Cultural

INGRESSOS
1º lote:
Inteira R$ 140,00
Meia R$ 70,00
Solidário R$ 100,00 (doação de 1 Kilo de alimento entregue no dia do espetáculo)

2º lote:
Inteira R$ 150,00
Meia R$ 75,00

3º lote:
Inteira R$ 160,00
Meia R$ 80,00

+ informações no evento via Facebook.

Palestra/Bate-papo/Lançamento do livro “Viagem a Par ou Impar” com Kledir Ramil em Pelotas

Estreia de Kledir Ramil na literatura infantojuvenil, este livro foi inspirado no roteiro do espetáculo “Par ou Ímpar” de Kleiton & Kledir + Grupo THOLL e inclui letras de canções feitas por Kleiton Ramil, Maria Elena Walsh, Vitor Ramil e Kledir Ramil.

12191415_814496532007195_8609114818168652233_nNão se reprima e complete essa rima!
Dois amigos inseparáveis, Lemongs e Magrão, decidem participar de uma competição musical que acontecerá em Par ou Ímpar, um lugar encantado e cheio de mistérios. O desafio é em forma de versos improvisados, e o vencedor ganha uma bolsa cheia de moedas de ouro e a mão da princesa Carolina.
Mas a diversão e a cantoria começam muito antes de o torneio começar, na estação de trem, onde pegam a maria-fumaça que os levará a Par ou Ímpar.
Animais falantes, um gnomo vendedor de pirulitos, um mágico excêntrico e uma moreninha muito atrevida fazem desta inusitada viagem uma grande aventura.

Palestra/Bate-papo/Lançamento do livro “Viagem a Par ou Impar” com Kledir Ramil em Pelotas
domingo, 8 de novembro | 19h
Bibliotheca Pública Pelotense
O evento é produzido pela Tri Produções, com o apoio da Secult, na 43ª Feira do Livro de Pelotas.

Homens e Mulheres por Kledir Ramil – Vídeos

O homem é um bicho bruto, tosco, vive coçando o saco e dizendo besteira, acha que tudo pode ser resolvido no tapa ou no grito. É peludo, cospe no chão e arrota na frente dos outros. Em matéria de sexo é um animal, ataca para satisfazer seus prazeres, depois vira pro lado, e dorme…

Mulheres, uma coisa feita de uma costela não podia dar muito certo mesmo, na minha terra, a gente usa costela para fazer churrasco. Dizem que o homem tem quatro bilhões de neurônios a mais do que a mulher, elas acham que isso não tem a menor importância, sem querer entrar no mérito da questão, alguma diferença deve fazer…

Assista aos vídeos e depois comente diretamente no Blog do Kledir.

Homens por Kledir Ramil: comente aqui.

Mulheres por Kledir Ramil: comente aqui.

http://www.youtube.com/watch?v=KPPBr7kJWX0

 

Kledir Ramil e o Prêmio Açorianos

Estou me sentindo como Elizabeth Taylor quando recebeu o Oscar pelo conjunto da obra. É que o Prêmio Açorianos deste ano resolveu prestar uma homenagem especial a Kleiton & Kledir, em uma belíssima noite no Teatro do Bourbon Country, em Porto Alegre.

O Açorianos de Música vem se confirmando cada vez mais como a grande festa dos músicos, cantores e compositores do sul do Brasil. É muito bom encontrar os amigos e colegas dessa profissão que nos faz andar o tempo todo na estrada e raramente nos permite encontros. Tenho muito orgulho de fazer parte dessa turma – a música popular do Rio Grande do Sul – e vejo com enorme alegria a nova geração chegando cheia de talento e fazendo bonito.

A festa foi linda, superlativa. Não por nossa causa, mas por culpa de Jorge André Brittes, Coordenador de Música da Secretaria Municipal da Cultura, que convidou o diretor Edson Erdmann para dirigir a noite. Edson é um maluco de 2 metros de altura, e tudo nele é exagerado, a começar pelo próprio talento. O cara transformou o evento num mega espetáculo digno de… sei lá, uma Elizabeth Taylor. A coisa foi monumental. A grandiosidade e o glamour da cerimônia só fizeram aumentar ainda mais a importância do prêmio e a autoestima dos artistas gaúchos.

Após a cerimônia, fui levado a um coquetel de confraternização onde abusei na quantidade de água mineral. E, como vocês sabem, depois do terceiro ou quarto copo eu não me responsabilizo. Fui acordado na sarjeta de um beco na Cidade Baixa pela Brigada Militar e encaminhado ao HPS – Hospital de Pronto Socorro. Não, não foi ao IML como noticiaram alguns sites de fofocas. Curada a ressaca, resolvi escrever essas palavras de agradecimento já que, para demonstrar toda minha emoção, foi-me permitido apenas 15 segundos ao microfone. Que ainda tive que dividir com meu irmão, já que somos uma dupla.

Brincadeiras à parte, a verdade é que estou sinceramente agradecido e feliz. Minha única preocupação é que, em geral, esse tipo de homenagem é reservada a artistas que já cumpriram uma longa trajetória e, pela quantidade de serviços prestados, podem até pensar em parar. Tudo bem, nós já temos muitos quilômetros rodados, mas ainda estamos longe de pendurar as chuteiras. Aliás, se por acaso alguém estava aí pensando que “já era hora desses dois vestirem o pijama”… Pra esses, eu tenho uma péssima notícia: Kleiton e eu estamos só começando.

Texto: Kledir Ramil
Comente este texto e leia outros no blogdokledir.blogspot.com