Máscaras Larvárias: Teatro Físico e Poesia em Cena

Apesar do frio e da forte chuva que caiu em Pelotas no dia 22 de maio de 2011, um expressivo número de pessoas compareceram ao espaço do Centro de Treinamento do Grupo Tholl, para assistirem ao espetáculo “Larvárias” da Cia do Giro, de Porto Alegre/RS. Durante 60 minutos, o público presente pôde se deleitar com a virtuose do trabalho dos atores Daniela Carmona e Adriano Basegio que multiplicaram seus personagens por meio das máscaras utilizadas em cena. 

O espetáculo “Larvárias” é inspirado na estética das máscaras do Carnaval de Basel (Suíça). Na década de 60, o teatrólogo francês Jacques Lecoq iniciou estudos com essas máscaras adaptado-as para o universo teatral. Posteriormente, além de Lecoq, outras escolas, como a École International Philipphe Gaulier, passaram a desenvolver pesquisas e estabelecer princípios técnicos sobre os aspectos físicos para o trabalho do ator por meio da utilização dessas máscaras em seu trabalho cênico.


Com direção, concepção e roteiro de Daniela Carmona, a peça fala de encontros e desencontros entre seres não definidos como humanos ou animais. Porém, esses personagens, ao portarem as máscaras-larvas, assumem características intermediárias, contendo peculiaridades de homem e de bicho, sem precisar demonstrar nada de maneira ilustrativa. Na medida em que as máscaras vão surgindo em cena, o espectador começa a perceber determinadas singularidades do cotidiano, seu humor e poesia que são retratadas nas cenas do espetáculo. Não existe uma história realista sendo contada, nem tampouco a dramaturgia cênica se preocupa com a organização simplista das ideias. Muito pelo contrário, em “Larvárias” o espectador percebe que existem muitas lacunas, muitos espaços em branco que deverão ser preenchidos pelas suas percepções dos fatos que estão se desenrolando nas cenas propostas pelo elenco.

Para aqueles que conhecem o difícil empenho físico que um trabalho com máscaras larvárias exige, sai desse espetáculo rendendo louvores aos atores pelo seu desempenho cênico.

Texto: 

MSc. Vagner Vargas
DRT – Ator – 6606 – Crítico Teatral.
Leia o texto completo:

http://ccetp.blogspot.com

Sobre Deco Rodrigues 6469 Artigos
Jornaleiro/Produtor cultural, social mídia, gestor de conteúdo web, pretenso escritor, autor estreante com o romance Três contra Todos.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*