Ingressos para show “Casa Ramil” estão no terceiro lote de vendas

Pelotas será palco do primeiro show que reúnirá Kleiton, Kledir, Vitor, Ian, Gutcha, Thiago e João Ramil interpretando canções próprias em versões inéditas.

Casa Ramil Foto: Marcelo Soares
Casa Ramil Foto: Marcelo Soares

A venda de ingressos para o espetáculo Casa Ramil que acontece dia 20 de março, às 21h, no Theatro Guarany já está no terceiro lote. Clássicas como Almôndegas, Deu pra ti, Loucos de Cara, Ramilonga, Derivacivilização, Artigo 5°, Amora, Casca, estão no repertório de afetos que o público da terra poderá prestigiar em primeira mão.

O espetáculo nasceu de encontros durante dois verões na casa de veraneio da família na praia do Laranjal, em Pelotas, quando filhos, netos e até bisnetos se juntaram para cantar e tocar, proporcionando à matriarca Dalva Ramil, no alto dos seus 90 anos, reviver o cotidiano de música que ela e o marido, Kleber Ramil, construíram com os filhos e que teve continuidade com as novas gerações.

Os ensaios já começaram, trazendo à tona o prazer dos Ramil em cantarem as composições uns dos outros e se revezarem nos instrumentos. E entre os desafios, tocar alguns deles pela primeira vez. Além dos tradicionais violões, baixo elétrico, violino, guitarra e percussão, a paisagem sonora do Casa Ramil incorpora saz, cuatro venezuelano, raviola agostina, rabeca e efeitos eletrônicos. A cenografia também tem a alma da família, com vídeos de Isabel Ramil, que responde também pela iluminação em parceria com o tio Marcelo Linhares. Karina Ramil é a responsável pela direção de cena. O projeto gráfico é de Chris Ramil, Isabel Ramil e Mariana Barbieri. Na produção, Kaio Ramil, sob a coordenação geral de Branca Ramil, idealizadora do projeto.

Ingressos custam R$ 160,00 (inteira) e R$ 80,00 (meia entrada – para estudantes, professores e pessoas com mais de 60 anos mediante comprovação). A compra pode ser feita em dinheiro ou cartões de débito e crédito (no segundo caso parcelado em até três vezes). É importante lembrar que estudantes podem comprovar o benefício com carteirinhas da UNE, das instituições de ensino ou comprovantes de matrícula. Já professores, através de carteirinhas das instituições de ensino, dos sindicatos ou contracheque. O público da região que quiser reservar ingresso, pode entrar em contato com A Vapor Estúdio ou Lua Nova Produções, através das fanpages ou evento no Facebook.

Casa Ramil
{Kleiton, Kledir, Vitor, Ian, Gutcha, Thiago, João}
Quando? 20 de março, às 21h
Onde? Theatro Guarany – Pelotas
Valores? Inteira R$ 160,00 Meia R$ 80,00

+ informações no evento via Facebook.

Fonte: Satolep Press

Rio Grande terá show de Kleiton e Kledir com entrada franca

O Partage Shopping Rio Grande traz à cidade a dupla Kleiton e Kledir, a apresentação será neste sábado, 25 de novembro a partir das 19h30min, com entrada Franca.

Foto Divulgação
Foto Divulgação

Os irmãos se apresentarão na Praça de Alimentação e prometem reviver grandes clássicos que marcaram a carreira como, por exemplo, “Maria Fumaça” e “Deu Pra Ti”. Segundo a gerente de Marketing do Partage Shopping Rio Grande, Michelle Rossettini, a ideia de aliar o show especial à campanha do Black Friday é uma forma de presentear o público que prestigia as ofertas, bem como as equipes das lojas que se empenham, ainda mais, nesta data importante para o varejo.

Show com a dupla Kleiton e Kledir
Onde? Partage Shopping Rio Grande
Quando? Sábado, 25 de novembro de 2017
Horário? 19h30min
Entrada Franca

Kleiton e Kledir fazem show hoje (quinta) em Pelotas

O olhar na estrada através da janela do ônibus e as conversas que acabam ganhando um tom mais íntimo durante as viagens abrem caminho para um passeio pelo mundo dos sonhos, das ideias e da imaginação. Momentos como estes marcaram a trajetória musical dos irmãos pelotenses Kleiton e Kledir que de dentro de um ônibus da Embaixador, mandado exclusivamente para buscá-los no aeroporto de Porto Alegre, falaram com o Diário Popular, por telefone, sobre o show que farão na noite desta quinta-feira (5), a partir das 21h, no Centro de Eventos, a convite da empresa que comemora seus 52 anos.

O trajeto entre a Princesa do Sul e a capital gaúcha já inspirou ideias mirabolantes nos dois irmãos. Esta e outras histórias da dupla, bem como o show que será apresentado em Pelotas nesta noite, você confere na edição impressa do Diário Popular desta quinta-feira (5).

Serviço
O quê: show de Kleiton e Kledir no aniversário da Expresso Embaixador
Quando: quinta, às 21h
Onde: Centro de Eventos
Ingressos: as entradas gratuitas podem ser retiradas no Posto Cidadão Capaz e na Farmácia Uso Indicado

Fonte/Foto: diariopopular.com.br

Par ou Ímpar de Kleiton & Kledir por Leticia Wierzchowski

Chegou coisa boa. Kleiton & Kledir, essa instituição gaúcha adorada do Oiapoque ao Chuí, essa dupla de guris queridos, finalmente – e deliciosamente –, resolveu se aventurar pelos caminhos do mundo infantil. A novidade é Par ou Ímpar, primeiro trabalho de K & K voltado para os pequenos, muito embora os papais possam também tirar uma lasquinha desse divertido disco. São 12 músicas inéditas, uma mais joia do que a outra. Tem mágico, tem bicho de tudo quanto é tipo, tem bruxa, tem formiga atômica (lembram?), até trova tem – a divertida Trova do Guri e da Guria. Bonito, surpreendente e engraçado, Par ou Ímpar já toca sem parar aqui em casa.

De tanta música legal, a minha preferida é Bicho Gente. Conta que, desde que o mundo é mundo – e já inundava, vejam só –, havia por aqui essa multiplicidade de seres que se intercambiam e se relacionam numa boa. Assim como as nossas crianças crescem num mundo quase sem fronteiras geográficas, convivendo alegremente com pessoas de todos as raças, crenças e culturas, também os animais faziam naqueles tempos bíblicos. Como é que diz a música mesmo?

Por: Leticia Wierzchowski | Segundo Caderno, ZH
Leia mais no ClicRBS Pelotas

Kleiton e Kledir, os embaixadores da MPG

Fazer sucesso no meio musical pode ser relativamente fácil. Difícil mesmo é mantê-lo. Kleiton e Kledir reconhecem tal dificuldade, mas com quase 40 anos de carreira ainda não experimentaram o sabor amargo do ostracismo artístico. O segredo – caso assim possa ser denominado – é a constante busca pelo aperfeiçoamento. “Cada disco que fazemos, avançamos em direção à qualidade, trabalhamos muito. Acho que é esse nosso desejo de melhorar sempre que envolve as pessoas que acompanham nosso trabalho”, conta Kleiton, por telefone, antes de um almoço de domingo na Capital.

E, para fazer jus à ideologia do aperfeiçoamento constante, Kleiton e Kledir estão trabalhando, ou melhor, brincando em cima de um projeto inédito da dupla. Em meados de agosto ou setembro os irmãos darão cria a um disco infantil. O nome do álbum, que será lançado pela gravadora Biscoito Fino, ainda não foi definido, mas o espírito lúdico já foi encarnado pelos dois. “Sempre fomos dois guris muito felizes. A gente carrega isso em nossa vida, o que transparece em Maria fumaçaSão João, por exemplo”, conta Kledir, referindo-se a dois grandes sucessos da dupla.

Enquanto o disco está em fase de mixagem, a dupla vem ao Estado para se apresentar no Theatro São Pedro. O show Kleiton e Kledir acústico acontece neste sábado às 21h, e no domingo, às 18h. O espetáculo, que integra a programação do aniversário de 153 anos do teatro, também festeja a homenagem especial recebida pelos artistas no Prêmio Açorianos, em maio deste ano. Os ingressos custam entre R$ 30,00 e R$ 80,00. O show em formato mais acústico acontece sem banda, exceto o músico Caio Fonseca, que acompanha a dupla. No repertório do espetáculo, estão os grandes sucessos da década de 1980, músicas do álbum Autorretrato (2009) e também um pouco do trabalho atual.

Foi justamente no Theatro São Pedro que Kleiton e Kledir despontaram no cenário musical do Rio Grande do Sul, lançando-se em seguida nacionalmente. Foi ali que, em 1971, eles participaram do Musipuc (Festival Universitário e Música), evento que aconteceu entre os anos de 1971 e 1978. O movimento deu origem ao que mais tarde se denominaria Música Popular Gaúcha (MPG). E surgiu no mesmo casarão Os Almôndegas, grupo que se manteve até 1980, quando Kleiton e Kledir resolveram formar uma dupla. “Temos uma relação de amor antiga com o (Theatro) São Pedro, que não é só nossa, claro. Mas, cada vez que eu entro lá, parece que entro num templo sagrado”, conta Kledir.

Texto: Priscila Pasko
Leia a matéria completa no jcrs.uol.com.br